Engenheiro constrói um motor utilizando impressora 3D

Motor impressão 3D

Atenção: Um artigo didático feito para você aprender sobre o funcionamento do motor e da transmissão

Apesar da impressora 3D ter se popularizado recentemente, a tecnologia não é nova: o primeiro registro de um modelo sólido impresso data de 1981, obra do pesquisador Hideo Kodama, do Instituto de Pesquisas de Nagoya, no Japão.

E, como acontece com grande parte das coisas, ao chegar às mãos de mais gente, novos e criativos usos foram surgindo, em iniciativas que tem surpreendido pela rápida solução de problemas.

Eric Harrell, um engenheiro mecânico da Califórnia, Estados Unidos, utilizou a sua impressora 3D para criar um motor e uma transmissão manual de cinco marchas.

O mais impressionante é que a transmissão é funcional e poderia, em teoria, ser montado em um veículo. Eric conta que, somente a transmissão, demorou mais de 48 horas para ser impressa e ajustada. Além disso, algumas partes pequenas precisaram ser ajustadas para melhorar o encaixe.

Componentes específicos, como hastes de 3mm, rolamentos 623zz e arruelas tiveram que ser compradas à parte, já que a impressora não atingia um nível de precisão satisfatório para que esses itens fossem corretamente funcionais.
Segundo Eric, que distribui seu projeto sem restrições no site MakerBot Thingiverse, qualquer um com uma impressora de qualidade e com habilidade em mecânica pode montar o seu próprio motor e transmissão.

Veja abaixo o motor e a transmissão impressos em 3D em funcionamento:

Comente abaixo o que você achou dessa novidade!

De Betim Para o Mundo

 

Como acontece a criação de um motor? Você já parou para pensar nisso? Hoje vamos falar um pouco sobre como este processo ocorre na FPT.

A concepção e execução dos projetos são feitos em nossos Technical Centers da FPT espalhados pelo mundo, incluindo um brasileiro que fica em Betim, Minas Gerais. É lá que os projetos de toda América Latina são feitos: começam no papel e chegam até a fase de prototipação.

Os projetos possuem vários objetivos; para cada um deles, um processo diferente é tomado. Construímos motores para caminhões, embarcações, grandes máquinas e até geradores de eletricidade capazes de iluminar cidades.

Todo o processo envolve equipes com profissionais como designers, engenheiros e mecânicos. Pessoas comprometidas com os projetos e especialistas em trazer os motores FPT à vida.

Antes de ir para o momento final, na linha de montagem em Sete Lagoas, Minas Gerais, todos os motores passam por testes para averiguar consumo, potência, torque e emissão. É desta forma que garantimos qualidade dos nossos projetos. Com conhecimento, esforço e comprometimento com o resultado.

Combustíveis alternativos

Quando falamos de motores, potência e desempenho, um ingrediente é essencial: o combustível.
Muito além dos combustíveis que conhecemos no dia a dia, como a gasolina, o diesel e o álcool, a FPT Industrial trabalha com alternativas para garantir eficiência, sem prejudicar o meio ambiente.

Assista ao vídeo do nosso especialista Gustavo Teixeira e conheça um pouquinho mais sobre combustíveis alternativos como o Biometano e sua aplicação no mercado brasileiro com a parceria entre FPT Industrial e New Holland.

Dê o play e curta mais um Papo com Potência.

Diferenciais do Motor FPT Cursor 13 – pódio no Rally Dakar 2016 e 2017

Uma das principais competições automobilísticas do mundo, e considerada a mais longa e difícil prova de rali, o Rally Dakar exige alta performance, resistência e grande potência dos motores que equipam os veículos participantes. Em 2017 a FPT Industrial participou pelo sexto ano consecutivo da competição, e o motor Cursor 13 garantiu a terceira e quarta colocação para holandês Gerard De Rooy e o argentino Federico Villagra, respectivamente.

Em 2016, o competidor de Rooy, da equipe “Petronas Team De Rooy Iveco”, com o caminhão Powerstar 501 equipado com motor Cursor 13 com 900 cv, conquistou o primeiro lugar da competição. Outros três pilotos que correram neste ano com caminhões equipados com o Cursor 13 conquistaram posições de destaque no top 10 do ranking geral. Os pilotos Frederico Villagra, Ton Van Genugten e Pep Vila ficaram em 3º, 5º e 10º lugar, respectivamente.

Para aplicação no Rally Dakar, os motores recebem uma preparação especial no Centro de Pesquisa & Desenvolvimento da FPT em Arbon, Suíça. Fazendo uma comparação, o motor Cursor 13 para uso comercial, utilizado no veículo IVECO Stralis Hi-Way, possui 560 hp e torque máximo de 2.500 Nm. Baseado nessa diferença observada fica fácil perceber que os motores destinados a equipar caminhões que estão no Dakar são desenvolvidos e preparados para esta competição e situação extrema da aplicação.

A linha de motores Cursor 13 traz como características a alta confiabilidade, robustez, potência e rápida resposta, além do respeito ao meio ambiente, presente na tecnologia Euro VI. A seleção da nova geração do motor Cursor 13, de 13 litros, com o hardware da versão Euro VI, permitiu a entrega de 900 cavalos de potência, com torque máximo de 4000 Nm a 1000 rpm. O propulsor com 6 cilindros em linha combina as mais avançadas tecnologias, incluindo a segunda geração do sistema de injeção HD Common Rail, que proporciona mais de 2.200 bar de pressão e garante força e potência para os caminhões.

Conheça o Technical Center FPT Industrial no Brasil

Você já ouviu falar sobre o Technical Center FPT localizado na cidade de Betim (MG)?

O espaço possui uma área total de 4.085 m² e foi criado com o objetivo de atender todas as demandas da América Latina. Dividido em dois andares, com três salas para reuniões e dois salões, o diferencial do espaço é dedicado a área de pesquisa, tendo uma oficina de protótipo com 312 m² para testes e execução dos motores. O espaço ainda conta com uma área ambiental.

Em 2010, a FPT Industrial recebeu a certificação de Bronze no World Class Manufacturing (WCM) em sua fábrica localizada em Sete Lagoas (MG), e agora em 2016 recebeu a certificação de nível Prata, provando mais uma vez o padrão elevado da FPT em seus processos de fabricação.

No vídeo abaixo, com a Gabriela e o Rodrigo, você pode fazer um tour pela Technical Center e conhecer um pouco mais sobre os departamentos e etapas no processo de criação de motores, que movimentam desde máquinas gigantes até geradores de energia.

Clica aí no nosso papo com potência!

 

 

Proconve: o que esperar para 2017

Você certamente já ouviu falar (e muito) sobre o Proconve (Programa de Controle de Poluição do Ar por Veículos Automotores). Em vigor no Brasil desde 2012, o programa tem como objetivo controlar a emissão de poluentes para equipamentos pesados, seguindo um padrão adotado nos Estados Unidos e Europa.

 

O Brasil foi o primeiro país da América Latina a ter esse controle da emissão de poluentes para veículos automotores, que devem passar a emitir no máximo 0,02 g/kWh de material particulado (80% a menos) e de 2,0 g/kWh de NOx – o que representa uma queda de 60%.

 

A lei já é válida para veículos automotores rodoviários, como carros de passeio, ônibus e caminhões. A partir de 2017, os fabricantes de máquinas agrícolas também deverão adequar todos os seus produtos às normas, colocando no mercado equipamentos que não agridam o meio ambiente, a partir de 1º de janeiro.

 

Como vai funcionar?

A partir de critérios técnicos, o Proconve estabelece um limite máximo de emissão de poluentes às máquinas novas, de uso agrícola e de construção, nacionais e importadas, com potência igual ou maior de 37 kW (50 cv) até 560 kW (761 cv). Para 2017, todos os modelos com potência igual ou superior a 19 kW (25 cv) até 560 kW (761 cv) devem atender à exigência.

Esses produtos não poderão emitir mais do que 5,0 g/kWh de CO (monóxido de carbono), 4,0 g/kWh de HC + NOx (hidrocarbonetos e óxidos de nitrogênio) e 0,3 g/ kWh de MP (material particulado similar a norte-americana Tier 3).

 

Pioneirismo

A FPT é a produtora com a maior quantidade de motores homologados em conformidade com a legislação MAR-I no mercado sul-americano. Os motores menos poluentes são encontrados na nova linha de colheitadeiras, como a Axial-Flow Série 130, da Case IH, equipadas com motor Cursor 9, já homologado para atender à norma do Proconve. Além de linhas de tratores da CNH Industrial, máquinas de construção, geradores e sistemas de irrigação de diversos fabricantes.

 

Curiosidade

As emissões de NOx (óxido de nitrogênio) no mundo são de 10 milhões de toneladas por ano, provenientes de fontes naturais (1 milhão nos Estados Unidos) e 40 milhões de toneladas por ano, de fontes antropogênicas (6 milhões nos EUA) oriundas principalmente dos processos de combustão, tais como as emissões automotivas.

 

E você, está preparado para as normas do Proconve?

 

Leia mais sobre sustentabilidade em:

Reduzindo a poluição atmosférica com o Arla 32 nos motores FPT

 

 

Fábrica Brasileira da FPT Industrial celebra prata no WCM

A FPT Industrial, uma das principais produtoras de motores diesel do mundo, recebeu a certificação de nível Prata no World Class Manufacturing (WCM) em sua fábrica localizada em Sete Lagoas, MG. O WCM é um dos mais elevados padrões da indústria para a gestão integrada de unidades produtivas e seus processos de fabricação.

Inaugurada em 2000, o time de 270 funcionários passou por um processo de auditoria que avaliou diversas áreas da fábrica, onde são produzidos os motores das famílias F1, NEF e S8000. A auditoria foi realizada em diversas áreas da planta e avaliou atividades técnicas como gestão, incluindo controle de qualidade, logística, segurança, desenvolvimento pessoal e o compromisso da organização e gestores, entre outros.

Além disso, uma apresentação guiada por lideranças da planta compara melhorias e evoluções da planta e em seguida, os auditores, em companhia dos líderes, conferem se a prática está de acordo com o que foi apresentado na teoria. Nesta etapa, os profissionais percorrem toda a planta para então chegarem a uma avaliação final.
A pontuação alcançada pela FPT Industrial Brasil fez com que a mesma se equipare às fábricas de Turim e Foggia, na Itália, e da planta de Boubon Lancy, na França.

Marco Rangel, presidente da FPT Industrial LATAM comemora: “O WCM é um padrão que tem como base a melhoria contínua e a eliminação de desperdícios e perdas nos processos produtivos. Já havíamos conquistado o nível Bronze em 2010 e fechamos 2016 com essa nova e tão importante conquista, a certificação nível Prata. Elevamos nossos padrões de WCM e graças a nossos investimentos, treinamento e aos esforços de todos os colaboradores conseguimos esta nova classificação”, finaliza.

Curiosidades: acelerar ao ligar e desligar seu veículo pode danificar o motor?

Ligar e desligar o motor de seu veículo ou máquina não parece uma tarefa complicada, não é mesmo? Realmente não há nenhum mistério, mas quando envolvemos aceleração em meio a esses processos, é preciso tomar alguns cuidados.

Não se deve, por exemplo, acelerar o veículo logo após dar a partida. O ideal, para proteger do desgaste as peças como anéis, cilindros e pistões, é aguardar alguns segundos para que o óleo lubrificante circule por todo o motor. Quando não há esse intervalo de no mínimo 30 segundos entre os processos, ocorre um atrito metal-metal das peças do motor. E isso pode causar um desgaste prematuro dos componentes.

A regra vale, também, ao desligar o veículo. Depois de um longo período ligado, a temperatura do motor passa a ser muito alta. Por isso, o ideal é esperar um pouquinho, entre 30 e 60 segundos, com o veículo em marcha-lenta, para que aconteça uma boa circulação no sistema de arrefecimento. Ao reduzir a temperatura do motor, é reduzida também a rotação e uma boa lubrificação do turbo é realizada automaticamente, evitando danos e desgastes do motor.

Gostou da dica? Se tiver alguma dúvida sobre aceleração e desgaste do motor, deixe nos comentários!

Fonte: Blog da Iveco

Conheça os benefícios e as vantagens do uso do GNV

Em julho, a FPT alcançou a marca de 30 mil motores movidos a Gás Natural Veicular (GNV) vendidos em todo o mundo. Essa tecnologia equipa veículos comerciais leves, caminhões médios e até pesados, além de ônibus urbanos.

Considerado o gás mais limpo do mercado, o GNV é um gás derivado do Petróleo, composto basicamente por Metano e Etano. Os motores movidos a GNV têm uma queima muito mais limpa (geram até 80% menos CO2 que motores correspondentes a Diesel), menores ruídos (cerca de 3 dB a menos, sendo ideais para operações noturnas e em grandes centros), maiores intervalos de manutenção e geram economia de combustível superior a 20%.

Atualmente é possível produzir em fazendas ou indústrias, através da decomposição anaeróbia de matéria orgânica, um gás equivalente ao GNV – o Biometano – que, após filtrado e devidamente purificado (de acordo com os padrões estabelecidos pela ANP), pode abastecer veículos movidos a GNV sem qualquer problema ou mudança de desempenho. Ele pode ser gerado através da decomposição de restos de alimentos, dejetos e excrementos de animais, como porcos, galinhas etc. Sendo assim, o motor a GNV pode operar com Biometano normalmente, e nesses casos, a economia de combustível pode chegar a 40%, com balanço de Carbono bem próximo de zero.

Conheça outras vantagens do GNV:

– ele não é tóxico nem irritante no manuseio;

– ele é menos denso que o ar atmosférico. Por isso, em caso de vazamentos, sua rápida dissipação na atmosfera reduz a probabilidade de inflamação;

– ele é comercializado cumprindo elevados padrões de segurança, o que elimina em quase 100% a possibilidade de escape do gás para o meio ambiente, sendo, portanto uma opção sustentável;

– a formação de poucos resíduos na combustão e por ser um combustível limpo e seco, permite que não haja mistura nem contaminação ao óleo lubrificante, o que aumenta o intervalo entre as trocas de óleo.

Aplicação nos motores FPT

A FPT possui em seu portfólio motores movidos a GNV, GLP e Biometano com potências entre 100 e 280 kW, com torques de 350 a 1700 Nm. São equipados com injeção eletrônica multiponto, turbocompressor com válvula wastegate e intercooler, sistema de controle em malha fechada, com combustão estequiométrica e catalisador de 3 vias, atendendo aos mais restritos limites de emissões de poluentes.

Podem equipar veículos de distribuição urbana, coleta de resíduos, transporte de passageiros e transporte rodoviário.

Lembre-se: ao abastecer um veículo movido a GNV, desligue o motor, o rádio e o celular. Apague também os faróis e não fume. A pressão máxima de abastecimento não deve ultrapassar os 220 Kgf/cm2. Fique de olho!

Texto por: Embaixador Gustavo Teixeira.

gustavo-teixeira-pequena

FPT lança motor Cursor 9 GNV e aumenta portfólio de produtos movidos a gás natural

Sustentabilidade e responsabilidade ambiental são primordiais na criação e desenvolvimento dos motores FPT. Prova disso é o lançamento do motor Cursor 9 GNV, movido a combustível alternativo, com emissões próximas a zero e ajustável a uma transmissão automatizada para o segmento de pesados. O lançamento para a América Latina aconteceu no IAA 2016, evento de tecnologia no transporte, realizado na Alemanha.

Quando comparada a outros motores GNV presentes no mercado, a nova tecnologia tem a seu favor diversas melhorias como capacidade para funcionar com GNV, Biometano ou GLP, com consumo de combustível mais reduzido graças a seu novo processo de combustão, mais estável e que se adapta melhor a diferentes níveis de qualidade de gás. Além disso, é cinco decibéis mais silencioso que motores equivalentes com tecnologias anteriores.

“Temos mercados ideais para esta tecnologia, principalmente em países como Peru, Chile, Colômbia e Argentina”, explica o Presidente da FPT Industrial na América Latina, Marco Aurélio Rangel.

Naturalmente Poderoso

O Cursor 9 GNV carrega esse slogan e não é à toa:  ele garante equivalência em torque e potência à sua versão diesel com potências de 300 a 400 cavalos, sempre @ 2000 rpm, e torques de 1.300 a 1.700 Nm @ 1.200 rpm. O motor de seis cilindros e 24 válvulas (quatro por cilindro) pode ser abastecido com gás natural comprimido (GNV) ou gás liquefeito de petróleo (GLP). Em comparação com o diesel, as emissões de CO2 de veículos movidos a gás natural são significativamente menores. E o mais interessante: pode ser instalado em todos os tipos de configuração de tração de caminhões pesados 4×2, 6×2 e 8×2 ou em ônibus.

O motor dispensa o uso do componente EGR para recirculação de gases de escape e do SCR, para redução catalítica seletiva. No entanto, utiliza um catalisador simples de três vias localizado na extremidade do tubo de escape com uma estrutura integrada revestida por metais preciosos. Além disso, o Cursor 9 GNV possui novos injetores de combustível multiponto que permitem uma taxa de fluxo superior às versões anteriores.

Mais de 25 anos em tecnologia de motores GNV

A FPT Industrial atingiu neste ano a marca de 30 mil motores GNV vendidos ao longo de décadas de experiência no desenvolvimento de novas tecnologias em motores. Pioneira neste tipo de tecnologia, a fabricante possui amplo portfólio para operações com GNV, que inclui os motores F1C, N60, Cursor 8 e Cursor 9, com potências que vão de 136 a 400 cv. Todos aplicáveis em veículos comerciais leves, caminhões médios, semipesados e pesados, além de ônibus urbanos e máquinas agrícolas.