Diferenciais do Motor FPT Cursor 13 – pódio no Rally Dakar 2016 e 2017

Uma das principais competições automobilísticas do mundo, e considerada a mais longa e difícil prova de rali, o Rally Dakar exige alta performance, resistência e grande potência dos motores que equipam os veículos participantes. Em 2017 a FPT Industrial participou pelo sexto ano consecutivo da competição, e o motor Cursor 13 garantiu a terceira e quarta colocação para holandês Gerard De Rooy e o argentino Federico Villagra, respectivamente.

Em 2016, o competidor de Rooy, da equipe “Petronas Team De Rooy Iveco”, com o caminhão Powerstar 501 equipado com motor Cursor 13 com 900 cv, conquistou o primeiro lugar da competição. Outros três pilotos que correram neste ano com caminhões equipados com o Cursor 13 conquistaram posições de destaque no top 10 do ranking geral. Os pilotos Frederico Villagra, Ton Van Genugten e Pep Vila ficaram em 3º, 5º e 10º lugar, respectivamente.

Para aplicação no Rally Dakar, os motores recebem uma preparação especial no Centro de Pesquisa & Desenvolvimento da FPT em Arbon, Suíça. Fazendo uma comparação, o motor Cursor 13 para uso comercial, utilizado no veículo IVECO Stralis Hi-Way, possui 560 hp e torque máximo de 2.500 Nm. Baseado nessa diferença observada fica fácil perceber que os motores destinados a equipar caminhões que estão no Dakar são desenvolvidos e preparados para esta competição e situação extrema da aplicação.

A linha de motores Cursor 13 traz como características a alta confiabilidade, robustez, potência e rápida resposta, além do respeito ao meio ambiente, presente na tecnologia Euro VI. A seleção da nova geração do motor Cursor 13, de 13 litros, com o hardware da versão Euro VI, permitiu a entrega de 900 cavalos de potência, com torque máximo de 4000 Nm a 1000 rpm. O propulsor com 6 cilindros em linha combina as mais avançadas tecnologias, incluindo a segunda geração do sistema de injeção HD Common Rail, que proporciona mais de 2.200 bar de pressão e garante força e potência para os caminhões.

Conheça propriedades e ciclos dos motores de 6 tempos

Você sabia que, além dos cilindros, o tempo também é determinante na classificação dos motores? Hoje, particularmente, vamos falar dos motores de seis tempos, que são bem parecidos com os de quatro, mas são mais eficientes e menos poluentes. Isso porque eles possuem um segundo ciclo de força e dependem diretamente do aproveitamento da energia de retorno do pistão.

Simplificando, os quatro primeiros tempos de ambos os motores, são idênticos. A mudança acontece a partir do quinto tempo em que, após o ciclo de exaustão, ao invés de injetar mais mistura ar/combustível, ele injeta água, dentro da câmara ainda quente. Logo, essa água se torna vapor, expandindo seu volume em 1600 vezes e forçando o pistão para baixo, tendo início um segundo ciclo de torque.

Em seguida, outro ciclo de expansão empurra o vapor para fora da câmara e um novo ciclo de 6 tempos começa novamente. Nessa ordem:

1º tempo: admissão de ar e combustível;
2º tempo: compressão da mistura da admissão;
3º tempo: explosão e expansão dos gases;
4º tempo: expulsão dos gases resultantes da queima;
5º tempo: admissão de água na câmara de combustão ainda quente;
6º tempo: após expansão, o vapor é expulso.

A vantagem é que, além de prover energia mecânica extra, este ciclo de injeção de água esfria o motor por dentro, deixando-o morno enquanto está funcionando. Dessa forma, a queima de combustível é menor, tornado o motor mais sustentável.

Saiba aproveitar melhor os motores Off-Road

Se os motores à diesel são projetados e fabricados para trabalharem em regimes de alta requisição, imagine os motores Off-Road. Eles costumam experimentar condições de trabalho ainda mais severas que o normal e, por isso exigem cuidados extras.

Para esses tipos de aplicações mais exigentes, a FPT conta com os motores da linha NEF que estão presentes em caminhões, máquinas de construção e agrícola, barcos e geradores. Para cada aplicação, os motores passam por variações, a fim de atingir o melhor desempenho e durabilidade em cada uma delas. Essas mudanças vão desde ajustes na central eletrônica até mudanças de hardware como bloco do motor, pistões e eixo de comando. Assim, os motores conseguem uma otimização da eficiência de queima, consumo de lubrificante e redução do desgaste.

Para extrair o melhor dos motores Off-Road em suas atividades diárias, é preciso dar atenção a vários aspectos. Selecionamos alguns para que você tenha sempre o melhor aproveitamento do seu companheiro:

– um dos fatores mais destrutivos para qualquer motor é a poeira, principalmente no caso do Off-Road. Lembre-se de vedar o filtro de ar e o sistema de admissão de ar. Trocar o filtro quando necessário também é de extrema importância: com filtros adequados, você consegue melhorar e muito a performance do seu motor;

– realize revisões periódicas. O intervalo entre uma revisão e outra, varia de acordo com a quilometragem do veículo. Consulte seu concessionário ou mecânico de confiança (leia aqui, dicas de manutenção do motor);

– um sistema de refrigeração com maior capacidade, permite que o motor seja abastecido por um ar com temperatura mais baixa, que aumenta a taxa de combustão e sua performance em cerca de 20%;

– um bom sistema de escape vai permitir uma maior capacidade ao motor. Isso também diminui sua temperatura e aumenta sua performance, a partir da diminuição do seu esforço para realizar suas tarefas. Lembre-se de respeitar as especificações desenhadas para especialmente para os motores Off-Road.

Importante

Para um bom funcionamento do motor, atenção ao controle do nível e do período de troca do lubrificante:

– Nível abaixo do mínimo da vareta: pode causar falta de lubrificante no sistema, o que vai gerar desgaste e superaquecimento.

– Nível acima do máximo: vai gerar aumento da pressão de cárter causando possível vazamento de óleo e em casos mais extremos a aeração do lubrificante o que pode também levar a falta de lubrificação para o motor.

A extensão dos períodos de troca de lubrificante pode gerar tanto danos aos motores de curto e longo prazo:

– Curto prazo: aumento da temperatura média, aumento do consumo de lubrificante, aumento de desgaste.

– Longo prazo: geração de depósitos no motor, redução da vida útil e diminuição da eficiência.

Você tem algum segredo para aumentar a produtividade do seu motor? Escreva nos comentários.

Colaboração: Embaixador Diego Ruan

off-road-diego-ruan

Motores FPT para veículos Off Road: inovação e cuidados com o meio ambiente

Para atender às necessidades exigidas pelas aplicações Off Road, sejam elas para terraplanagem, construção, agricultura, irrigação ou máquinas especiais, cada tipo de motor é projetado com uma estrutura inovadora, com cabeçote multiválvulas, turbocompressores de geometria fixa ou variável, sistemas de injeção mecânica e sistemas de injeção Common Rail de pressão controlados eletronicamente.

E, mais uma vez, dedicamos uma atenção especial às questões ambientais: os níveis de ruído dos motores foram reduzidos ainda mais, enquanto o moderno sistema de recirculação de gases de exaustão (escape) evita sua emissão na atmosfera. Para atender aos limites de emissões impostos pelas normas do Tier 3, a estratégia da FPT Industrial é baseada na diferenciação das tecnologias disponíveis para satisfazer os critérios de custo, tamanho e consumo para cada aplicação. Especialmente, a FPT oferece a tecnologia EGR (Recirculação de Gases de Escape) externa combinada com um DPF (Filtro de Partículas Diesel) para os motores da série F1. Para um uso mais intenso em todos os motores das séries NEF e CURSOR, a FPT oferece um sistema de SCR (Redução Catalítica Seletiva) de alta eficiência, que processa gases de escape com um líquido catalisador (DEF/AdBlue). Assim, ocorre uma redução considerável dos custos de operação e manutenção.

E aí? Já operou algum veículo Off Road com a tecnologia da FPT Industrial? Conte sua experiência pra gente nos comentários!