Por que é necessário lubrificar o motor?

Com certeza, você já ouviu falar que os óleos lubrificantes são parte essencial do motor. Mas você sabe por quê? Conhece todas as suas funções ou que ele é usado até na vedação? Que se usado de forma errada pode ocasionar até a perda do motor?

Preparamos este post para lhe explicar tudo sobre ele, tirando as dúvidas e mostrando sua importância no funcionamento dos motores FPT.

A importância do lubrificante e como ele atua

O óleo lubrificante é considerado um componente do sistema do equipamento e sua utilização correta é fundamental para o funcionamento do motor. Na FPT, nossos modelos passam por uma variedade de testes para avaliar e verificar qual o lubrificante correto e os períodos de troca.

Suas funções são:

  • Lubrificação: ele é responsável por separar as partes móveis e, assim, reduzir atrito e, consequentemente, o desgaste das peças.
  • Resfriamento: alguns componentes do motor possuem o óleo lubrificante como a primeira linha para dispersão de calor, e o lubrificante tem grande importância no processo de controle da temperatura.
  • Vedação: na viscosidade correta, ele trabalha impedindo vazamentos no sistema, além de ter um papel primordial na vedação da câmara de combustão, o que auxilia na redução de consumo e aumento da eficiência do motor.
  • Dispersão: o lubrificante possui aditivos que atuam como agentes dispersantes no sistema que impedem a aglomeração dos contaminantes e os mantêm em suspensão no óleo para que eles sejam descartados com a parte antiga, no momento da troca.
  • Detergências: os aditivos também funcionam como detergentes, removendo depósitos e impedindo a formação de novos depósitos nas galerias do motor.

Como usar corretamente

Para saber se você o está utilizando corretamente, a indicação de nossos embaixadores é acompanhar de perto a quilometragem ou o intervalo de troca de óleo, recomendado no manual de instruções. O período de troca de óleos e filtros é escolhido através de um grande estudo da FPT e garante a durabilidade de seu motor.

Uma boa dica é que a CNH Industrial disponibiliza um serviço de análise de óleo através de seus concessionários. Esse diagnóstico pode antever quaisquer problemas de degradação do óleo ou desgastes anormais no sistema causados por agentes externos.

É hora de trocar?

Há duas formas de checar se seu óleo já está envelhecido e a hora para trocar: o cumprimento dos períodos de troca e através de análises periódicas pelos profissionais indicados, pois não há nenhuma análise visual ou subjetiva que possa gerar essas informações e garantir a integridade do lubrificante.

Como escolher o melhor?

Você deve sempre seguir as orientações da FPT para o modelo do seu motor. Veja as classificações API e SAE recomendadas pelo fabricante (exemplo: SAE 15W40 API CI4) e tenha cautela ao ouvir opiniões de terceiros. Muitos mecânicos recomendam uma linha diferente da orientada, falando que há aditivos que são superiores, mas a diferença na composição do lubrificante pode comprometer seu equipamento, já que as peças não foram desenvolvidas para aquele tipo de elemento.

Agora você está por dentro de todas as informações sobre lubrificantes, como mantê-los sempre ok e garantir a durabilidade de seu motor. Gostou do post? Comente aqui abaixo.

Mitos envolvendo o óleo do motor

Quando se trata de óleo lubrificante para motores, existe uma grande variedade de dicas, informações e mitos para indicar o seu melhor uso. Mas como saber o que é verdade ou mentira quando se trata desse componente essencial para o funcionamento do motor?

Não é muito fácil, e seguir esse tipo de orientação pode acabar prejudicando seu motor e até fazer você gastar uma boa quantia em manutenção. Para ajudar você, a FPT desmitificou os principais na lista a seguir. Vamos lá?

Veículos com muitas quilometragens devem utilizar óleo grosso

Não há nada que comprove isso, o óleo deve se manter de acordo com as especificações recomendadas no manual do veículo. O óleo grosso pode ser um indício de problema na composição e comprometer a durabilidade e as peças do veículo.

Lubrificantes mais densos também podem demandar mais do motor, necessitando gerar mais energia para se movimentar, o que sobrecarrega os componentes internos e aumenta o gasto de combustível.

Postos de gasolina e oficinas são os melhores lugares para trocar óleo

Todo mundo tem um mecânico ou um posto de confiança, mas devemos ter muito cuidado quando se trata do óleo do motor. Você sempre deverá ficar atento às classificações API e SAE recomendadas pelo fabricante (exemplo: SAE 15W40 API CI4) e que o produto que você irá utilizar esteja de acordo com as recomendações da FPT.

Muitos profissionais tendem a indicar óleos diferenciados, com aditivos, alegando que são superiores aos outros, mas isso não é uma verdade absoluta. Por isso, a recomendação é seguir a orientação do fabricante.

Além disso, temos que ficar atentos ao momento em que o verificamos. Normalmente, olhamos na hora de abastecer, mas o mais indicado é quando o motor estiver frio e o óleo todo depositado no cárter, ou seja, verifique antes de sair para andar com o carro.

Isso garante que todo o lubrificante escorreu para o compartimento e o nível é o real. Quando o motor está quente, o óleo está em movimento e dará a impressão de que há um volume menor do que o real.

Escurecimento do óleo é indicação de necessidade de troca

A alteração na cor do lubrificante é normal, ocasionada pelo fato de que o óleo contém detergentes e dispersantes que têm função de promover a limpeza interna do motor. Com isso, ocorre o escurecimento do líquido. Mas não significa que o óleo esteja comprometido ou vencido, ele está simplesmente cumprindo suas funções, que podem ser separadas da seguinte forma:

  • Lubrificação: separação das partes móveis, reduzindo o atrito e evitando o desgaste.
  • Resfriamento: alguns componentes do motor têm o óleo lubrificante como sua primeira linha para dispersão de calor, e o lubrificante tem grande importância no processo de controle da temperatura.
  • Vedação: o lubrificante na viscosidade correta trabalha impedindo vazamentos no sistema, além de ter papel primordial na vedação da câmara de combustão, o que auxilia na redução de consumo e aumento da eficiência do motor.
  • Dispersão: o lubrificante tem aditivos que trabalham como agentes dispersantes no sistema e que impedem a aglomeração dos contaminantes e os mantêm em suspensão no óleo para que eles sejam descartados com o óleo antigo no momento da troca.
  • Detergência: aditivos presentes no lubrificante agem como detergentes, removendo depósitos e impedindo a formação de novos depósitos nas galerias do motor.

Olhar o óleo é a maneira correta de verificar alterações

Nada disso! Não há uma análise visual que possa comprovar o estado do óleo, por isso, é necessária a realização periódica do óleo e respeitar os prazos de troca estabelecidos pelo fabricante. Não fique rodando com óleo “envelhecido”. Com o tempo, ele vai perdendo suas propriedades e pode prejudicar o motor.

Agora você já sabe quais orientações seguir, quando se trata de óleo lubrificante. Lembre-se de buscar informações só com especialistas e em fontes confiáveis para não comprometer o funcionamento do seu veículo.

Gostou do nosso post? Compartilhe com os amigos!

Fonte: FPT/Carros UOL

Como aumentar a durabilidade do motor?

aumentar a durabilidade do motor

Você sabia que dicas simples de cuidado e manutenção de seu motor podem prolongar sua vida útil para bem mais dos seis dígitos de quilometragem? Como todo equipamento, ele também precisa de cuidados para garantir um bom desempenho.

Por isso, separamos algumas dicas para você ter sempre em mente que irão garantir a durabilidade e longevidade do coração de seu veículo.

Fique de olho na manutenção preventiva

Todo manual da FPT vem com a informação sobre o momento certo para fazer a manutenção preventiva dos equipamentos e veículos em que seus motores estão presentes. Ela é imprescindível, pois é uma avaliação de como todos os componentes do motor estão se comportando, se há uma falha ou algo funcionando de forma irregular.

Isso garante sua segurança e previne problemas mais severos.

Respeite os intervalos de troca de fluidos

Os fluidos de lubrificação, arrefecimento, óleos, filtros, etc. possuem data de validade e se desgastam. Por isso, respeite a data indicada para evitar atritos e desgaste das peças internas de seu equipamento. Além disso, é bom sempre verificar os níveis desses fluidos para garantir o funcionamento correto do motor.

Outra dica é não usar óleos de origem duvidosa. Tenha sempre conhecimento da procedência e qualidade do que está comprando e siga as recomendações do fabricante para evitar dores de cabeça e até que seu motor se funda.

Utilize o óleo diesel específico para seu motor

Confira sempre a indicação de óleo diesel para seu equipamento/veículo. Por exemplo, motores que utilizam um pós-tratamento para redução de emissões, como o SCR, DPF e ureia, devem sempre utilizar o diesel S10.

Cuidado na hora de ligar e desligar

Pode parecer besteira, mas há uma dica para garantir a durabilidade do motor. Sempre ao ligar ou desligá-lo, aguarde um minuto em marcha lenta para garantir a estabilização da pressão de óleos e temperaturas.

Opere apenas dentro das especificações

Por fim, evite transitar fora das especificações do equipamento. Por exemplo, não ultrapasse o limite da carga transportada, evite longos períodos de marcha lenta, etc. Ler o manual do equipamento é fundamental para que ele tenha uma longa durabilidade.

Seguindo essas instruções, você vai garantir mais uns bons anos para o seu motor. Achou essas dicas válidas? Compartilhe com seus amigos!

Qual o papel do eixo de transmissão no motor?

O sistema de transmissão ou eixo de transmissão é o grande responsável por transmitir a força, do motor para as rodas do veículo. Esse é um processo minucioso que ocorre devido a diversos componentes que você conhecerá no artigo de hoje!

Embreagem

A embreagem é o primeiro conjunto de componentes do sistema de transmissão. É acoplado diretamente no motor, sendo acionada pelo motorista no momento de troca de marchas do veículo. O movimento é transmitido do pedal para a embreagem por um cabo ou circuito hidráulico.

Eixo primário

O eixo primário, faz parte da transmissão e possui diversas engrenagens relacionadas ao eixo secundário, que define a relação de saída para o diferencial. Quando a embreagem for acionada, será transmitida a rotação e força do motor para o eixo primário.

Diferencial

O diferencial é o dispositivo responsável por transferir e distribuir o torque aos semieixos, que geralmente estão girando em direções opostas. Essa distribuição e transferência é feita de forma uniforme, possibilitando que cada eixo funcione em diferentes rotações e velocidades.

Semieixos

Por fim, as saídas do diferencial são transmitidas para as rodas do veículo com o uso dos semieixos. Quando esse processo termina, a rotação e torque chegam até as rodas e fazem com que o veículo se movimente.

Gostou do artigo? Lembre-se de deixar seu comentário! ?

Nova geração do motor F1A chega ao mercado nacional em 2018

Um dos motores mais vendidos pela FPT no mundo inteiro, o F1A ficou ainda mais potente, gerando 130 cv e com capacidade para até 2.3L. Produzido pela FPT Industrial em Sete Lagoas (MG), o motor F1A é resultado dos últimos anos de desenvolvimento dessa família focada em veículos comerciais leves, sempre alinhada com os principais critérios da FPT: máximo rendimento e performance, com conforto e confiança.

Esta nova geração de motores F1A chega ao mercado nacional equipando os modelos 2018 do novo Fiat Ducato, lançado no Centro de Treinamento da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), em Campinas (SP).

Nova versão do F1A

A nova geração do F1A também ficou mais silenciosa, com menos vibrações e ruídos, produzindo até 5db a menos que os seus principais concorrentes, assegurando o conforto e a segurança do motorista durante o ciclo de trabalho. Além disso, esta geração vem equipada com a nova transmissão de seis marchas e teve o regime do motor otimizado, melhorando sua eficiência nas ruas e estradas e diminuindo ainda mais o consumo de combustível. Um grande upgrade!

Outro detalhe interessante do F1A é a sua injeção Common Rail de última geração, com quatro válvulas por cilindro, sistema de válvula hidráulica que dispensa manutenção e sistema de admissão de ar avançado. Você sabe o que isso significa? A distribuição de potência e torque é feita de maneira inteligente para que o desempenho e a economia de combustível ocorram em qualquer situação.

Mais tecnologias embutidas

O F1A também conta com o sistema EGR, que recircula os gases de escape, sendo a melhor solução disponível para manter as emissões dentro dos limites estabelecidos pelas normas Proconve L6/Euro 5.

Quando abordamos os aspectos econômicos, ele é um dos motores com menor custo operacional da categoria, devido à não utilização do Arla 32, que está associado ao baixo consumo de combustível até 10% a menos em relação ao seu principal concorrente, segundo o Inmetro. E alinhado ao turbocompressor do tipo Wastegate, proporcionando mínimo consumo e resposta imediata na aceleração.

Os sistemas de refrigeração foram otimizados, o que tornou o propulsor mais compacto, contribuindo com a eficiência termodinâmica e leveza do equipamento. Como resultado dessa inovação, a instalação do motor ficou mais fácil e, consequentemente, as operações de manutenção mais rápidas. Vibrações e ruídos são os menores registrados do mercado, o que garante produtividade e sustenta o longo ciclo de vida do propulsor FPT Industrial F1A.

Agora queremos ouvir você! Comente abaixo suas impressões e o que achou das mudanças.

Grandes vilões para os motores

No dia a dia, sempre pensamos em deixar nossos veículos limpos e organizados, além de tomarmos cuidado com os pneus e itens de segurança. Mas você tem dado a atenção certa para uma das peças mais importantes, o motor?

Temos que ficar atentos, pois existem cuidados que devem ser incluídos na rotina de atenção com o veículo para que nenhum grande problema aconteça com ele. Listamos alguns elementos e situações que podem se tornar os vilões para o seu equipamento.

Lavagem incorreta

Naturalmente, com o passar do tempo, o motor começa a acumular sujeira, ficando com um aspecto desagradável. Porém, é preciso ter muita atenção na hora de iniciar a lavagem, já que o procedimento possui especificações para não causar nenhum dano irreversível à peça.

A pressão, excesso e até o contato com a água e a composição química de produtos de limpeza são alguns dos fatores que podem comprometer o desempenho e funcionamento do seu motor. Assim, o interessante é enviar seu veículo a empresas especializadas nesse tipo de procedimento para não ter uma grande dor de cabeça depois.

Óleo envelhecido

Para se manter em movimento, o motor precisa ser lubrificado constantemente. Assim, é de extrema importância verificar o nível e a data de troca do óleo, um hábito que poucos brasileiros possuem.

Rodando com o óleo fora do prazo ou muito abaixo do nível máximo da vareta, você faz com que ele perca suas funções e deixe de limpar, proteger e ajudar na refrigeração das peças do motor. Assim, pode ocorrer o maior pesadelo de qualquer motorista: ter o motor fundido

Falta de água

Pense, qual a última vez que você verificou o tanque de água do seu companheiro? Pois é, esse também é um item que grande parte das pessoas esquece e, se o volume estiver abaixo do indicado, pode afetar o funcionamento do cabeçote, que pode queimar e acabar fundindo o motor.

Peças falsificadas

Na FPT, as peças desenvolvidas para os seus motores possuem os padrões e medidas específicas para cada elemento que os compõem. Isso garante que não ocorram vazamentos, que os itens estejam vedados e bem encaixados, que não haja atrito entre as peças, etc.

Quando você opta por peças genéricas, elas podem ter espessuras, tamanhos e serem feitas de outros materiais incompatíveis com seu modelo e podem acabar agravando o problema em curto prazo.

Agora, você conhece alguns itens e fatores que podem prejudicar seu motor. Fique de olho e evite ficar na mão!

Gostou de nosso texto? Então, compartilhe com seus amigos!

Cursor 13 da FPT é destaque na Africa Eco Race e Rally Dakar 2018

A FPT tem um apreço especial pelas corridas, por isso, dedica parte de sua produção para criar soluções para a área, tanto que está participando de dois dos mais famosos ralis de 2018: o Dakar e o Africa Eco Race. A marca está fornecendo quatro motores Cursor 13, desenvolvidos especialmente para os pilotos das equipes competidoras da IVECO, e também participa como patrocinadora técnica das equipes nos eventos.

A Equipe Petronas de Roov IVECO ingressou na corrida com cinco caminhões Powerstar. Gerard De Rooy, líder da equipe, e Wuf Van Ginkel participam do Africa Eco Race, enquanto Artur Ardavichus e Ton Van Genungten marcam presença no Dakar.

Sobre o Cursor 13

Os veículos são equipados com a versão de 13 litros do Cursor 13 que é reconhecida por sua confiabilidade em missões de longa distância na estrada, assim como em aplicações agrícolas, em tratores e colheitadeiras.

Porém, para as pistas, os propulsores foram trocados e desenvolvidos para atingir uma potência máxima de até mil cavalos. Os componentes comprovaram sua força e desempenhos superiores, conquistando os terrenos mais desafiadores, também nas edições anteriores do Dakar.

Geração de energia

Além de estar dentro dos caminhões, a FPT também está marcando sua presença no Dakar como geradora de energia. A marca fechou uma parceria com a fornecedora oficial do evento, a Himoinsa, para disponibilizar equipamentos nos acampamentos dos competidores. Serão oito conjuntos de geradores HPCW-500 D5-6 Power Cube, com motores FPT C13TE7. Pelo fato de serem de dupla frequência, eles poderão operar nos acampamentos do Dakar, no Peru, com 60 Hz, assim como na Argentina e na Bolívia, onde os geradores estão funcionando a 50 Hz.

E, aí? O que você está achando das disputas? Comente aqui abaixo para quem vai a sua torcida!

Motores do Exército

Você já se perguntou quais são as necessidades de um motor do exército? A FPT sim e, por isso, foi a responsável por desenvolver os novos motores do anfíbio Guarani, que contam com uma alta potência e torque para terem um bom desempenho nas estradas de asfalto e terra, além de áreas com água.

O grande diferencial do anfíbio Guarani está na força e capacidade de levar até 11 pessoas em cada veículo. Outro ponto interessante é seu motor flex, que se difere dos veículos tradicionais. Enquanto eles aceitam etanol e gasolina, o motor FPT Guarani aceita diesel e querosene de aviação. Essa diferença é uma medida de segurança, já que em caso de emergência podem ser utilizados postos de aeronaves como auxílio.

Bom, agora vamos vê-lo em movimento! Assista ao vídeo abaixo e veja por que o exército brasileiro escolheu a FPT:

Temos certeza que você achou esse post interessante! Então, compartilhe com seus amigos e comente aqui abaixo.

 

Linha NEF: quando a versatilidade se une ao bom desempenho

Quando você pensa em um motor, qual a primeira coisa que passa pela sua cabeça? Com certeza é sobre a potência dele. Mas nossos engenheiros vão muito além desse quesito na hora de desenvolver um novo modelo. Eles levam em consideração suas aplicações, emissões de poluentes, a segurança, entre outros.

Por isso, quando criaram a linha NEF, levaram a mais alta tecnologia para os modelos para garantir que eles fossem um grande diferencial no mercado. Ainda não está convencido sobre os diferenciais dessa linha? Siga em frente e conheça cada um deles.

  • Potência e eficiência: a linha possui motores que vão de 140 até 570 cv e sua densidade de potência é alinhada com a da concorrência.
  • Desempenho: possui um pacote de arrefecimento de alto desempenho que foi desenhado para aplicações severas e para manter a performance mesmo em ambientes agressivos.
  • Injeção eletrônica: Common Rail com Turbocompressor de alta eficiência.
  • Versões: disponível em versões de 4 e 6 cilindros, os motores NEF oferecem torques altos e constantes para os veículos.
  • Versatilidade: por ter uma grande flexibilidade de design, os motores dessa linha são adaptáveis às necessidades do mercado, podendo ser usados em geradores de energias, máquinas agrícolas e de construção, embarcações e veículos.

 Como você pode ver, a linha NEF possui características únicas que fazem seus motores serem compactos, confiáveis e versáteis, atendendo às necessidades do mercado e do cliente em várias aplicações.

E você? O que achou depois de ler? Comente aqui abaixo!

 

Natureza e motor MAR-I: o que eles têm em comum?

Devido a uma nova regulamentação em vigor neste ano, os motores das máquinas agrícolas e rodoviárias precisam possuir uma tecnologia para controle de ruído e poluição. Os motores MAR-1 vão ao encontro dessa necessidade. Essa novidade da FPT garante a queda de até 60% de poluentes em relação aos motores anteriores.

Para explicar com detalhes os benefícios dos motores MAR-1, a FPT convidou o Renato Cícero, Gerente de Suporte ao Produto da nossa marca, para bater um papo com potência.

Gostou do vídeo? Então, não esqueça de compartilhar com seus amigos pelas suas redes.