Infográfico: Entenda tudo sobre o Biodiesel

O Biodiesel é uma opção de combustível mais sustentável. Ele é produzido através de fontes renováveis e seu processo de fabricação aceita diversas fontes de matéria-prima, tendo como componentes principais óleos de origem vegetal e animal.
Além de ser uma fonte de energia renovável, sua queima libera menor quantidade de dióxido de carbono quando comparado aos combustíveis fósseis. Veja o nosso infográfico para saber mais:

Patrícia Lambertucci

Estudante de Engenharia e estagiária da FPT Industrial

Engenheiro constrói um motor utilizando impressora 3D

Motor impressão 3D

Atenção: Um artigo didático feito para você aprender sobre o funcionamento do motor e da transmissão

Apesar da impressora 3D ter se popularizado recentemente, a tecnologia não é nova: o primeiro registro de um modelo sólido impresso data de 1981, obra do pesquisador Hideo Kodama, do Instituto de Pesquisas de Nagoya, no Japão.

E, como acontece com grande parte das coisas, ao chegar às mãos de mais gente, novos e criativos usos foram surgindo, em iniciativas que tem surpreendido pela rápida solução de problemas.

Eric Harrell, um engenheiro mecânico da Califórnia, Estados Unidos, utilizou a sua impressora 3D para criar um motor e uma transmissão manual de cinco marchas.

O mais impressionante é que a transmissão é funcional e poderia, em teoria, ser montado em um veículo. Eric conta que, somente a transmissão, demorou mais de 48 horas para ser impressa e ajustada. Além disso, algumas partes pequenas precisaram ser ajustadas para melhorar o encaixe.

Componentes específicos, como hastes de 3mm, rolamentos 623zz e arruelas tiveram que ser compradas à parte, já que a impressora não atingia um nível de precisão satisfatório para que esses itens fossem corretamente funcionais.
Segundo Eric, que distribui seu projeto sem restrições no site MakerBot Thingiverse, qualquer um com uma impressora de qualidade e com habilidade em mecânica pode montar o seu próprio motor e transmissão.

Veja abaixo o motor e a transmissão impressos em 3D em funcionamento:

Comente abaixo o que você achou dessa novidade!

Como será o motor do futuro?

Aqui na FPT a inovação é palavra de ordem. Estamos sempre debruçados sobre estudos, análises e testes que consigam entregar desempenho, eficiência e economia.

Na fábrica de Sete Lagoas, Minas Gerais, são produzidos os motores F1 e NEF e é lá que algumas evoluções de cada uma dessas linhas ganhou forma.

Com essas evoluções em mente, como seria o motor do futuro? Que tipo de combustível ele vai consumir, como ele vai garantir desempenho e economia, em quais condições de proteção ao meio ambiente eclético será produzido? Listamos abaixo algumas tendências que podem virar realidade em breve, para todos os segmentos automotivos.

AUTONOMIA DE CONDUÇÃO

Marchas, aceleração, demanda de torque, ativação de turbo e outros recursos podem não depender do condutor. Com alta tecnologia embarcada, os motores serão capazes de identificar falhas e oportunidades de desempenho durante os trajetos e assim, autorregular seus índices.

Combustíveis alternativos

Você não conhece outros combustíveis além do diesel? Essa agonia pode acabar em breve. Marcas famosas de automóveis já vêm testando soluções para que nossos veículos do futuro precisem de uma carga (possam ser recarregados) para sair rodando por aí, assim como seu celular.

PESO

Os motores são máquinas naturalmente pesadas, dado o seu volume de materiais, sistemas e proteções. No futuro, materiais mais resistentes vão tomar o espaço dos tradicionais aço, cobre, latão e outros. Além de baratear a produção, essa perda de peso vai garantir menos consumo de combustível e mais agilidade e facilidade de manobra. (A FPT já está em constante trabalho para utilizar na sua gama de motores o que há de melhor em relação a ligas metálicas. Por exemplo, nossos motores F1A e F1C já nasceram com cabeçotes de alumínio, o que não só reduz o peso do motor, como também melhora a troca térmica)

Quais são os seus palpites quanto ao motor do amanhã? Deixe seu comentário 🙂

  1. Nanotecnologia: Utilização de fluidos e materiais com nanotecnologia embarcada para reduzir a valores próximos de zero as perdas de energia por atrito
  2. Smart Systems: Utilização cada vez maior de sistemas inteligentes acoplados ao motor que, acionados sob demanda, permitem reduzir a perda de energia. Ex: Smart Alternator, Start Stop…