O que é o biogás? Saiba tudo sobre o combustível e seu potencial energético

O que é o biogás?

Artigo de Gustavo Teixeira, Especialista em Homologações de Motores da FPT Industrial

O biogás é uma mistura de gases gerada a partir da decomposição anaeróbica da matéria orgânica, oriunda de restos de vegetais ou animais. Por ser anaeróbica, o processo ocorre independente da presença de oxigênio.

O grande atrativo é que quase todo o tipo de matéria orgânica pode gerar biogás. Assim, restos de animais e plantas, vegetais descartados, excrementos de galinhas, porcos ou outros animais, resíduos de estações de tratamentos de esgotos e até mesmo aterros sanitários podem ser uma fonte do gás, que apresenta uma nova fonte de renda e energia para atividades como agricultura a pecuária.

Quais as vantagens do biogás?

O biogás produzido a partir dessas fontes tem diversas aplicações na indústria e geração de energia. Assim, tem grande potencial para ser usado como combustível.

Cuidados necessários com o biogás

Após ser filtrado e ter a sua umidade removida, o biogás pode ser usado em motores estacionários e estações de geração de energia. Porém, para casos de aplicações em veículos, como automóveis, caminhões ou ônibus, os cuidados com o biogás devem englobar a remoção dos gases inertes, como CO2 e ácido sulfídrico, obtendo-se então o biometano.

No caso do biogás gerado em aterros sanitários, é necessário ainda remover os compostos conhecidos como siloxanos, que são restos de embalagens, tintas e vernizes. Caso não sejam removidos, podem trazer sérios riscos para o funcionamento dos motores.

Após o processo de purificação do material, o biogás deve ser comprimido e armazenado em tanques ou vasos de pressão.

Biometano como solução sustentável

De todo esse processo, surge um dos mais recentes e promissores combustíveis alternativos: o biometano.

Este combustível pode ser usado no abastecimento de frota ou, caso gerado por produtores rurais, vendido para a rede de distribuição de gás, desde que atenda as especificações de qualidade estabelecidas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Além da grande quantidade de energia, sua queima em motores gera cerca de 80% menos CO2 que uma aplicação similar abastecida com diesel, o que o destaca como solução sustentável na redução dos impactos de aquecimento global.

Estudos recentes mostram que o Brasil tem capacidade para gerar biometano suficiente para substituir cerca de 40% do volume de diesel consumido no território nacional. Ou seja, um gás que até recentemente era liberado no meio ambiente, pode agora ser tratado e utilizado em diversas aplicações, gerando menos poluição, reduzindo os gastos relacionados ao combustível e representando uma nova renda potencial para produtores.

A produção do biometano no ciclo produtivo

Muitos têm feito “suas continhas” e chegado à conclusão de que vale a pena produzir, utilizar e, por que não, comercializar o biogás. O que precisa ficar claro é que esse processo não sai de graça.

Os equipamentos utilizados para purificar o gás e deixá-lo em condições de utilização ou de comercialização requerem investimento, seja através da aquisição ou locação, cujo retorno ocorre em alguns meses, dependendo do volume de gás gerado e sua utilização.

Os propulsores aptos a operarem com o biogás são os motores do ciclo otto, que operam com GNV (Gás Natural Veicular).

A FPT Industrial é líder no desenvolvimento destes motores, com cerca de 50.000 unidades já comercializadas. São motores robustos e projetados desde sua concepção para operar com combustíveis de biogás, não se tratando de modificações ou adaptações sem critério.

Os motores movidos a biometano desenvolvidos pela FPT têm desempenho e durabilidade comparáveis aos motores a diesel e trazem ainda os benefícios de um propulsor a biogás, como a diminuição nas emissões de poluentes, redução de ruído (3 a 5 decibéis) e menores custos.

Para mais informações sobre motores sustentáveis, deixe seu comentário para falar com nossos especialistas!

Conheça os benefícios e as vantagens do uso do GNV

Em julho, a FPT alcançou a marca de 30 mil motores movidos a Gás Natural Veicular (GNV) vendidos em todo o mundo. Essa tecnologia equipa veículos comerciais leves, caminhões médios e até pesados, além de ônibus urbanos.

Considerado o gás mais limpo do mercado, o GNV é um gás derivado do Petróleo, composto basicamente por Metano e Etano. Os motores movidos a GNV têm uma queima muito mais limpa (geram até 80% menos CO2 que motores correspondentes a Diesel), menores ruídos (cerca de 3 dB a menos, sendo ideais para operações noturnas e em grandes centros), maiores intervalos de manutenção e geram economia de combustível superior a 20%.

Atualmente é possível produzir em fazendas ou indústrias, através da decomposição anaeróbia de matéria orgânica, um gás equivalente ao GNV – o Biometano – que, após filtrado e devidamente purificado (de acordo com os padrões estabelecidos pela ANP), pode abastecer veículos movidos a GNV sem qualquer problema ou mudança de desempenho. Ele pode ser gerado através da decomposição de restos de alimentos, dejetos e excrementos de animais, como porcos, galinhas etc. Sendo assim, o motor a GNV pode operar com Biometano normalmente, e nesses casos, a economia de combustível pode chegar a 40%, com balanço de Carbono bem próximo de zero.

Conheça outras vantagens do GNV:

– ele não é tóxico nem irritante no manuseio;

– ele é menos denso que o ar atmosférico. Por isso, em caso de vazamentos, sua rápida dissipação na atmosfera reduz a probabilidade de inflamação;

– ele é comercializado cumprindo elevados padrões de segurança, o que elimina em quase 100% a possibilidade de escape do gás para o meio ambiente, sendo, portanto uma opção sustentável;

– a formação de poucos resíduos na combustão e por ser um combustível limpo e seco, permite que não haja mistura nem contaminação ao óleo lubrificante, o que aumenta o intervalo entre as trocas de óleo.

Aplicação nos motores FPT

A FPT possui em seu portfólio motores movidos a GNV, GLP e Biometano com potências entre 100 e 280 kW, com torques de 350 a 1700 Nm. São equipados com injeção eletrônica multiponto, turbocompressor com válvula wastegate e intercooler, sistema de controle em malha fechada, com combustão estequiométrica e catalisador de 3 vias, atendendo aos mais restritos limites de emissões de poluentes.

Podem equipar veículos de distribuição urbana, coleta de resíduos, transporte de passageiros e transporte rodoviário.

Lembre-se: ao abastecer um veículo movido a GNV, desligue o motor, o rádio e o celular. Apague também os faróis e não fume. A pressão máxima de abastecimento não deve ultrapassar os 220 Kgf/cm2. Fique de olho!

Texto por: Embaixador Gustavo Teixeira.

gustavo-teixeira-pequena

FPT lança motor Cursor 9 GNV e aumenta portfólio de produtos movidos a gás natural

Sustentabilidade e responsabilidade ambiental são primordiais na criação e desenvolvimento dos motores FPT. Prova disso é o lançamento do motor Cursor 9 GNV, movido a combustível alternativo, com emissões próximas a zero e ajustável a uma transmissão automatizada para o segmento de pesados. O lançamento para a América Latina aconteceu no IAA 2016, evento de tecnologia no transporte, realizado na Alemanha.

Quando comparada a outros motores GNV presentes no mercado, a nova tecnologia tem a seu favor diversas melhorias como capacidade para funcionar com GNV, Biometano ou GLP, com consumo de combustível mais reduzido graças a seu novo processo de combustão, mais estável e que se adapta melhor a diferentes níveis de qualidade de gás. Além disso, é cinco decibéis mais silencioso que motores equivalentes com tecnologias anteriores.

“Temos mercados ideais para esta tecnologia, principalmente em países como Peru, Chile, Colômbia e Argentina”, explica o Presidente da FPT Industrial na América Latina, Marco Aurélio Rangel.

Naturalmente Poderoso

O Cursor 9 GNV carrega esse slogan e não é à toa:  ele garante equivalência em torque e potência à sua versão diesel com potências de 300 a 400 cavalos, sempre @ 2000 rpm, e torques de 1.300 a 1.700 Nm @ 1.200 rpm. O motor de seis cilindros e 24 válvulas (quatro por cilindro) pode ser abastecido com gás natural comprimido (GNV) ou gás liquefeito de petróleo (GLP). Em comparação com o diesel, as emissões de CO2 de veículos movidos a gás natural são significativamente menores. E o mais interessante: pode ser instalado em todos os tipos de configuração de tração de caminhões pesados 4×2, 6×2 e 8×2 ou em ônibus.

O motor dispensa o uso do componente EGR para recirculação de gases de escape e do SCR, para redução catalítica seletiva. No entanto, utiliza um catalisador simples de três vias localizado na extremidade do tubo de escape com uma estrutura integrada revestida por metais preciosos. Além disso, o Cursor 9 GNV possui novos injetores de combustível multiponto que permitem uma taxa de fluxo superior às versões anteriores.

Mais de 25 anos em tecnologia de motores GNV

A FPT Industrial atingiu neste ano a marca de 30 mil motores GNV vendidos ao longo de décadas de experiência no desenvolvimento de novas tecnologias em motores. Pioneira neste tipo de tecnologia, a fabricante possui amplo portfólio para operações com GNV, que inclui os motores F1C, N60, Cursor 8 e Cursor 9, com potências que vão de 136 a 400 cv. Todos aplicáveis em veículos comerciais leves, caminhões médios, semipesados e pesados, além de ônibus urbanos e máquinas agrícolas.

Já são 30 mil motores GNV vendidos no mundo

A FPT Industrial, uma das maiores produtoras de motores industriais do mundo, tornou-se líder na Europa no mercado GNV ao alcançar neste ano a marca de 30 mil motores comercializados desde que estreou no segmento. Na América Latina, a FPT Industrial já possui clientes que utilizam a tecnologia para equipar veículos com aplicações dedicadas, bem como em ônibus urbanos.

Com um portfólio amplo para operação com GNV, a marca possui os motores F1C, N60 e Cursor 8, com performances de 100 kW (134 cv) e 350 Nm torque, a 243 kW (326 cv) e 1.300 Nm de torque. Todos aplicáveis em veículos comerciais leves, caminhões médios e pesados e em ônibus urbanos.

Em parceria com a Iveco, a FPT Industrial desenvolveu três veículos movidos a GNV que estão sendo testados. Em Porto Alegre, roda em testes o Tector 170E20G coletor de lixo equipado com o N60. Em São Paulo, outro Tector 170E20G AT coletor de lixo equipado com N60 GNV também está em fase de avaliação. Já na linha comerciais leves, ambos equipados com motores F1C, dois Daily GNV, um 35S14G na versão furgão e um Chassi Cabine para aplicação urbana, estão sendo testados em Minas Gerais e em São Paulo, respectivamente. Apesar de ser uma tecnologia recente no Brasil, os motores GNV já são amplamente utilizados em vários países ao redor do mundo.

As emissões da linha de motores GVN atendem ao limite atual para pesados no Brasil conforme a legislação PROCONVE P7 e atendem ainda ao padrão EEV (Enhanced Environmentally-friendly Vehicles), um limite de emissões europeu voluntário, entre Euro V e Euro VI, o qual demonstra que os motores são menos poluentes que os motores P7 produzidos e comercializados atualmente.