Conheça o Technical Center FPT Industrial no Brasil

Você já ouviu falar sobre o Technical Center FPT localizado na cidade de Betim (MG)?

O espaço possui uma área total de 4.085 m² e foi criado com o objetivo de atender todas as demandas da América Latina. Dividido em dois andares, com três salas para reuniões e dois salões, o diferencial do espaço é dedicado a área de pesquisa, tendo uma oficina de protótipo com 312 m² para testes e execução dos motores. O espaço ainda conta com uma área ambiental.

Em 2010, a FPT Industrial recebeu a certificação de Bronze no World Class Manufacturing (WCM) em sua fábrica localizada em Sete Lagoas (MG), e agora em 2016 recebeu a certificação de nível Prata, provando mais uma vez o padrão elevado da FPT em seus processos de fabricação.

No vídeo abaixo, com a Gabriela e o Rodrigo, você pode fazer um tour pela Technical Center e conhecer um pouco mais sobre os departamentos e etapas no processo de criação de motores, que movimentam desde máquinas gigantes até geradores de energia.

Clica aí no nosso papo com potência!

 

 

Qual é o melhor óleo para o seu motor?

Pesquisas apontam que 75% do desgaste do motor ocorre no momento da partida. Isso porque, nesse pequeno intervalo, o motor trabalha a seco. Os motores funcionam a partir do movimento de peças e articulações das quais é composto. Enquanto estão em funcionamento, a todo tempo, há partes se movendo e causando atrito no contato umas contra as outras. Essa fricção converte a energia em calor. Para que esse contato não danifique por completo o motor, a lubrificação é de extrema importância e ainda ajuda a economizar energia e deixar o equipamento em boas condições de uso.

 

Na hora da partida, o lubrificante precisa fluir o mais rápido possível para desempenhar o seu papel e ajudar o funcionamento do motor.

Mas como saber qual é o melhor lubrificante?

 

Atualmente, existem vários óleos lubrificantes que, basicamente, ajudam o motor a rodar. A troca regular desse óleo é um dos processos mais importantes para garantir o bom desempenho de qualquer veículo – já que a lubrificação adequada atenua o atrito entre as peças dentro do motor.

 

Por isso, precisamos ficar sempre atentos ao estado de conservação dos componentes básicos do motor, procurando sempre entender quais produtos usar, entendendo como cada um atua, assegurando também o funcionamento pleno do motor e seus sistemas. Nesse momento, a dica básica (e sempre válida) é não deixar de seguir as recomendações do fabricante do veículo na hora da troca do óleo. É preciso observar, ainda, a viscosidade SAE do produto.

 

A viscosidade do lubrificante pode ser identificada na embalagem do produto e, normalmente, é apresentada assim: 0W-20, 5W-30, 10W-40, 15W40 entre outros. Estes números são relativos à viscosidade de produtos automotivos tanto na partida (com o W) quanto na temperatura de regime de trabalho do motor (sem o W), conforme regulamentado pela SAE – Sociedade dos Engenheiros Automotivos;

 

É muito importante utilizar produtos com viscosidade menor no momento da partida. É que o óleo perde um pouco a viscosidade com o calor, o que faz com que seja extremamente importante seguir as orientações recomendadas pela montadora. Quanto maior a numeração, mais viscoso é o óleo, e consequentemente, maior será a resistência à fluidez.

 

Você tem trocado o óleo do seu motor com frequência, em suas manutenções preventivas?

 

Saiba mais sobre o assunto em:

Cuide do seu motor FPT fazendo manutenções preventivas.

Proconve: o que esperar para 2017

Você certamente já ouviu falar (e muito) sobre o Proconve (Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores). Em vigor no Brasil desde 2012, o programa tem como objetivo controlar a emissão de poluentes para equipamentos pesados, seguindo um padrão adotados nos Estados Unidos e Europa.

 

O Brasil foi o primeiro país da América Latina a ter esse controle da emissão de poluentes para veículos automotores, que devem passar a emitir no máximo 0,02 g/kWh de material particulado (80% a menos) e de 2,0 g/kWh de NOx – o que representa uma queda de 60%.

 

A lei já é válida para veículos automotores rodoviários, como carros de passeio, ônibus e caminhões. A partir de 2017, os fabricantes de máquinas agrícolas também deverão adequar todos os seus produtos às normas, colocando no mercado equipamentos que não agridam o meio ambiente, a partir de 1º de janeiro.

 

Como vai funcionar?

A partir de critérios técnicos, o Proconve estabelece um limite máximo de emissão de poluentes às máquinas novas, de uso agrícola e de construção, nacionais e importadas, com potência igual ou maior de 37 kW (50 cv) até 560 kW (761 cv). Para 2017, todos os modelos com potência igual ou superior a 19 kW (25 cv) até 560 kW (761 cv) devem atender à exigência.

Esses produtos não poderão emitir mais do que 5,0 g/kWh de CO (monóxido de carbono), 4,0 g/kWh de HC + NOx (hidrocarbonetos e óxidos de nitrogênio) e 0,3 g/ kWh de MP (material particulado similar a norte-americana Tier 3).

 

Pioneirismo

A FPT é a produtora com a maior quantidade de motores homologados em conformidade com a legislação MAR-I no mercado sul-americano. Os motores menos poluentes são encontrados na nova linha de colheitadeiras, como a Axial-Flow Série 130, da Case IH, equipadas com motor Cursor 9, já homologado para atender à norma do Proconve. Além de linhas de tratores da CNH Industrial, máquinas de construção, geradores e sistemas de irrigação de diversos fabricantes.

 

Curiosidade

As emissões de NOx (óxido de nitrogênio) no mundo são de 10 milhões de toneladas por ano, provenientes de fontes naturais (1 milhão nos Estados Unidos) e 40 milhões de toneladas por ano, de fontes antropogênicas (6 milhões nos EUA) oriundas principalmente dos processos de combustão, tais como as emissões automotivas.

 

E você, está preparado para as normas do Proconve?

 

Leia mais sobre sustentabilidade em:

Reduzindo a poluição atmosférica com o Arla 32 nos motores FPT

 

 

Fábrica Brasileira da FPT Industrial celebra prata no WCM

A FPT Industrial, uma das principais produtoras de motores diesel do mundo, recebeu a certificação de nível Prata no World Class Manufacturing (WCM) em sua fábrica localizada em Sete Lagoas, MG. O WCM é um dos mais elevados padrões da indústria para a gestão integrada de unidades produtivas e seus processos de fabricação.

Inaugurada em 2000, o time de 270 funcionários passou por um processo de auditoria que avaliou diversas áreas da fábrica, onde são produzidos os motores das famílias F1, NEF e S8000. A auditoria foi realizada em diversas áreas da planta e avaliou atividades técnicas como gestão, incluindo controle de qualidade, logística, segurança, desenvolvimento pessoal e o compromisso da organização e gestores, entre outros.

Além disso, uma apresentação guiada por lideranças da planta compara melhorias e evoluções da planta e em seguida, os auditores, em companhia dos líderes, conferem se a prática está de acordo com o que foi apresentado na teoria. Nesta etapa, os profissionais percorrem toda a planta para então chegarem a uma avaliação final.
A pontuação alcançada pela FPT Industrial Brasil fez com que a mesma se equipare às fábricas de Turim e Foggia, na Itália, e da planta de Boubon Lancy, na França.

Marco Rangel, presidente da FPT Industrial LATAM comemora: “O WCM é um padrão que tem como base a melhoria contínua e a eliminação de desperdícios e perdas nos processos produtivos. Já havíamos conquistado o nível Bronze em 2010 e fechamos 2016 com essa nova e tão importante conquista, a certificação nível Prata. Elevamos nossos padrões de WCM e graças a nossos investimentos, treinamento e aos esforços de todos os colaboradores conseguimos esta nova classificação”, finaliza.

Materiais nobres para motores potentes

Você certamente já ouviu falar em titânio e DLC (ou Diamond-Like Carbon). Esses materiais são alguns dos escalados para compor os motores FPT, com a intenção de aumentar sua vida útil e trazer mais leveza ao dia a dia, além de aumentar a qualidade e conferir o melhor custo-benefício.

O DLC é uma variação de carbono, que possui algumas propriedades típicas do diamante. Normalmente, é utilizado como revestimento para outros materiais e, no caso dos motores, está presente conferindo mais resistência principalmente em balancins. Por ser 100% usado para indústrias, o DLC pode ser aplicado em grandes áreas e possui alta aderência em aços de baixa e alta liga.

Já as ligas de titânio apresentam propriedades importantes, principalmente para os motores. Elas possuem:

  • Baixa densidade;
  • Boa resistência mecânica à tração;
  • Excelente resistência à corrosão;
  • Relativa abundância na natureza (é o nono metal mais abundante).

Dessa forma, o titânio entra para aumentar a resistência a altas temperaturas. O trabalho a frio aumenta a resistência mecânica e, o aumento de temperatura de trabalho, que provoca rápida queda de resistência mecânica no alumínio, apresenta este efeito.

Essa tecnologia é usada em caminhões pesados, como o Iveco Stralis, e também em máquinas agrícolas e de construção no segmento off road.

E você? O que acha da utilização de materiais nobres na composição dos motores? Conte nos comentários.

Cuide do seu motor FPT fazendo manutenções preventivas

Você sabia que a manutenção preventiva é muito importante para a saúde do motor? Seja de caminhões, embarcações, máquinas de construção ou agrícolas, fazer manutenções preventivas regularmente é necessário para o bom funcionamento das partes móveis do motor, além de prevenir gastos desnecessários.

Ao realizar a manutenção preventiva do motor, a probabilidade de falhas é reduzida, pois as inspeções reparam e ajustam defeitos das peças, evitando irregularidades e o risco de fundir o motor.

A manutenção inclui:

– revisão sistemática;

– lubrificação periódica;

– planos de inspeção de equipamentos;

– aferição de instrumentos;

– checar os ajustes do motor;

– inspeção dos filtros de lubrificante, ar e combustível;

– troca de óleo.

O período de uma revisão para a outra depende muito da recomendação do fabricante e das horas de funcionamento da sua máquina ou quilômetros rodados pelo seu bruto.

Benefícios da manutenção preventiva do motor 

Aumento da vida útil do motor, bom estado técnico e operacional, conservação, prevenção de interferências externas que geram alto custo de correção, redução de riscos de falhas e quebras.

Não se esqueça: consulte sempre o manual para saber exatamente o tempo de uma manutenção para outra. Outro lembrete: anote as datas de manutenção. Assim, você não perde as contas e fica sempre em dia com seu companheiro.