FPT estreia espaço próprio e leva novidades à Fenatran

Pela primeira vez, a FPT apresenta um estande próprio e uma gama de novidades para o ramo de transporte durante a Fenatran, o Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Carga. Considerado um dos maiores e mais completos eventos voltados para toda a cadeia do transporte rodoviário de carga da América Latina, a Fenatran é uma grande oportunidade de mostrar as inovações para o público.

Motores e tecnologias expostas

O grande destaque está sendo o Powertrain, um conjunto de soluções que engloba os eixos, transmissões, motores e outras tecnologias para garantir eficiência, potência e durabilidade para os motores da FPT, que antes era utilizado apenas na Europa.

Além desse modelo, estão presentes no local um motor N67 e um Cursor 13, motores que equipam caminhões Tector, Stralis e Hi-Way da Iveco. No estande também é possível ver de perto um exemplar do motor F1C – que hoje equipa o caminhão HD80, da CAOA –, a transmissão FPT modelo 2840.6 e eixo traseiro FPT modelo NDA-SW aplicado em veículos leves.

 

Grandes diferenciais

A presença de sistemas de injeção eletrônica sofisticados (Common Rail e Unidades Injetoras Eletrônicas de terceira geração), a escolha de muitos dispositivos de admissão de ar (turbocompressores com Wastegate, Geometria Variável ou Duplo Estágio) e a disponibilidade de versões com gás natural veicular (GNV) transformam os motores da FPT na melhor solução para aplicações rodoviárias, e esse é o objetivo da marca ao levar suas soluções à Fenatran.

Câmbio automatizado: mais conforto para o motorista

A evolução da tecnologia, cada vez mais presente nos veículos, faz surgir diversas dúvidas. Uma questão muito comum na hora de comprar um veículo é se o câmbio automatizado (ou robotizado) consome mais combustível do que o câmbio manual. Os veículos de câmbio automatizado proporcionam mais conforto ao dirigir, pois evitam que o motorista troque de marcha constantemente. Mas aqueles que preferem câmbio manual sempre defendem que o consumo de combustível é maior.

Mentira. O destaque desse tipo de câmbio é o baixo consumo de combustível e ainda emite menos CO2. O câmbio automatizado possui a caixa idêntica à do manual, mas utiliza um sistema de dois servos-robôs, que automatiza o acionamento da embreagem e, após analisar diversas variáveis como velocidade, temperatura, rotação etc., faz a troca das marchas.

Com o câmbio automatizado dá para sentir os trancos da mudança de marcha. Acontece que, no processo de troca de marchas, o sistema automatizado aciona a embreagem e interrompe a aceleração e, ao soltar a embreagem com a nova marcha já engatada, o veículo está acelerado, causando um leve solavanco. Para evitar esse tranco, basta tirar o pé do acelerador na hora da mudança de marchas, como em um carro manual.

A desvantagem do câmbio automatizado é o custo da manutenção, que costuma ser mais cara e específica que o câmbio manual. Entretanto, esse modelo de câmbio é o que oferece o maior conforto ao motorista.

O banco de provas da FPT Industrial

A FPT Industrial é uma das principais produtoras de motores do mundo. Para conquistar esse reconhecimento nos esforçamos sempre em agregar valor aos produtos que equipam as suas máquinas, caminhões e Geradores de Energia.

Dentro do nosso laboratório de motores, trabalhamos com mais de 60 protótipos por ano, ultrapassando mais de 3.000 horas de testes para cada motor. Toda a bateria de testes tem como objetivo garantir que o seu motor FPT funcione com a máxima performance, eficiência e menores níveis de emissões de poluentes.

Veja no vídeo abaixo o nosso engenheiro Fernando Ulhoa comentando sobre o banco de provas da FPT Industrial localizado em Betim, Minas Gerais.

Embarcação blindada para operação militar na Amazônia carrega motor FPT Industrial

A DGS Defense, Empresa Estratégica de Defesa, em parceria com a FPT Industrial lançam o 888 RAPTOR, com motor N67. Embarcação tática fluvial blindada de alto desempenho, a DGS 888 RAPTOR tem 9,2 metros de comprimento, capacidade de carga superior a 2.000 Kg, visão termal estabilizada, radar de ultra-alta definição e 4 estações para armamento calibres 12,7 e 7,56 mm, atendendo e superando todos os requisitos operacionais e logísticos desejados para uma embarcação dessa categoria.

Tudo isso, impulsionado pelo motor N67 da FPT Industrial, capaz de garantir uma melhor eficiência mesmo nas situações mais exigentes, sem comprometer a vida útil do motor. Este desempenho competitivo é suportado por redução de ruído e vibrações criando uma sensação de navegação extremamente favorável. O motor da FPT Industrial se enquadra na faixa de propulsores “High Speed”. É constituído por 6 cilindros em linha e com volume de 6.7 litros. Equipado com um turbocompressor de alta eficiência, gera 570 hp de potência.

A FPT Industrial, que possui no seu portfólio motores para máquinas agrícolas e de construção, caminhões, ônibus e Grupos Geradores, além dos barcos, desenvolveu o motor N67 para a DGS 888 RAPTOR com características específicas para essa aplicação como confiabilidade e robustez. Para Marco Rangel, Presidente da FPT Industrial, “Fazer parte desse projeto da DGS marca a entrada da FPT Industrial no mercado marítimo no Brasil. No mundo somos referência nessa aplicação, e toda a nossa experiência só irá beneficiar o nosso cliente e o mercado brasileiro”, conclui o executivo.

Além disso, a DGS 888 RAPTOR possui capacidades únicas, como navegar em locais com apenas 50 centímetros de água, mesmo em presença de objetos na superfície ou semi-submersos, como troncos de árvores, além de transportar 15 homens a distâncias superiores a 500 km, a uma velocidade média de 60 km/h.

Uma das maiores vantagens da DGS 888 RAPTOR é ser 100% fabricada com um copolímero de alto peso molecular, conferindo características exclusivas como, por exemplo, retardo de chama, ser insubmergível (por ter uma densidade menor que a água) e ter elevada capacidade de absorver choques, o que a diferencia das embarcações feitas em fibra de vidro e alumínio.

Assista no vídeo abaixo o DGS 888 RAPTOR em ação!

Sustentabilidade e Tecnologia caminham lado a lado para a FPT Industrial

Na semana em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, a FPT Industrial tem mais um motivo para comemorar. A marca acaba de ser premiada pela AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva – com o primeiro lugar no Prêmio AEA de Meio Ambiente 2017, na categoria Tecnologia.

A cerimônia de entrega da premiação foi realizada ontem, dia 07, em São Paulo, e contou com a presença de representantes de importantes empresas, associações e órgãos brasileiros, como a ANFAVEA e o IBAMA.

Com o trabalho “Os desafios da introdução do óleo API CJ4 no mercado da América Latina”, os engenheiros/autores Luiz Noronha e Gustavo Teixeira confirmaram o compromisso da FPT Industrial com a evolução tecnológica e respeito ao meio ambiente.

“O Prêmio AEA é um importante reconhecimento de que a FPT tem  ações sólidas e agora premiadas em nossa região, a respeito da sustentabilidade”, afirma Noronha.

Em sua 11ª edição do Prêmio, a AEA tradicionalmente reconhece as empresas, universidades e institutos de pesquisas que se destacam através de projetos de tecnologias e responsabilidade social, que beneficiam o meio ambiente e a qualidade de vida.  Em 2014, a FPT recebeu Menção Honrosa pelo trabalho “Desempenho e Emissões de um motor diesel operando com baixas vazões de hidrogênio”, de autoria do engenheiro Luiz Noronha.

Clique aqui e baixe o artigo vencedor do prêmio.

Engenheiro constrói um motor utilizando impressora 3D

Motor impressão 3D

Atenção: Um artigo didático feito para você aprender sobre o funcionamento do motor e da transmissão

Apesar da impressora 3D ter se popularizado recentemente, a tecnologia não é nova: o primeiro registro de um modelo sólido impresso data de 1981, obra do pesquisador Hideo Kodama, do Instituto de Pesquisas de Nagoya, no Japão.

E, como acontece com grande parte das coisas, ao chegar às mãos de mais gente, novos e criativos usos foram surgindo, em iniciativas que tem surpreendido pela rápida solução de problemas.

Eric Harrell, um engenheiro mecânico da Califórnia, Estados Unidos, utilizou a sua impressora 3D para criar um motor e uma transmissão manual de cinco marchas.

O mais impressionante é que a transmissão é funcional e poderia, em teoria, ser montado em um veículo. Eric conta que, somente a transmissão, demorou mais de 48 horas para ser impressa e ensamblada. Além disso, algumas partes pequenas precisaram ser ajustadas para melhorar o encaixe.

Componentes específicos, como hastes de 3mm, rolamentos 623zz e arruelas tiveram que ser compradas à parte, já que a impressora não atingia um nível de precisão satisfatório para que esses itens fossem corretamente funcionais.
Segundo Eric, que distribui seu projeto sem restrições no site MakerBot Thingiverse, qualquer um com uma impressora de qualidade e com habilidade em mecânica pode montar o seu próprio motor e transmissão.

Veja abaixo o motor e a transmissão impressos em 3D em funcionamento:

Comente abaixo o que você achou dessa novidade!

De Betim Para o Mundo

 

Como acontece a criação de um motor? Você já parou para pensar nisso? Hoje vamos falar um pouco sobre como este processo ocorre na FPT.

A concepção e execução dos projetos são feitos em nossos Tecnical Centers da FPT espalhados pelo mundo, incluindo um brasileiro que fica em Betim, Minas Gerais. É lá que os projetos de toda América Latina são feitos: começam no papel e chegam até a fase de prototipação.

Os projetos possuem vários objetivos; para cada um deles, um processo diferente é tomado. Construímos motores para caminhões, embarcações, grandes máquinas e até geradores de eletricidade capazes de iluminar cidades.

Todo o processo envolve equipes com profissionais como designers, engenheiros e mecânicos. Pessoas comprometidas com os projetos e especialistas em trazer os motores FPT à vida.

Antes de ir para o momento final, na linha de montagem em Sete Lagoas, Minas Gerais, todos os motores passam por testes para averiguar consumo, potência, torque e emissão. É desta forma que garantimos qualidade dos nossos projetos. Com conhecimento, esforço e comprometimento com o resultado.

Combustíveis alternativos

Quando falamos de motores, potência e desempenho, um ingrediente é essencial: o combustível.
Muito além dos combustíveis que conhecemos no dia a dia, como a gasolina, o diesel e o álcool, a FPT Industrial trabalha com alternativas para garantir eficiência, sem prejudicar o meio ambiente.

Assista ao vídeo do nosso especialista Gustavo Teixeira e conheça um pouquinho mais sobre combustíveis alternativos como o Biometano e sua aplicação no mercado brasileiro com a parceria entre FPT Industrial e New Holland.

Dê o play e curta mais um Papo com Potência.

Diferenciais do Motor FPT Cursor 13 – pódio no Rally Dakar 2016 e 2017

Uma das principais competições automobilísticas do mundo, e considerada a mais longa e difícil prova de rali, o Rally Dakar exige alta performance, resistência e grande potência dos motores que equipam os veículos participantes. Em 2017 a FPT Industrial participou pelo sexto ano consecutivo da competição, e o motor Cursor 13 garantiu a terceira e quarta colocação para holandês Gerard De Rooy e o argentino Federico Villagra, respectivamente.

Em 2016, o competidor de Rooy, da equipe “Petronas Team De Rooy Iveco”, com o caminhão Powerstar 501 equipado com motor Cursor 13 com 900 cv, conquistou o primeiro lugar da competição. Outros três pilotos que correram neste ano com caminhões equipados com o Cursor 13 conquistaram posições de destaque no top 10 do ranking geral. Os pilotos Frederico Villagra, Ton Van Genugten e Pep Vila ficaram em 3º, 5º e 10º lugar, respectivamente.

Para aplicação no Rally Dakar, os motores recebem uma preparação especial no Centro de Pesquisa & Desenvolvimento da FPT em Arbon, Suíça. Fazendo uma comparação, o motor Cursor 13 para uso comercial, utilizado no veículo IVECO Stralis Hi-Way, possui 560 hp e torque máximo de 2.500 Nm. Baseado nessa diferença observada fica fácil perceber que os motores destinados a equipar caminhões que estão no Dakar são desenvolvidos e preparados para esta competição e situação extrema da aplicação.

A linha de motores Cursor 13 traz como características a alta confiabilidade, robustez, potência e rápida resposta, além do respeito ao meio ambiente, presente na tecnologia Euro VI. A seleção da nova geração do motor Cursor 13, de 13 litros, com o hardware da versão Euro VI, permitiu a entrega de 900 cavalos de potência, com torque máximo de 4000 Nm a 1000 rpm. O propulsor com 6 cilindros em linha combina as mais avançadas tecnologias, incluindo a segunda geração do sistema de injeção HD Common Rail, que proporciona mais de 2.200 bar de pressão e garante força e potência para os caminhões.

Conheça o Technical Center FPT Industrial no Brasil

Você já ouviu falar sobre o Technical Center FPT localizado na cidade de Betim (MG)?

O espaço possui uma área total de 4.085 m² e foi criado com o objetivo de atender todas as demandas da América Latina. Dividido em dois andares, com três salas para reuniões e dois salões, o diferencial do espaço é dedicado a área de pesquisa, tendo uma oficina de protótipo com 312 m² para testes e execução dos motores. O espaço ainda conta com uma área ambiental.

Em 2010, a FPT Industrial recebeu a certificação de Bronze no World Class Manufacturing (WCM) em sua fábrica localizada em Sete Lagoas (MG), e agora em 2016 recebeu a certificação de nível Prata, provando mais uma vez o padrão elevado da FPT em seus processos de fabricação.

No vídeo abaixo, com a Gabriela e o Rodrigo, você pode fazer um tour pela Technical Center e conhecer um pouco mais sobre os departamentos e etapas no processo de criação de motores, que movimentam desde máquinas gigantes até geradores de energia.

Clica aí no nosso papo com potência!