Você conhece o Cursor 9 Bi-Fuel?

O Cursor 9 da FPT foi criado pensando em oferecer mais rentabilidade e economia, aliadas à sustentabilidade. Essa linha de motores oferece duas possibilidades de potência: a de 330 cavalos (1.300 Nm) e a de 360 cavalos (1.500 Nm). Além disso, possui seis cilindros, capacidade de nove litros, sistema de injeção common rail e utiliza o sistema de redução catalítica SRC, que já está dentro das normas solicitadas pelo Proconve-P7. O motor conta com o sistema “Bi-Fuel”, o qual permite a utilização de Diesel e/ou Etanol.

Em questão de economia, o motor bicombustível alcança uma taxa de substituição de até 40% sobre a quantidade de diesel utilizada, com uma performance dinâmica idêntica à de um motor diesel normal.* Esse sistema contribui também para a redução do uso de combustíveis fósseis, além de otimizar o potencial de utilização da energia da cana de açúcar.

Outras vantagens nesse sistema são a economia no custo de combustível por quilômetro rodado, além de se alcançar um motor 100% reversível ao diesel*, sendo possível utilizá-lo somente com este combustível, caso seja essa a preferência do transportador, o que valoriza a revenda do veículo.

O Cursor 9 é ideal para aplicações rodoviárias de curtas e médias distâncias, além de off-road e agricultura. Alguns dos veículos comerciais que já utilizam esse motor são: o Iveco Stralis, as colheitadeiras CR6080 e CR9060 da New Holland Agriculture, o trator Magnum e as colheitadeiras A8000, A8800 e Axial-Flow 7230 da Case IH.

Manutenção preventiva pelo melhor funcionamento do motor

Todas as máquinas, equipamentos e automóveis necessitam passar por uma revisão depois de determinado tempo de uso para evitar possíveis problemas ocasionados pelos desgastes das peças. A assim chamada manutenção preventiva busca manter o motor em seu melhor funcionamento.

A intenção de realizar uma manutenção preventiva é reduzir a probabilidade de falhas de seu motor e de seu equipamento/máquina em geral. Estas inspeções organizadas reparam e ajustam defeitos e variações das peças, dessa forma evitando anomalias e irregularidades. Além disso, reduz o risco de fundir o seu motor.

Normalmente, o período recomendado para uma revisão vem de históricos dos fabricantes ou de certos quilômetros rodados. Enquadram-se nessa categoria as revisões sistemáticas do equipamento, as lubrificações periódicas, os planos de inspeção de equipamentos e os planos de calibração e de aferição de instrumentos. Em um automóvel, uma revisão implica em inspecionar os freios, sistema de arrefecimento, filtro de ar e combustível, troca de óleo, velas, alinhamento e balanceamento.

Manter-se em dia com as manutenções preventivas é uma boa forma de economizar dinheiro, uma vez que um motor desregulado e com peças desgastadas consome mais combustível e diminui o seu rendimento e desempenho. Realizar estas revisões é válido para todas as máquinas e veículos, mesmo aqueles que não estejam em uso regularmente. Mesmo parados, os motores poderão sofrer desgastes naturalmente.

É importante considerar também que manter nossas máquinas e automóveis em bons estados e revisados significa contribuir também para a preservação do meio ambiente. Na maioria das vezes, um equipamento emite mais gases poluentes do que o normal quando não está em dia com a manutenção.

São benefícios da manutenção preventiva: Redução do envelhecimento ou degeneração do equipamento; bom estado técnico e operacional; prevenir interferências externas que irão gerar alto custo para corrigi-los; reduzir riscos de falhas e quebras; manter-se conservado.

Então não dê bobeira, faça já a sua manutenção preventiva e evite dores de cabeça.

E lembre-se: Consulte sempre o manual do seu veículo para estar antenado nas revisões.

Como funciona um motor de combustão interna

Uma dúvida geral – que até poderia ser considerada uma curiosidade – é saber como funciona um motor de combustão interna. O processo é bem simples e neste post vamos explicar todos os passos. A combustão nada mais é do que a reação química entre dois reagentes ou mais, gerando a liberação de energia.

O motor de combustão convencional (também conhecido como motor de explosão) funciona em quatro processos distintos, ou seja, quatro tempos. São eles: entrada de combustível e ar, compressão destes dois elementos, explosão e escapes destes gases formados no processo.

Admissão: uma das válvulas do cilindro é aberta para trazer ar e combustível e o pistão desce aspirando esta mistura.

Compressão: a mistura dos dois elementos é comprimida. A válvula é fechada e o pistão sobe.

Explosão: a válvula permanece fechada e a mistura comprimida na câmara de combustão recebe uma faísca. Graças à expansão dos gases, o pistão desloca-se para baixo.

Escape: outra válvula ligada ao escapamento é aberta e o pistão sobe, empurrando para fora os gases queimados. Também conhecido como etapa de exaustão.

Os motores costumam possuir quatro cilindros, cada um localizado nas fases descritas acima. Dessa forma, sempre haverá um cilindro diferente na fase da explosão, transferindo energia para o motor.

Esta denominação de motor de combustão interna é referente a motores que utilizam os próprios gases gerados na combustão como “forma” de trabalho. Estes próprios gases gerados realizam as etapas de compressão, aumento de temperatura que ocasiona na queima dos gases, expansão dos mesmos e, finalmente, exaustão.

Este tipo de motor é popularmente conhecido como motor de explosão, porém sugere uma atividade que não ocorre. A explosão de fato não acontece, mas sim um aumento de pressão interna decorrente da alta temperatura/queima dos gases.

Simples, não é?

Torque e Potência – Conceito e Aplicação em Motores On Road

O torque e a potência desempenham um papel de extrema importância no motor de um veículo. Mas você sabe o que significa cada uma dessas terminologias e suas devidas aplicações em um automóvel? O Blog da FPT explica.

A potência é a energia produzida pelo motor por determinado tempo, ou seja, a rapidez com que ele pode trabalhar. Medimos ela em “cavalos”, através de um dinamômetro. Este instrumento impõe uma determinada carga ao motor, resultando na medição da quantidade de potência que ele pode produzir em cima desta carga. O resultado é a quantidade de trabalho mecânico fornecido pelo motor em um determinado tempo. É desse resultado que calculamos a potência gerada.

Já o torque é a capacidade do motor de produzir movimentos rotativos. Normalmente é medido em kgfm (quilograma x força x metro). Quanto maior o torque, melhor o motor responderá às acelerações. Em um veículo, quanto maior o torque, mais rápido ele sairá do lugar, ou seja, maior a capacidade de aceleração.

Mas qual seria a diferença entre estes dois conceitos? É importante saber que o torque e potência são processos complementares. O torque está ligado a um curso grande do pistão, a baixa velocidade dos gases na explosão e na exaustão. Já a potência está relacionada a maior velocidade de explosão e eliminação dos gases e ao pequeno curso do pistão. Em outras palavras: torque é a força que um motor disponibiliza, e potência, a capacidade com que transforma o combustível em energia mecânica.

Importância do turbocompressor para os motores atuais

Essa semana tive um problema mecânico que me fez interromper a viagem, e infelizmente passei a noite no trecho aguardando socorro, e até o fechamento dessa coluna, ainda não tinham descoberto o que ocorreu com o caminhão.

Antes de ele apresentar pane, vindo a parar totalmente, o veículo veio perdendo força por alguns momentos, e nessa hora o turbo não acionava, deixando o motor “maçarico” (denominação para os motores não equipados com turbo), e foi aí que percebi de fato a enorme importância do turbocompressor para o bom desempenho do cargueiro.

Para quem não sabe como é o sistema e como funciona, o turbo, basicamente, é um equipamento constituído de um eixo e paletas envolvidos por uma concha e, que aproveita a passagens dos gases do escape, para injetar ar comprimido e com maior densidade através da força centrífuga, aumentando sensivelmente o desempenho do propulsor.

Muitos não sabem, não somente na potência que o turbo atua, mas também, auxilia na otimização da mistura ar/combustível, e com os atuais empregos de tecnologia nas novas gerações de turbocompressores, se tornaram peças fundamentais para a diminuição da poluição e consumo de combustível.

Por conta das características dos motores diesel, o emprego do turbo só trás vantagens e hoje praticamente não se encontram mais motores diesel sem turbo,  ao contrário dos motores a gasolina por exemplo, que dependendo da instalação, pode vir a comprometer o consumo e durabilidade do propulsor, no motor ciclo diesel esse problema não ocorre, ao contrário, esses fatores são melhorados, sendo assim fundamentais hoje em dia.

Outro exemplo claro da importância dele, é na nova geração de motores da FPT empregados na linha Iveco  Stralis 2017, onde entre diversas mudanças, o turbo recebeu modificações, para que os motores ganhassem aumento de potência e torque.

Com tudo isso, podemos notar a importância desse equipamento para os motores atuais não acham? Porém, cuidados são necessários para que ele tenha uma vida útil bastante produtiva. Cuidados com vazamentos de óleo lubrificante, limpeza do filtro de ar e combustível de melhor qualidade são ações de extrema importância para deixar o turbo em perfeitas condições e sempre disponível.

Então amigo caminhoneiro, se atente as condições do turbo equipado em seu caminhão para que não ocorram surpresas. No meu caso o problema não foi com ele, mas foi o suficiente para que eu percebesse a importância dele, mas se o problema for diretamente relacionado ao turbo, pode ser o fim da viagem, o atraso na entrega, o risco de estar quebrado no trecho.

Portanto, verifique as condições do equipamento e boa viagem.

Até a próxima.

Fonte: Blog da Iveco/Wagner Araújo.

Já são 30 mil motores GNV vendidos no mundo

A FPT Industrial, uma das maiores produtoras de motores industriais do mundo, tornou-se líder na Europa no mercado GNV ao alcançar neste ano a marca de 30 mil motores comercializados desde que estreou no segmento. Na América Latina, a FPT Industrial já possui clientes que utilizam a tecnologia para equipar veículos com aplicações dedicadas, bem como em ônibus urbanos.

Com um portfólio amplo para operação com GNV, a marca possui os motores F1C, N60 e Cursor 8, com performances de 100 kW (134 cv) e 350 Nm torque, a 243 kW (326 cv) e 1.300 Nm de torque. Todos aplicáveis em veículos comerciais leves, caminhões médios e pesados e em ônibus urbanos.

Em parceria com a Iveco, a FPT Industrial desenvolveu três veículos movidos a GNV que estão sendo testados. Em Porto Alegre, roda em testes o Tector 170E20G coletor de lixo equipado com o N60. Em São Paulo, outro Tector 170E20G AT coletor de lixo equipado com N60 GNV também está em fase de avaliação. Já na linha comerciais leves, ambos equipados com motores F1C, dois Daily GNV, um 35S14G na versão furgão e um Chassi Cabine para aplicação urbana, estão sendo testados em Minas Gerais e em São Paulo, respectivamente. Apesar de ser uma tecnologia recente no Brasil, os motores GNV já são amplamente utilizados em vários países ao redor do mundo.

As emissões da linha de motores GVN atendem ao limite atual para pesados no Brasil conforme a legislação PROCONVE P7 e atendem ainda ao padrão EEV (Enhanced Environmentally-friendly Vehicles), um limite de emissões europeu voluntário, entre Euro V e Euro VI, o qual demonstra que os motores são menos poluentes que os motores P7 produzidos e comercializados atualmente.

Motores FPT para veículos Off Road: inovação e cuidados com o meio ambiente

Para atender às necessidades exigidas pelas aplicações Off Road, sejam elas para terraplanagem, construção, agricultura, irrigação ou máquinas especiais, cada tipo de motor é projetado com uma estrutura inovadora, com cabeçote multiválvulas, turbocompressores de geometria fixa ou variável, sistemas de injeção mecânica e sistemas de injeção Common Rail de pressão controlados eletronicamente.

E, mais uma vez, dedicamos uma atenção especial às questões ambientais: os níveis de ruído dos motores foram reduzidos ainda mais, enquanto o moderno sistema de recirculação de gases de exaustão (escape) evita sua emissão na atmosfera. Para atender aos limites de emissões impostos pelas normas do Tier 3, a estratégia da FPT Industrial é baseada na diferenciação das tecnologias disponíveis para satisfazer os critérios de custo, tamanho e consumo para cada aplicação. Especialmente, a FPT oferece a tecnologia EGR (Recirculação de Gases de Escape) externa combinada com um DPF (Filtro de Partículas Diesel) para os motores da série F1. Para um uso mais intenso em todos os motores das séries NEF e CURSOR, a FPT oferece um sistema de SCR (Redução Catalítica Seletiva) de alta eficiência, que processa gases de escape com um líquido catalisador (DEF/AdBlue). Assim, ocorre uma redução considerável dos custos de operação e manutenção.

E aí? Já operou algum veículo Off Road com a tecnologia da FPT Industrial? Conte sua experiência pra gente nos comentários!

Motores marítimos FPT: Barcos equipados por tecnologia confiável e segura

O setor marítimo também conta com o design, a confiabilidade e os baixos custos de operação e manutenção dos motores da FPT Industrial. Os motores de embarcações, que abrangem 4 séries e várias versões, de 15 a 825 HP, permitem o acompanhamento da evolução dinâmica do mundo marítimo profissional e de passeio.

As tecnologias e os métodos de produção aplicados aos barcos são: Common Rail de alta pressão e sistemas de injeção UI (Unidade de Injeção), alimentação por 4 válvulas por cilindro, gerenciamento eletrônico completo com otimização da potência e do consumo, emissões baixas, proteção do motor, diagnóstico e programas de segurança. Entre os recursos dessa linha destacam-se a saída especial alta, as relações de peso/potência e volume/potência reduzidas, o ruído e as emissões de gás de escape baixos, tudo em conformidade com as principais normas do setor marítimo (IMOMARPOL – 2003/44/EC – 2004/26/EC – CCNR – EPA). Vale ressaltar que todos esses recursos atendem a requisitos rigorosos para uma gama de embarcações de até 24 metros, criando a sensação de uma navegação potente, mas extremamente confortável.

Uma curiosidade: o barco FB 41’ SF (FB Design), vencedor do recorde da rota Nova York – Bermuda (setembro de 2012), é equipado por dois motores Cursor 9 da FPT Industrial com 650 HP.

Motores FPT para veículos On Road: Melhor custo-benefício e respeito à natureza

Força, desempenho e sustentabilidade dentro e fora da cidade. Para projetar e fabricar os motores FPT para aplicações On Road adotamos as tecnologias mais avançadas disponíveis no mercado.

A oferta no setor On Road engloba três séries de motor (F1, NEF e CURSOR), com uma faixa de potência de 71 a 412 kW e cilindradas de 2,3 a 12,9 litros para veículos comerciais leves, médios, pesados e ônibus. A presença de sofisticados sistemas de injeção eletrônica (Common Rail de última geração e Unidades Injetoras Eletrônicas), o uso de diversos dispositivos de manuseio de ar (Válvula de Descarga, Turbo de Geometria Variável e de Dois Estágios) e a disponibilidade de versões do GNV (Gás Natural Veicular) garantem aos motores da FPT Industrial aplicações On Road que apresentam a melhor relação custo-benefício e reforça o nosso compromisso com o meio ambiente.

E então? Conta para a gente se você já pilotou algum veículo On Road com motor FPT Industrial? Divida suas experiências conosco aqui, nos comentários!

Saiba mais sobre a versatilidade e a potência dos motores FPT

Inovação, desempenho e paixão pelo aprimoramento contínuo são marcas registradas da FPT Industrial. Isso fez com que nos tornássemos líderes em projeção, desenvolvimento e produção de motores, transmissões e eixos, com soluções técnicas constantes que aprimoram a eficiência e a produtividade para os clientes.

Hoje, nossa linha de produtos é ampla, com motores de 2,3 a 20 litros, potências que variam entre 31,5 e 740 kW e transmissões longitudinais de cinco e seis velocidades com um torque máximo de 200 a 500 Nm. É muita potência! E para comprovar a versatilidade dos motores, eles são usados tanto em veículos comerciais leves quanto pesados, máquinas agrícolas e de construção, geração de energia e marítimas. Certamente você já se deparou com algum caminhão ou trator que utiliza a nossa tecnologia por aí. Estamos por todo lugar!

De onde vem toda essa potência? Bom, a FPT Industrial adota as soluções tecnológicas mais avançadas do mercado: arquitetura inovadora, sistemas de injeção eletrônica de alta pressão – Common Rail, cabeçote multiválvula, bomba injetora em algumas versões específicas, dispositivos para aumento da eficiência com turbocompressores fixos ou de geometria variável, também de dois estágios, e sistemas sofisticados para o controle de emissões.

Resumindo: os motores da FPT Industrial combinam alto desempenho, baixo consumo de combustível, redução de ruído, vibração e custos operacionais, com confiabilidade e durabilidade excepcionais! Descobrimos as melhores soluções para cada aplicação e impulsionamos o futuro, hoje!
Ficou alguma dúvida? Deixe o seu comentário aqui pra gente e continue ligado no blog!