FPT Industrial

O que é o biogás? Saiba tudo sobre o combustível e seu potencial energético

O que é o biogás?

Artigo de Gustavo Teixeira, Especialista em Homologações de Motores da FPT Industrial

O biogás é uma mistura de gases gerada a partir da decomposição anaeróbica da matéria orgânica, oriunda de restos de vegetais ou animais. Por ser anaeróbica, o processo ocorre independente da presença de oxigênio.

O grande atrativo é que quase todo o tipo de matéria orgânica pode gerar biogás. Assim, restos de animais e plantas, vegetais descartados, excrementos de galinhas, porcos ou outros animais, resíduos de estações de tratamentos de esgotos e até mesmo aterros sanitários podem ser uma fonte do gás, que apresenta uma nova fonte de renda e energia para atividades como agricultura a pecuária.

Quais as vantagens do biogás?

O biogás produzido a partir dessas fontes tem diversas aplicações na indústria e geração de energia. Assim, tem grande potencial para ser usado como combustível.

Cuidados necessários com o biogás

Após ser filtrado e ter a sua umidade removida, o biogás pode ser usado em motores estacionários e estações de geração de energia. Porém, para casos de aplicações em veículos, como automóveis, caminhões ou ônibus, os cuidados com o biogás devem englobar a remoção dos gases inertes, como CO2 e ácido sulfídrico, obtendo-se então o biometano.

No caso do biogás gerado em aterros sanitários, é necessário ainda remover os compostos conhecidos como siloxanos, que são restos de embalagens, tintas e vernizes. Caso não sejam removidos, podem trazer sérios riscos para o funcionamento dos motores.

Após o processo de purificação do material, o biogás deve ser comprimido e armazenado em tanques ou vasos de pressão.

Biometano como solução sustentável

De todo esse processo, surge um dos mais recentes e promissores combustíveis alternativos: o biometano.

Este combustível pode ser usado no abastecimento de frota ou, caso gerado por produtores rurais, vendido para a rede de distribuição de gás, desde que atenda as especificações de qualidade estabelecidas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Além da grande quantidade de energia, sua queima em motores gera cerca de 80% menos CO2 que uma aplicação similar abastecida com diesel, o que o destaca como solução sustentável na redução dos impactos de aquecimento global.

Estudos recentes mostram que o Brasil tem capacidade para gerar biometano suficiente para substituir cerca de 40% do volume de diesel consumido no território nacional. Ou seja, um gás que até recentemente era liberado no meio ambiente, pode agora ser tratado e utilizado em diversas aplicações, gerando menos poluição, reduzindo os gastos relacionados ao combustível e representando uma nova renda potencial para produtores.

A produção do biometano no ciclo produtivo

Muitos têm feito “suas continhas” e chegado à conclusão de que vale a pena produzir, utilizar e, por que não, comercializar o biogás. O que precisa ficar claro é que esse processo não sai de graça.

Os equipamentos utilizados para purificar o gás e deixá-lo em condições de utilização ou de comercialização requerem investimento, seja através da aquisição ou locação, cujo retorno ocorre em alguns meses, dependendo do volume de gás gerado e sua utilização.

Os propulsores aptos a operarem com o biogás são os motores do ciclo otto, que operam com GNV (Gás Natural Veicular).

A FPT Industrial é líder no desenvolvimento destes motores, com cerca de 50.000 unidades já comercializadas. São motores robustos e projetados desde sua concepção para operar com combustíveis de biogás, não se tratando de modificações ou adaptações sem critério.

Os motores movidos a biometano desenvolvidos pela FPT têm desempenho e durabilidade comparáveis aos motores a diesel e trazem ainda os benefícios de um propulsor a biogás, como a diminuição nas emissões de poluentes, redução de ruído (3 a 5 decibéis) e menores custos.

Para mais informações sobre motores sustentáveis, deixe seu comentário para falar com nossos especialistas!

Você sabe qual a importância de filtros de qualidade para o motor?

Importância de filtros para veículos

Artigo de Patrícia Lambertucci, Treinamento Aftermarket Solutions

O motor é uma das partes que exige os cuidados mais especiais de manutenção de um veículo, seja ele um automóvel, utilitário, caminhonete ou um veículo pesado, como ônibus, caminhão ou trator. E o que nunca pode falta no check list de uma boa manutenção são os filtros ligados ao funcionamento do motor, como o de combustível, óleo e ar.

Mas você conhece a função dessas peças? Acompanhe o post e entenda melhor o impacto de utilizar filtros de qualidade no funcionamento do seu motor.

Filtro de Óleo

O motor é composto por inúmeras peças móveis e, com a vibração inerente ao funcionamento, essas peças estão em fricção constante umas com as outras, gerando atrito e calor. Este calor chega a temperaturas elevadas a ponto de fundi-las.

O recurso utilizado para reduzir esse atrito é fazer fluir uma película de óleo lubrificante entre estas peças. A função do sistema de lubrificação é justamente conduzir o óleo a todas as partes móveis do motor.

O processo de filtragem do óleo é integral, ou seja, todo o óleo é forçado a passar pelo filtro para reter todas as partículas de sujeira em suspensão no líquido.

Também é importante saber o tipo de lubrificante utilizado, já que cada versão tem propriedades que oferecem desempenhos diferentes. Essas características podem impactar o consumo de combustível, desempenho do veículo e vida útil do motor.

O que muita gente não sabe é que, além de reduzir o atrito e o desgaste das peças em movimento, os lubrificantes também fazem a limpeza, proteção contra a oxidação, melhora das vedações e resfriamento dos componentes.

Cada tipo de lubrificante tem sua formulação. Para conseguir o melhor desempenho para o motor, a FPT recomenda lubrificantes formulados com um óleo base de excelente qualidade já aditivados.

Filtros de ar

O filtro de ar é responsável por diminuir a absorção de impurezas como poeira, fuligem e areia. Ele impede a entrada de contaminantes no motor, garantindo que somente ar livre chegue à câmara de combustão isento de partículas nocivas.

Um filtro de ar de baixa qualidade impacta diretamente no desempenho do motor e no consumo de combustível.

Filtro de combustível

Filtros FPT Industrial

O filtro de combustível é um componente fundamental no sistema de motor de um veículo. Alguns projetos contemplam filtros em série como o separador de água que tem a importante função de separar o maior contaminante encontrado no diesel: a água.

Água e impurezas desgastam prematuramente os componentes internos da bomba de alta pressão e de seus injetores.

Os filtros FPT retém 99,7% dos contaminantes enquanto os demais filtros encontrados no mercado deixam passar 16 vezes mais partículas. Por isso, é extremamente importante a utilização de filtros de alta qualidade.

FPT Industrial testa biodiesel de macaúba em motor de trator agrícola

FPT faz testes com biodiesel de macaúba

O DNA da FPT Industrial é marcado pela constante pesquisa em soluções sustentáveis, principalmente relacionadas ao desenvolvimento de combustíveis alternativos. Recentemente, investimos em um plano de produção e em testes dedicados ao biodiesel de macaúba, um tipo de palmeira nativa do Cerrado brasileiro.

A pesquisa realizada no Technical Center, em Betim (MG), considerou a aplicação do combustível em tratores agrícolas, mas o combustível ainda será testado em caminhões, ônibus e geradores de energia.

Essa versão de biodiesel foi produzida em uma usina experimental por meio do processo de  transesterificação (reação química para a obtenção do combustível) e caracterizada em laboratório para atender aos padrões estabelecidos pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O projeto foi realizado em parceria com a PUC Minas, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Bchem Biocombustíveis, utilizando o motor FPT N67 MAR-I/Tier 3 presente nos tratores agrícolas da Case IH e New Holland Agriculture.

Benefícios da macaúba no biodiesel

Durante os testes, foram utilizadas misturas de 10% e 20% de biodiesel de macaúba em diesel fóssil – misturas conhecidas como B10 e B20, respectivamente. Os resultados demonstraram desempenho e consumo equiparáveis com o diesel comercial brasileiro.

“O maior desafio foi a correção da acidez do óleo, acentuada pelo armazenamento por quase um ano, para possibilitar então o processo de transesterificação”, afirma o engenheiro da FPT Industrial América do Sul e coordenador do projeto, Gustavo Teixeira

A polpa (mesocarpo) e a amêndoa (endosperma) da macaúba têm excelentes características para a produção de biodiesel de qualidade. “Em função do menor teor de ácidos graxos poli insaturados, [o biodiesel de macaúba] tem maior resistência à oxidação que o biodiesel de soja, o que corresponde a menores impactos sobre o sistema de injeção de combustível do motor”, aponta Teixeira.

Assim, os benefícios potenciais do combustível se estendem não só para o ambiente, com os menores índices de emissões, mas também em outros fatores, como o menor impacto em manutenção do motor.

O próximo passo do projeto é testar o novo biocombustível em caminhões e ônibus IVECO e geradores de energia FPT Industrial, que também utilizam a família de motores FPT N67. “Este trabalho demonstra o esforço contínuo da FPT Industrial em desenvolver motores aptos a operar com novos combustíveis”, afirma o Diretor de Engenharia da FPT Industrial América do Sul, Alexandre Xavier.

O potencial e os desafios da macaúba

A macaúba é uma palmeira nativa que chega a até 15 metros de altura. A planta é presente no cerrado brasileiro, em savanas e florestas abertas da América tropical, Caribe e sul da Flórida (EUA).

A planta foi explorada por décadas de maneira extrativista e agora vem sendo objeto de diversos estudos com foco na produção industrial em larga escala. Essa palmeira vem sendo utilizada para recuperação de solos e rios degradados, e a colheita de frutos é uma fonte de renda para pequenos produtores rurais, que após extraído o óleo, utilizam a torta da polpa para alimentação do gado.

A expectativa é que, no futuro, os mesmos produtores poderão gerar o próprio biodiesel de macaúba por meio de cooperativas e alimentar os tratores, reduzindo o impacto ambiental e os custos de suas operações.

Testes de biodiesel de macaúva na FPT

O principal desafio do uso da planta é a alta acidez de seu óleo, que dificulta a separação de fases e aumenta o consumo de reagentes. “O correto processo de colheita e armazenamento torna-se fundamental para a obtenção de baixos teores de acidez, possibilitando a produção do combustível”, explica Teixeira.

A acidez foi corrigida por meio da glicerólise, procedimento em que os ácidos graxos livres, sob condições controladas de temperatura e pressão, transformam-se em triglicerídeos, possibilitando o processo de transesterificação.

Os óleos utilizados nos testes da FPT foram extraídos pela Cooper Riachão, uma cooperativa de produtores rurais da região de Montes Claros (MG).

FPT Industrial

A FPT é líder mundial na produção de powertrain e de venda de motores GNV (Gás Natural Veicular). A empresa conta com aproximadamente 8.400 colaboradores em todo o mundo distribuídos em 10 plantas, sendo duas delas na América Latina – em Sete Lagoas (MG/Brasil) e em Córdoba (Argentina) – e sete centros de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), entre os quais um em Betim (MG/Brasil).

Tudo isso faz da FPT Industrial, uma empresa completa e que impulsiona o futuro por meio da sua tecnologia.

FPT Industrial acelera os caminhões da Iveco na terceira etapa da Copa Truck

Neste fim de semana, Londrina, no Paraná, recebe pela primeira vez a Copa Truck, maior competição de caminhões do Brasil. A FPT Industrial participa da terceira etapa da temporada 2019 acelerando os caminhões IVECO dos pilotos Djalma Pivetta (#21) e Felipe Giaffone (#4), da equipe Usual Racing, Luiz Lopes (#99) e Fabio Carvalho (#100), da Lucar Motorsport, e Jaidson Zini (#25), da Dakar Motorsport.

Sob o capô, os pesados trazem o desempenho do FPT Cursor 13, disponível nos IVECO Hi-Road (com potências de 400 cv e 440 cv) e Hi-Way (440 cv, 480 cv e 560 cv). Para a Copa Truck, a potência chega a 1.200 cv por meio de uma preparação especial, permitindo que os caminhões alcancem velocidades de até 250 km/h na pista.

A etapa de Londrina marca o início da Segunda Copa. A temporada da categoria é dividida em copas, que classificam os três melhores colocados para a etapa final da temporada, que ocorre no Autódromo de Interlagos (SP), em dezembro. A Primeira Copa incluiu as corridas em Goiânia (GO) e Campo Grande (MS), enquanto a Segunda engloba as corridas de Londrina e Curvelo (MG).

Entre os pilotos que aceleram os propulsores da FPT Industrial, o destaque é Felipe Giaffone. Campeão em 2017, o piloto fez a pole position na etapa inaugural, em Goiânia, e registrou bons resultados nas quatro corridas das duas etapas. Assim, Giaffone garantiu o segundo lugar geral na Primeira Copa, com classificação assegurada para a Grande Final, em dezembro.

Cursor 13: Desempenho extraordinário

Com 12,9 litros, o FPT Cursor 13 se distingue pelo extraordinário desempenho combinado com uma redução do consumo de combustível e torque máximo disponível em baixas rotações. O turbocompressor de geometria variável controlado eletronicamente (E-VGT) permite torque de até 2.500 Nm disponível em baixa rotação de apenas 1.000 rpm, o que garante um nível superior de flexibilidade e eficiência de combustível.

O especialista de Marketing Produto da FPT Industrial, André Faria, destaca que competições como a Copa Truck servem para avaliar o desempenho dos motores presentes nos caminhões comerciais. “A Copa Truck coloca à prova a performance dos nossos motores sob altas exigências. Esse mesmo espírito está presente nos caminhões de rua. Resistência, eficiência e alta tecnologia são atributos reconhecidos da FPT Industrial”, afirma.

5 componentes essenciais do seu motor FPT

Conheça 5 peças importante de um motor FPT

Você conhece profundamente o seu motor FPT, as peças e suas principais funções? A nossa linha de produtos é muito vasta. São mais de seis famílias de motores, com potências que variam de 20 a 820 cavalos. Todos campeões em design, benefícios e durabilidade.

Existem diversos componentes dentro de cada um deles,  com papeis específicos. Todos em constante transformação porque a FPT investe em incansável pesquisa e desenvolvimento para obter sempre a melhor tecnologia, materiais e processos. Justamente para levar até você os melhores motores.

Alguns desses componentes são essenciais para garantir o bom funcionamento e a potência. Neste vídeo, Ana Luiza Maia e  Gabriela Ferreira, estudantes de engenharia de materiais e estagiárias de plataforma da nossa Geração Millennials, apresentam peculiaridades de cinco deles:

1) Cárter

2) Pistão

3) Biela

4) Cabeçote

5) Coletor de escape

Dê um play neste papo com potência e entenda melhor sobre cada um e por que são tão importantes no desempenho do seu motor FPT:

Ainda ficou com alguma dúvida? Fale com a gente! Envie um e-mail para papocompotencia@fpt.com.brPara acompanhar nossas novidades, curta a nossa página no Facebook e siga nosso perfil no Instagram.

Conheça as principais diferenças entre motores Otto e motores Diesel

As diferenças entre motor diesel e motor otto

Você sabe quais as diferenças entre o motor de um carro e o motor de um caminhão ou trator? Apesar de estarem muito próximos, eles operam de maneira distintas. Os motores (chamados Ciclo Otto) dos veículos leves são movidos a gasolina ou etanol. E os motores (Ciclo Diesel), dos veículos com capacidade de carga acima de uma tonelada, são movidos a diesel. Mas não é somente por isso que eles se diferenciam.

Cada tipo possui componentes distintos, um processo de combustão específico e mecânica de funcionamento própria. No vídeo abaixo, os nossos estagiários Millennials , Marina Fonda e Gustavo Vilela, buscam explicar detalhadamente essas diferenças. Confira:

A FPT é focada em tecnologia e inovação de motores e geradores utilizados em grandes aplicações. Nossos motores equipam máquinas agrícolas, caminhões e ônibus, máquinas de construção e embarcações.

Desejando saber ainda mais, continue esse papo de potência através do e-mail papocompotencia@fpt.com.br. Será um prazer falar com você!

Por dentro do setor de Design da FPT Industrial

Os motores são os grandes responsáveis pela circulação do mundo. Desenvolver motores e geradores com excelência em inovação não é tarefa fácil. Você conhece o processo de criação de um motor? Sabe as características fundamentais para o seu funcionamento?

No Technical Center , Centro de Desenvolvimento da FPT Industrial em Betim, Minas Gerais, são realizados os processo de criação, design, protótipos e testes de todos os motores FPT para a América Latina. É diretamente de lá que o estagiário de Engenharia de Produto, Fernando Blumer, da Geração Millennials , entrevista o especialista do Produto, Josué Morais.

Assista a essa entrevista esclarecedora e descubra como funciona todo o processo de desenvolvimento dos motores FPT. Morais explica o papel fundamental do setor de Design. O especialista fala sobre os processos de idealização, criação, desenvolvimento e especificação de novos produtos e componentes, que fazem do Centro de Desenvolvimento, o local onde nasce e evoluem os nossos produtos.

Entrevista imperdível para quem tem interesse em saber como funciona um setor de Design focado no futuro, cada vez mais sustentável e inovador. Assista:

Curta a nossa página no Facebook e siga nosso perfil no Instagram para mais novidades.

Final Dakar 2019: Saiba tudo sobre a performance da Equipe IVECO

Após 11 dias, dez etapas e milhares de quilômetros de competição intensa em um percurso desafiador, aconteceu a final do #Dakar2019 na última quinta-feira, dia 17 de janeiro.

As areias do Peru foram palco para o espetáculo de adrenalina do evento que é considerado o rali mais difícil do mundo.

Os veículos PowerStar, equipados com o Cursor 13, motorizaram o time Petronas De Roy IVECO. Mais uma vez, os motores mostraram toda sua confiabilidade, robustez e  segurança para cumprir sua missão em qualquer tipo de terreno e operação.

O Cursor foi adaptado especialmente para o rali. A customização ficou a cargo do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da FPT Industrial em Arbon, na Suíça. O resultado foi um motor de 13 litros com cerca de 1.000 cavalos de potência e desempenho inigualável. Toda essa dedicação e força bruta não poderiam dar em outra: a equipe IVECO, que obteve uma excelente performance em todo o percurso, conquistou o pódio e ficou entre os dez primeiros colocados da edição 2019.

Confira as colocações dos pilotos IVECO no pódio geral da edição:

3º lugar: Gerard De Rooy

Estrela do time, o piloto experiente, vencedor das edições de 2012 e 2016, retornou à competição no comando do veículo #503 e destacou-se em diversos estágios da disputa, alcançando a primeira colocação na sétima etapa. Gerard, que não deixou a peteca cair durante todo o percurso, ficou em terceiro lugar no pódio final do Dakar 2019.  

4º lugar: Federico Villagra

O argentino Federico Villagra foi um dos destaques do time IVECO desta edição a bordo do veículo #505. O piloto se manteve bem colocado em diversas etapas do rali, chegando na quarta posição, na terceira etapa, e na segunda posição, na oitava etapa. Após enfrentar com estilo toda a complexidade dos terrenos de difícil navegação, ele se classificou no quarto lugar do pódio final.

7º lugar: Anton Van Genugten

Com uma excelente performance durante toda a disputa, Anton van Genugten, que já havia se destacado na competição em 2018, levou momentos de emoção e adrenalina para a torcida do time IVECO. Na direção do veículo #509, o piloto rendeu momentos emocionantes para a edição. Ele abriu o placar como segundo colocado na primeira etapa e ficou em primeiro lugar na quinta etapa. O bom desempenho de Van Genugten nos cinco mil quilômetros de percurso fez com que ele garantisse o sétimo lugar no pódio geral.  

10º lugar: Maurik van den Heuvel

O holandês Maurik van den Heuvel estreou no time IVECO como um competidor implacável. O piloto, que se juntou ao time a convite de De Rooy, se mostrou um excelente companheiro de time, ajudando Gerard a continuar na prova durante a quarta etapa, quando os competidores não podiam contar com sua equipe de assistência.

Foram dias de muita dificuldade, persistência e força em todas as etapas da corrida. Novamente o Cursor deu um show de potência! O motor, que oferece alto desempenho e eficiência para aplicações de transporte como o IVECO Hi-Way, se revelou ainda mais bruto, mantendo uma performance extraordinária durante todo o trajeto.

Quem aí já está ansioso para a próxima edição do Dakar?

 

Cursor 13 acelera o Rally Dakar 2019

Mais uma vez, a FPT Industrial é uma das protagonistas do Rally Dakar. Os quatro caminhões PowerStar, do time Petronas De Roy IVECO, estão equipados por um motor Cursor 13.

Nesta edição da competição, que é considerada uma das mais extremas do mundo, os caminhões irão cruzar o Peru em uma aventura épica: serão 5.000 km e dez etapas — que acontecem entre os dias 6 e 17 de janeiro — atravessando dunas, terrenos rochosos e arenosos. Toda a paisagem de natureza extrema tem papel decisivo na performance dos pilotos e das máquinas.

O Cursor 13 foi preparado para todos os desafios da competição, recebendo configuração diferenciada para oferecer excelente desempenho e absoluta robustez durante o percurso, entregando confiabilidade e até 1.000 cv de potência. 

O motor assegura alta densidade de potência e torque mesmo em grandes altitudes, mantendo a velocidade e oferecendo total controle e segurança para o piloto.

História

A história do Dakar é tão inusitada quanto a competição, que começou em 1977, quando o piloto francês Thierry Sabine se perdeu no deserto do Saara e viu ali uma oportunidade perfeita para promover um rali.

Ele foi batizado com este nome pelo trajeto, que iniciava em Paris, França, e terminava em Dacar, capital do Senegal, levando os pilotos a percorrerem 10 mil quilômetros. Desde 2009, o evento passou a acontecer na América do Sul, mas o nome foi mantido.

Estamos na 41ª edição da disputa, que é considerada uma das mais perigosas do mundo e expõe os pilotos a trajetos repletos de obstáculos no meio do deserto. É muita adrenalina, não é mesmo?!

Acompanhe nossas redes sociais para não perder nenhum momento do #Dakar2019!

Motores FPT impulsionam caminhões Hi-Road, lançamento da IVECO

No primeiro semestre de 2018, o mercado brasileiro de caminhões apresentou um alto patamar de crescimento, destacando-se o segmento de Pesados.

Para continuar atendendo aos caminhoneiros com a máxima performance, a IVECO lança no Brasil a linha Hi-Road, ideal para operações de médias e longas distâncias, que foi projetada para estar disponível o maior tempo possível, entregando robustez, baixo custo de manutenção e conforto ao estradeiro.

Pensando nisso, os motores Cursor 9 e 13, com seis cilindros em linha, foram escolhidos para o projeto. A série Cursor da FPT é conhecida pela eficiência e pelo baixo consumo de combustível. Tudo isso alinhado a um design compacto e leve e ao sistema SCR, que demanda menor refrigeração e representa custos operacionais reduzidos.   

O Cursor 9 tem potência de 360 cv (4 X 2), e o Cursor 13 tem duas faixas de potência, 410 cv (4 X 2 e 6 X 2) e 440 cv (4 X 2, 6 X 2 e 6 X 4), com torque máximo de 2.400 Nm. A transmissão é automatizada de 16 velocidades à frente + duas marchas a ré, e o tanque de combustível tem capacidade, de série, para 900 litros.