Engenheiro constrói um motor utilizando impressora 3D

Motor impressão 3D

Atenção: Um artigo didático feito para você aprender sobre o funcionamento do motor e da transmissão

Apesar da impressora 3D ter se popularizado recentemente, a tecnologia não é nova: o primeiro registro de um modelo sólido impresso data de 1981, obra do pesquisador Hideo Kodama, do Instituto de Pesquisas de Nagoya, no Japão.

E, como acontece com grande parte das coisas, ao chegar às mãos de mais gente, novos e criativos usos foram surgindo, em iniciativas que tem surpreendido pela rápida solução de problemas.

Eric Harrell, um engenheiro mecânico da Califórnia, Estados Unidos, utilizou a sua impressora 3D para criar um motor e uma transmissão manual de cinco marchas.

O mais impressionante é que a transmissão é funcional e poderia, em teoria, ser montado em um veículo. Eric conta que, somente a transmissão, demorou mais de 48 horas para ser impressa e ensamblada. Além disso, algumas partes pequenas precisaram ser ajustadas para melhorar o encaixe.

Componentes específicos, como hastes de 3mm, rolamentos 623zz e arruelas tiveram que ser compradas à parte, já que a impressora não atingia um nível de precisão satisfatório para que esses itens fossem corretamente funcionais.
Segundo Eric, que distribui seu projeto sem restrições no site MakerBot Thingiverse, qualquer um com uma impressora de qualidade e com habilidade em mecânica pode montar o seu próprio motor e transmissão.

Veja abaixo o motor e a transmissão impressos em 3D em funcionamento:

Comente abaixo o que você achou dessa novidade!

A importância do Biodiesel

Biodiesel

Desde o século XVIII, o petróleo vem sendo considerado como a principal matéria-prima energética e industrial do planeta. Por possuir uma grande área de utilização, o petróleo gera uma movimentação intensa no mercado mundial devido ao fato de ele ser um produto bastante lucrativo, cobiçado por vários países e principalmente responsável pelo desenvolvimento dessas nações, como o Brasil.

Entretanto os produtos derivados do petróleo são classificados como grandes poluidores do meio ambiente, desde a sua extração até o consumo de seus produtos. Depois que o planeta começou a emitir sinais de degradação devido à poluição, uma discussão sobre novas alternativas para diminuir esse consumo de petróleo e, consequentemente, a poluição gerada por seus derivados se iniciou. Por meio de energias renováveis é possível diminuir a poluição e restaurar grande parte do planeta.

Dentre os vários tipos de energia renovável existe a alternativa do biodiesel, que é um tipo de combustível extraído a partir de diversos tipos de matérias primas, como vegetais (girassol, amendoim, soja, mamona etc.) ou ainda sebo animal ou óleos de frituras reciclados. Ele pode ser utilizado em sua forma pura ou misturado ao diesel do petróleo, o que já vem sendo feito de maneira compulsória e gradativa no mercado brasileiro para abastecer veículos movidos a motores de combustão interna do ciclo diesel. O biodiesel é obtido comumente a partir de uma reação química de lipídios, óleos ou gordura, de origem animal ou vegetal, conhecida como transesterificação.

Como vantagens do biodiesel, podemos citar:

  • É uma fonte de energia renovável. Sua matéria prima pode vir de uma grande variedade de oleaginosas;
  • Sua obtenção e sua queima contribuem de maneira positiva para o balanço da emissão de CO2 na atmosfera, reduzindo também fortemente a emissão de outros poluentes, como Material Particulado, Hidrocarbonetos não Queimados e Monóxido de Carbono, com benefícios para a nossa saúde e meio ambiente;
  • O biodiesel melhora a lubricidade do Diesel, desempenhando o papel anteriormente realizado pelo Enxofre, que vem sendo gradativamente reduzido para controle de emissões de poluentes;
  • Os motores funcionam normalmente, sem precisar de modificação, com misturas até 20% de biodiesel;
  • Contribui para a agricultura familiar e aparece como fonte de renda para pequenas famílias no campo

O que achou desse artigo? Comente!

Colaboração: Embaixador Gustavo Teixeira

De Betim Para o Mundo

 

Como acontece a criação de um motor? Você já parou para pensar nisso? Hoje vamos falar um pouco sobre como este processo ocorre na FPT.

A concepção e execução dos projetos são feitos em nossos Tecnical Centers da FPT espalhados pelo mundo, incluindo um brasileiro que fica em Betim, Minas Gerais. É lá que os projetos de toda América Latina são feitos: começam no papel e chegam até a fase de prototipação.

Os projetos possuem vários objetivos; para cada um deles, um processo diferente é tomado. Construímos motores para caminhões, embarcações, grandes máquinas e até geradores de eletricidade capazes de iluminar cidades.

Todo o processo envolve equipes com profissionais como designers, engenheiros e mecânicos. Pessoas comprometidas com os projetos e especialistas em trazer os motores FPT à vida.

Antes de ir para o momento final, na linha de montagem em Sete Lagoas, Minas Gerais, todos os motores passam por testes para averiguar consumo, potência, torque e emissão. É desta forma que garantimos qualidade dos nossos projetos. Com conhecimento, esforço e comprometimento com o resultado.

A diferença entre o diesel S-10 e o S-500

Diesel S-10 e S-500

O uso de tecnologias de ponta nos processos mecanizados é importante para eficiência econômica e produtiva da agricultura. A melhoria na eficiência de motores agrícolas ou até a adoção de novos combustíveis é necessária para reduzir os impactos ambientais e os custos das atividades agrícolas.

No Brasil, são disponibilizados dois tipos de combustível diesel: o S-10 e o S-500. Esses combustíveis são utilizados nas máquinas agrícolas em misturas com 7% de biodiesel (B5). Mas qual a diferença entre eles?

Diesel S-500

O Diesel S-500 apresenta o teor máximo de enxofre de 500mg/kg (ppm = partes por milhão), possui número de cetano 42 e é um produto adequado aos veículos a diesel fabricados antes de 1º de Janeiro de 2012, e em todas as aplicações off road da FPT (Construção e Agrícola), sendo conhecido nos postos como Diesel Comum .

O óleo diesel é utilizado em motores de combustão interna e ignição por compressão (motores do ciclo diesel), derivado do petróleo, com odor forte e característico e utilizado em automóveis, furgões, caminhões, pequenas embarcações marítimas, máquinas de grande porte, locomotivas, navios e aplicações estacionárias (geradores elétricos, por exemplo).

Diesel S-10

O óleo Diesel S-10, disponível a partir de janeiro de 2013, apresenta o teor máximo de enxofre de 10mg/kg (ppm = partes por milhão) e foi desenvolvido para atender aos requisitos da mais nova geração de motores diesel que foram projetados para emitirem menores teores de material particulado e NOx do que os produzidos até dezembro de 2011. Além do baixo teor de enxofre, esse combustível tem alto número de cetano (48 no mínimo), uma faixa estreita de variação da massa específica (820 a 850 kg/m³).

Como benefícios do diesel S-10 podemos citar a redução de até 80% das emissões de material particulado, a melhoria na ignição e redução da emissão de fumaça branca na partida a frio e a diminuição da formação de depósitos no motor e contaminantes no lubrificante.

Colaboração: embaixador Luiz Noronha

Embaixador - Luiz Noronha