Produtos

O que é o biogás? Saiba tudo sobre o combustível e seu potencial energético

O que é o biogás?

Artigo de Gustavo Teixeira, Especialista em Homologações de Motores da FPT Industrial

O biogás é uma mistura de gases gerada a partir da decomposição anaeróbica da matéria orgânica, oriunda de restos de vegetais ou animais. Por ser anaeróbica, o processo ocorre independente da presença de oxigênio.

O grande atrativo é que quase todo o tipo de matéria orgânica pode gerar biogás. Assim, restos de animais e plantas, vegetais descartados, excrementos de galinhas, porcos ou outros animais, resíduos de estações de tratamentos de esgotos e até mesmo aterros sanitários podem ser uma fonte do gás, que apresenta uma nova fonte de renda e energia para atividades como agricultura a pecuária.

Quais as vantagens do biogás?

O biogás produzido a partir dessas fontes tem diversas aplicações na indústria e geração de energia. Assim, tem grande potencial para ser usado como combustível.

Cuidados necessários com o biogás

Após ser filtrado e ter a sua umidade removida, o biogás pode ser usado em motores estacionários e estações de geração de energia. Porém, para casos de aplicações em veículos, como automóveis, caminhões ou ônibus, os cuidados com o biogás devem englobar a remoção dos gases inertes, como CO2 e ácido sulfídrico, obtendo-se então o biometano.

No caso do biogás gerado em aterros sanitários, é necessário ainda remover os compostos conhecidos como siloxanos, que são restos de embalagens, tintas e vernizes. Caso não sejam removidos, podem trazer sérios riscos para o funcionamento dos motores.

Após o processo de purificação do material, o biogás deve ser comprimido e armazenado em tanques ou vasos de pressão.

Biometano como solução sustentável

De todo esse processo, surge um dos mais recentes e promissores combustíveis alternativos: o biometano.

Este combustível pode ser usado no abastecimento de frota ou, caso gerado por produtores rurais, vendido para a rede de distribuição de gás, desde que atenda as especificações de qualidade estabelecidas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Além da grande quantidade de energia, sua queima em motores gera cerca de 80% menos CO2 que uma aplicação similar abastecida com diesel, o que o destaca como solução sustentável na redução dos impactos de aquecimento global.

Estudos recentes mostram que o Brasil tem capacidade para gerar biometano suficiente para substituir cerca de 40% do volume de diesel consumido no território nacional. Ou seja, um gás que até recentemente era liberado no meio ambiente, pode agora ser tratado e utilizado em diversas aplicações, gerando menos poluição, reduzindo os gastos relacionados ao combustível e representando uma nova renda potencial para produtores.

A produção do biometano no ciclo produtivo

Muitos têm feito “suas continhas” e chegado à conclusão de que vale a pena produzir, utilizar e, por que não, comercializar o biogás. O que precisa ficar claro é que esse processo não sai de graça.

Os equipamentos utilizados para purificar o gás e deixá-lo em condições de utilização ou de comercialização requerem investimento, seja através da aquisição ou locação, cujo retorno ocorre em alguns meses, dependendo do volume de gás gerado e sua utilização.

Os propulsores aptos a operarem com o biogás são os motores do ciclo otto, que operam com GNV (Gás Natural Veicular).

A FPT Industrial é líder no desenvolvimento destes motores, com cerca de 50.000 unidades já comercializadas. São motores robustos e projetados desde sua concepção para operar com combustíveis de biogás, não se tratando de modificações ou adaptações sem critério.

Os motores movidos a biometano desenvolvidos pela FPT têm desempenho e durabilidade comparáveis aos motores a diesel e trazem ainda os benefícios de um propulsor a biogás, como a diminuição nas emissões de poluentes, redução de ruído (3 a 5 decibéis) e menores custos.

Para mais informações sobre motores sustentáveis, deixe seu comentário para falar com nossos especialistas!

Artigo anteriorPróximo artigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.