Conheça os benefícios e as vantagens do uso do GNV

Em julho, a FPT alcançou a marca de 30 mil motores movidos a Gás Natural Veicular (GNV) vendidos em todo o mundo. Essa tecnologia equipa veículos comerciais leves, caminhões médios e até pesados, além de ônibus urbanos.

Considerado o gás mais limpo do mercado, o GNV é um gás derivado do Petróleo, composto basicamente por Metano e Etano. Os motores movidos a GNV têm uma queima muito mais limpa (geram até 80% menos CO2 que motores correspondentes a Diesel), menores ruídos (cerca de 3 dB a menos, sendo ideais para operações noturnas e em grandes centros), maiores intervalos de manutenção e geram economia de combustível superior a 20%.

Atualmente é possível produzir em fazendas ou indústrias, através da decomposição anaeróbia de matéria orgânica, um gás equivalente ao GNV – o Biometano – que, após filtrado e devidamente purificado (de acordo com os padrões estabelecidos pela ANP), pode abastecer veículos movidos a GNV sem qualquer problema ou mudança de desempenho. Ele pode ser gerado através da decomposição de restos de alimentos, dejetos e excrementos de animais, como porcos, galinhas, etc. Sendo assim, o motor a GNV pode operar com Biometano normalmente, e nesses casos, a economia de combustível pode chegar a 40%, com balanço de Carbono bem próximo de zero.

Conheça outras vantagens do GNV:

– ele não é tóxico nem irritante no manuseio;

– ele é menos denso que o ar atmosférico. Por isso, em caso de vazamentos, sua rápida dissipação na atmosfera reduz a probabilidade de inflamação;

– ele é comercializado cumprindo elevados padrões de segurança, o que elimina em quase 100% a possibilidade de escape do gás para o meio ambiente, sendo, portanto uma opção sustentável;

– a formação de poucos resíduos na combustão e por ser um combustível limpo e seco, permite que não haja mistura nem contaminação ao óleo lubrificante, o que aumenta o intervalo entre as trocas de óleo.

Aplicação nos motores FPT

A FPT possui em seu portfólio motores movidos a GNV, GLP e Biometano com potências entre 100 e 280 kW, com torques de 350 a 1700 Nm. São equipados com injeção eletrônica multiponto, turbocompressor com válvula wastegate e intercooler, sistema de controle em malha fechada, com combustão estequiométrica e catalisador de 3 vias, atendendo aos mais restritos limites de emissões de poluentes.

Podem equipar veículos de distribuição urbana, coleta de resíduos, transporte de passageiros e transporte rodoviário.

Lembre-se: ao abastecer um veículo movido a GNV, desligue o motor, o rádio e o celular. Apague também os faróis e não fume. A pressão máxima de abastecimento não deve ultrapassar os 220 Kgf/cm2. Fique de olho!

Texto por: Embaixador Gustavo Teixeira.

gustavo-teixeira-pequena

FPT lança motor Cursor 9 GNV e aumenta portfólio de produtos movidos a gás natural

Sustentabilidade e responsabilidade ambiental são primordiais na criação e desenvolvimento dos motores FPT. Prova disso é o lançamento do motor Cursor 9 GNV, movido a combustível alternativo, com emissões próximas a zero e ajustável a uma transmissão automatizada para o segmento de pesados. O lançamento para a América Latina aconteceu no IAA 2016, evento de tecnologia no transporte, realizado na Alemanha.

Quando comparada a outros motores GNV presentes no mercado, a nova tecnologia tem a seu favor diversas melhorias como capacidade para funcionar com GNV, Biometano ou GLP, com consumo de combustível mais reduzido graças a seu novo processo de combustão, mais estável e que se adapta melhor a diferentes níveis de qualidade de gás. Além disso, é cinco decibéis mais silencioso que motores equivalentes com tecnologias anteriores.

“Temos mercados ideais para esta tecnologia, principalmente em países como Peru, Chile, Colômbia e Argentina”, explica o Presidente da FPT Industrial na América Latina, Marco Aurélio Rangel.

Naturalmente Poderoso

O Cursor 9 GNV carrega esse slogan e não é à toa:  ele garante equivalência em torque e potência à sua versão diesel com potências de 300 a 400 cavalos, sempre @ 2000 rpm, e torques de 1.300 a 1.700 Nm @ 1.200 rpm. O motor de seis cilindros e 24 válvulas (quatro por cilindro) pode ser abastecido com gás natural comprimido (GNV) ou gás liquefeito de petróleo (GLP). Em comparação com o diesel, as emissões de CO2 de veículos movidos a gás natural são significativamente menores. E o mais interessante: pode ser instalado em todos os tipos de configuração de tração de caminhões pesados 4×2, 6×2 e 8×2 ou em ônibus.

O motor dispensa o uso do componente EGR para recirculação de gases de escape e do SCR, para redução catalítica seletiva. No entanto, utiliza um catalisador simples de três vias localizado na extremidade do tubo de escape com uma estrutura integrada revestida por metais preciosos. Além disso, o Cursor 9 GNV possui novos injetores de combustível multiponto que permitem uma taxa de fluxo superior às versões anteriores.

Mais de 25 anos em tecnologia de motores GNV

A FPT Industrial atingiu neste ano a marca de 30 mil motores GNV vendidos ao longo de décadas de experiência no desenvolvimento de novas tecnologias em motores. Pioneira neste tipo de tecnologia, a fabricante possui amplo portfólio para operações com GNV, que inclui os motores F1C, N60, Cursor 8 e Cursor 9, com potências que vão de 136 a 400 cv. Todos aplicáveis em veículos comerciais leves, caminhões médios, semipesados e pesados, além de ônibus urbanos e máquinas agrícolas.

Saiba aproveitar melhor os motores Off-Road

Se os motores à diesel são projetados e fabricados para trabalharem em regimes de alta requisição, imagine os motores Off-Road. Eles costumam experimentar condições de trabalho ainda mais severas que o normal e, por isso exigem cuidados extras.

Para esses tipos de aplicações mais exigentes, a FPT conta com os motores da linha NEF que estão presentes em caminhões, máquinas de construção e agrícola, barcos e geradores. Para cada aplicação, os motores passam por variações, a fim de atingir o melhor desempenho e durabilidade em cada uma delas. Essas mudanças vão desde ajustes na central eletrônica até mudanças de hardware como bloco do motor, pistões e eixo de comando. Assim, os motores conseguem uma otimização da eficiência de queima, consumo de lubrificante e redução do desgaste.

Para extrair o melhor dos motores Off-Road em suas atividades diárias, é preciso dar atenção a vários aspectos. Selecionamos alguns para que você tenha sempre o melhor aproveitamento do seu companheiro:

– um dos fatores mais destrutivos para qualquer motor é a poeira, principalmente no caso do Off-Road. Lembre-se de vedar o filtro de ar e o sistema de admissão de ar. Trocar o filtro quando necessário também é de extrema importância: com filtros adequados, você consegue melhorar e muito a performance do seu motor;

– realize revisões periódicas. O intervalo entre uma revisão e outra, varia de acordo com a quilometragem do veículo. Consulte seu concessionário ou mecânico de confiança (leia aqui, dicas de manutenção do motor);

– um sistema de refrigeração com maior capacidade, permite que o motor seja abastecido por um ar com temperatura mais baixa, que aumenta a taxa de combustão e sua performance em cerca de 20%;

– um bom sistema de escape vai permitir uma maior capacidade ao motor. Isso também diminui sua temperatura e aumenta sua performance, a partir da diminuição do seu esforço para realizar suas tarefas. Lembre-se de respeitar as especificações desenhadas para especialmente para os motores Off-Road.

Importante

Para um bom funcionamento do motor, atenção ao controle do nível e do período de troca do lubrificante:

– Nível abaixo do mínimo da vareta: pode causar falta de lubrificante no sistema, o que vai gerar desgaste e superaquecimento.

– Nível acima do máximo: vai gerar aumento da pressão de cárter causando possível vazamento de óleo e em casos mais extremos a aeração do lubrificante o que pode também levar a falta de lubrificação para o motor.

A extensão dos períodos de troca de lubrificante pode gerar tanto danos aos motores de curto e longo prazo:

– Curto prazo: aumento da temperatura média, aumento do consumo de lubrificante, aumento de desgaste.

– Longo prazo: geração de depósitos no motor, redução da vida útil e diminuição da eficiência.

Você tem algum segredo para aumentar a produtividade do seu motor? Escreva nos comentários.

Colaboração: Embaixador Diego Ruan

off-road-diego-ruan

Você conhece o Cursor 9 Bi-Fuel?

O Cursor 9 da FPT foi criado pensando em oferecer mais rentabilidade e economia, aliadas à sustentabilidade. Essa linha de motores oferece duas possibilidades de potência: a de 330 cavalos (1.300 Nm) e a de 360 cavalos (1.500 Nm). Além disso, possui seis cilindros, capacidade de nove litros, sistema de injeção common rail e utiliza o sistema de redução catalítica SRC, que já está dentro das normas solicitadas pelo Proconve-P7. O motor conta com o sistema “Bi-Fuel”, o qual permite a utilização de Diesel e/ou Etanol.

Em questão de economia, o motor bicombustível alcança uma taxa de substituição de até 40% sobre a quantidade de diesel utilizada, com uma performance dinâmica idêntica à de um motor diesel normal.* Esse sistema contribui também para a redução do uso de combustíveis fósseis, além de otimizar o potencial de utilização da energia da cana de açúcar.

Outras vantagens nesse sistema são a economia no custo de combustível por quilômetro rodado, além de se alcançar um motor 100% reversível ao diesel*, sendo possível utilizá-lo somente com este combustível, caso seja essa a preferência do transportador, o que valoriza a revenda do veículo.

O Cursor 9 é ideal para aplicações rodoviárias de curtas e médias distâncias, além de off-road e agricultura. Alguns dos veículos comerciais que já utilizam esse motor são: o Iveco Stralis, as colheitadeiras CR6080 e CR9060 da New Holland Agriculture, o trator Magnum e as colheitadeiras A8000, A8800 e Axial-Flow 7230 da Case IH.

Manutenção preventiva pelo melhor funcionamento do motor

Todas as máquinas, equipamentos e automóveis necessitam passar por uma revisão depois de determinado tempo de uso para evitar possíveis problemas ocasionados pelos desgastes das peças. A assim chamada manutenção preventiva busca manter o motor em seu melhor funcionamento.

A intenção de realizar uma manutenção preventiva é reduzir a probabilidade de falhas de seu motor e de seu equipamento/máquina em geral. Estas inspeções organizadas reparam e ajustam defeitos e variações das peças, dessa forma evitando anomalias e irregularidades. Além disso, reduz o risco de fundir o seu motor.

Normalmente, o período recomendado para uma revisão vem de históricos dos fabricantes ou de certos quilômetros rodados. Enquadram-se nessa categoria as revisões sistemáticas do equipamento, as lubrificações periódicas, os planos de inspeção de equipamentos e os planos de calibração e de aferição de instrumentos. Em um automóvel, uma revisão implica em inspecionar os freios, sistema de arrefecimento, filtro de ar e combustível, troca de óleo, velas, alinhamento e balanceamento.

Manter-se em dia com as manutenções preventivas é uma boa forma de economizar dinheiro, uma vez que um motor desregulado e com peças desgastadas consome mais combustível e diminui o seu rendimento e desempenho. Realizar estas revisões é válido para todas as máquinas e veículos, mesmo aqueles que não estejam em uso regularmente. Mesmo parados, os motores poderão sofrer desgastes naturalmente.

É importante considerar também que manter nossas máquinas e automóveis em bons estados e revisados significa contribuir também para a preservação do meio ambiente. Na maioria das vezes, um equipamento emite mais gases poluentes do que o normal quando não está em dia com a manutenção.

São benefícios da manutenção preventiva: Redução do envelhecimento ou degeneração do equipamento; bom estado técnico e operacional; prevenir interferências externas que irão gerar alto custo para corrigi-los; reduzir riscos de falhas e quebras; manter-se conservado.

Então não dê bobeira, faça já a sua manutenção preventiva e evite dores de cabeça.

E lembre-se: Consulte sempre o manual do seu veículo para estar antenado nas revisões.