Tendências em tecnologia de motores

Vai chegando o final do ano encontramos diversas listas sobre desejos, votos e novidades esperadas para o próximo ano. Mas nunca achamos uma que fale sobre as tecnologias e sistemas que envolvam os motores. Será que não existem?

Fique tranquilo! A FPT adianta sua lista, consulta seus especialistas e elenca quais serão as principais tendências da área em 2018 e o que você pode esperar de inovação para a área. Vamos lá?

Combustíveis alternativos

Há pouco tempo, a FPT europeia lançou seu motor Cursor 13 movido a gás, o que representou um grande avanço na área, já que é um motor potente que consegue um bom desempenho operando com um combustível alternativo.

Acredita-se que nos próximos meses ou anos, os motores, dos pequenos aos grandes, contarão com uma tecnologia avançada capaz de utilizar biometano, GLP, GNV, entre outros, sem perder potência e garantindo uma baixa emissão de gases nocivos ao meio ambiente.

Sistemas híbridos

Em questão de sistemas, espera-se conversão e conectividade entre sistemas que utilizem diversas fontes. Por exemplo, o veículo terá um painel solar para captar energia solar e uma bateria acoplada ao motor para gerar energia para o ar-condicionado, para o painel, etc.

O motor será versátil com tanques especiais, como a diesel, biometano, entre outros, sendo capaz de operar com os diversos tipos de combustíveis existentes. Além disso, a transmissão também será inteligente, podendo atuar tanto de forma elétrica quanto mecânica, tendo uma tecnologia que a faça oscilar para achar a melhor condição de operação.

Motores e funcionalidades versáteis

Como citado acima, os motores serão bem adaptáveis a diversos tipos de combustível. Mas não é só isso! Já há pesquisas em desenvolvimento para garantir que um motor seja capaz de operar em várias frentes de trabalho.

Por exemplo, um trator que possa variar de 100 a 300 cavalos, sendo sua potência selecionada pelo operador, garantindo melhor desempenho e controle do veículo, transformando-o em uma máquina multitarefas. A ideia é que essa transição ocorra com um clique de botão. Muito bacana, não é?

Motorização

A ideia é continuar seguindo o conceito “down size”, ou seja, reduzir cada vez mais o tamanho dos motores, mas garantindo sua potência, que eles sejam mais eficientes e que possuam baixa fricção.

Já no caso dos motores maiores, eles ficarão ainda maiores! Mas calma! Isso acontecerá porque eles terão mais tecnologias inseridas para garantir durabilidade e um bom desempenho em várias áreas, como agricultura, construção, etc.

Sem eixo de comando

No futuro, os motores darão “bye, bye” para o eixo de comando. As válvulas serão acionadas através do solenoide eletrônico, o que acarretará uma diminuição no peso do motor. Além disso, elas possuirão o mesmo sistema de abertura do sistema para a ingestão de combustível.

Bom, essas são algumas das novidades em que os engenheiros e especialistas estão trabalhando nos últimos anos e pretendem ser um diferencial em 2018. Quem sabe no próximo ano faremos um texto analisando o impacto dessas tecnologias no setor?

Gostou do texto? Não esqueça de deixar seu comentário!

POWERTRAIN FPT: DO ACELERADOR À RODA, UMA SOLUÇÃO COMPLETA.

A qualidade e a potência da FPT vão muito além dos motores. A mesma tecnologia de ponta que é utilizada nos carros-chefe da marca também é utilizada para gerar soluções inteligentes em eixos e transmissões. A inovação da vez fica por conta do Powertrain: um conjunto de aplicações para veículos rodoviários leves, que trazem inúmeros benefícios para frotistas e motoristas.

Durabilidade e eficiência nos eixos.

Os eixos dianteiros e traseiros da FPT não são apenas peças metálicas parafusadas entre si. Eles são projetados para serem mais leves, receberem o mínimo de vibração possível e absorverem o máximo do impacto diário, nas missões em estradas e nas ruas. O resultado é uma maior durabilidade, resistência e eficiência de frenagem.

Conforto na troca de marchas.

As transmissões mecânicas da FPT não ficam para trás. Elas são desenvolvidas com a tecnologia Easy Shifting, que suaviza a troca de marchas. Em outras palavras, você dirige um veículo de carga com a mesma sensação de estar pilotando um automóvel de passeio. Em termos de ergonomia e conforto, o ganho é imediato, aliviando a rotina de quem troca a marcha milhares de vezes ao dia.

Todo mundo sai ganhando. Até o planeta.

O reflexo da utilização somada de todas as soluções FPT vai muito além da performance dentro das estradas. A expertise na fabricação de tecnologia de propulsão (motores, eixos e transmissões) permite um resultado ainda mais impressionante quando é colocada à prova de maneira conjunta. O maior exemplo é a redução na emissão de gases nocivos ao meio ambiente: um IVECO Hi-Way de 570cv, utilizando toda a motorização FPT de alta potência (Euro 6), emite menos poluentes do que um carro popular de passeio, produzido no Brasil.

Quando a FPT está à frente de toda a cadeia de funcionamento, seja para economizar ou para durar mais, os benefícios são visíveis em todas as partes.

Em nossa página do Facebook, você pode conferir um vídeo mostrando nossas soluções em Powetrain, na prática, direto da Fenatran:

 

Pintura de motores marítimos

Engana-se quem acredita que motores são todos iguais e servem apenas para gerar energia e força. Dependendo da sua função, eles possuem uma estrutura, peças e até um design diferenciado para garantir a segurança e o desempenho do equipamento que estão instalados.

Os motores marítimos são um exemplo! Sua pintura possui detalhes especiais e interessantes que fazem um item a ser explorado. Ficou curioso? Siga as perguntas abaixo e esclareça as dúvidas relacionadas a esse tema!

As tintas dos motores marítimos possuem componentes diferenciados?

Sim, como os motores ficam em ambientes salubres, principalmente por causa da maresia, eles recebem uma tinta epoxi cuja a composição é diferente de outro tipo de motores. Elas possuem propriedades anticorrosivas para garantir a durabilidade dos equipamentos, já que sabemos que a combinação de umidade + sal + metal = ferrugem.
Além disso, elas suportam altas temperaturas, sendo um mecanismo de segurança, já que serve de barreira (até determinada temperatura), evitando vazamentos de líquidos inflamáveis.

Por que os motores marítimos da FPT são claros?

O ambiente onde os motores estão situados, porões, proas, casa de máquinas tendem a ser pouco iluminados. Assim, quando o tom do motor é claro, fica mais fácil identificar algum problema como corrosão ou líquidos. É considerada como mais uma medida de proteção.
Também facilita na hora de limpar o equipamento.

E o design?

Claro que o fator de design também é considerado na hora de escolher a cor! A tintura é algo que vai além da proteção, sendo a estética uma preocupação dos engenheiros da FPT na hora de desenvolver um novo produto. A opção pela tinta branca é uma delas!
Confira aqui abaixo como as cores impactam na beleza do motor:

O que achou? Não deixe de postar seu comentário aqui abaixo e compartilhe nas redes sociais.

Conheça o motor N67 MAR-I/Tier 3 presente no pulverizador Defensor 2500 da New Holland

A New Holland Agriculture lançou o pulverizador Defensor 2500 equipado com o motor N67 MAR-I/Tier 3 da FPT Industrial que possui 175hp e 6 cilindros, além da tecnologia Eco Cruise, que aprimora o aproveitamento do diesel, gerando mais energia. Esse motor roda mais leve e com uma resposta do sistema de tração muito mais rápida do que a concorrência.

As melhorias não param por aí. Com o N67 MAR-I/Tier 3, o operador do Defensor 2500 terá uma tração com respostas mais rápidas, gerando mais precisão aos movimentos mesmo em vazões mais baixas, graças às nove seções de comando, bomba PWM e válvula de restrição de fluxo para baixo volume. E o melhor de tudo isso: sem barulho devido a um silenciador que elimina os ruídos do motor.

A gestão da velocidade é fundamental para qualquer máquina, pois influencia diretamente no resultado do tempo em que  máquina vai trabalhar e na eficiência do serviço realizado. Nos testes realizados pela FPT, o N67 MAR-I/Tier 3 apresentou aumento de 15% na velocidade do pulverizador. Isso significa que o operador terá mais controle do equipamento na realização do trabalho em terrenos e relevos diversos.

Com o novo motor N67 MAR-I/Tier 3, a FPT Industrial prova que a inovação tecnológica está em seu sangue, e ela tem reflexo imediato na produtividade do equipamento no campo. Tanto pela inserção do EcoCruise, como pelas inovações de precisão, o novo conjunto desenvolvido para o Defensor 2500 é o mais eficiente da categoria.

Intercooler: por que ele é tão importante?

Cada vez mais, o intercooler ganha importância entre os elementos do motor. No post de hoje, você vai saber o que é o intercooler, como ele funciona e por que ele é tão importante.

Em linhas gerais, o intercooler tem a função de resfriar o ar que está sendo pressurizado antes de ele entrar no motor. E qual a vantagem disso? Imagine que a turbina do motor esteja puxando o ar da admissão a uma temperatura de 30°. Quando esse ar é pressurizado, a sua temperatura pode se elevar a 80°, por exemplo. Ou seja, um ganho de 50° de temperatura. A temperatura mais alta deixa o ar mais dilatado, reduzindo a quantidade de oxigênio e fazendo com que as moléculas fiquem mais distantes umas das outras.

E por que isso não é bom para o motor? O cilindro tem uma certa capacidade de volume e, ao injetar o ar dilatado, menos oxigênio é utilizado na câmara de combustão, reduzindo assim o torque e a potência do motor. Além disso, o pistão eleva ainda mais a temperatura da mistura ar-combustível injetada para dentro do cilindro e, se essa mistura já entrar no compartimento a uma temperatura mais baixa, evita que o ar se dilate muito. A temperatura amena do ar também ajuda a resfriar o cilindro, o pistão e todas as outras peças que sofrem o impacto da mistura ar-combustível quente. Em resumo, o intercooler não serve apenas para aumentar o torque e a potência do motor, ele serve também para ajudar a preservar a temperatura da câmara de combustão.

O intercooler nada mais é do que um trocador de calor. Por ficar posicionado na parte frontal do veículo, ele consegue aproveitar o ar do ambiente, deixando a parte de metal mais fria, o que, consequentemente, vai resfriar o ar que passa pelas galerias da peça. Nesse aspecto, é importante dizer que a temperatura do ar do ambiente vai interferir na eficiência do resfriamento do intercooler. É dizer que o intercooler de um veículo rodando a uma temperatura ambiente de 5°, por exemplo, terá uma eficiência maior do que um intercooler de um carro rodando em um lugar com o clima a 35°.

Como você pode ver, as vantagens em se utilizar o intercooler são imensas. Não esqueça nunca de seguir corretamente os procedimentos de manutenção e verificações periódicas nesta peça.

Porque não chipar o seu motor

Os motores com injeção eletrônica de hoje em dia possuem um nível de tecnologia tão avançado que suas funções são gerenciadas por uma central que controla inúmeros detalhes, tais como a tempo de abertura de bicos, ângulo de injeção de combustível, pressão de injeção, queima de combustível, corte de giro, estabilidade de marcha lenta, limitações de velocidade e muitos outros.

Quando se fala em “chipar o motor”, as pessoas estão se referindo à prática de modificar os parâmetros da injeção eletrônica quanto às suas variáveis, podendo aumentar a potência do veículo e elevar o torque em baixas rotações. Porém, a FPT não recomenda a realização dessas alterações na calibração original do motor.

Nossos engenheiros desenvolveram cada versão de motor buscando a melhor relação entre desempenho, consumo, durabilidade e, é claro, respeitando os níveis de emissões. Quando você altera o software do motor, acaba prejudicando outros parâmetros e, muitas vezes, só descobrirá a falha quando seu bruto quebrar. Por exemplo: você aumenta a potência, mas pode comprometer a temperatura do turbo e pistões, pressão no interior do cilindro, que comprometem os pistões, bielas, casquilhos, fazendo-os durar muito menos. Vale lembrar também que qualquer modificação do tipo acarreta na perda da Garantia. E aí o prejuízo no bolso pode ser muito maior…

Quando você “chipa o motor”, os ganhos podem até ser imediatos. Porém, a longo prazo, eles não compensam os estragos que podem acontecer. Nossos motores já são desenvolvidos para atender perfeitamente a sua missão.

Embarcação blindada para operação militar na Amazônia carrega motor FPT Industrial

A DGS Defense, Empresa Estratégica de Defesa, em parceria com a FPT Industrial lançam o 888 RAPTOR, com motor N67. Embarcação tática fluvial blindada de alto desempenho, a DGS 888 RAPTOR tem 9,2 metros de comprimento, capacidade de carga superior a 2.000 Kg, visão termal estabilizada, radar de ultra-alta definição e 4 estações para armamento calibres 12,7 e 7,56 mm, atendendo e superando todos os requisitos operacionais e logísticos desejados para uma embarcação dessa categoria.

Tudo isso, impulsionado pelo motor N67 da FPT Industrial, capaz de garantir uma melhor eficiência mesmo nas situações mais exigentes, sem comprometer a vida útil do motor. Este desempenho competitivo é suportado por redução de ruído e vibrações criando uma sensação de navegação extremamente favorável. O motor da FPT Industrial se enquadra na faixa de propulsores “High Speed”. É constituído por 6 cilindros em linha e com volume de 6.7 litros. Equipado com um turbocompressor de alta eficiência, gera 570 hp de potência.

A FPT Industrial, que possui no seu portfólio motores para máquinas agrícolas e de construção, caminhões, ônibus e Grupos Geradores, além dos barcos, desenvolveu o motor N67 para a DGS 888 RAPTOR com características específicas para essa aplicação como confiabilidade e robustez. Para Marco Rangel, Presidente da FPT Industrial, “Fazer parte desse projeto da DGS marca a entrada da FPT Industrial no mercado marítimo no Brasil. No mundo somos referência nessa aplicação, e toda a nossa experiência só irá beneficiar o nosso cliente e o mercado brasileiro”, conclui o executivo.

Além disso, a DGS 888 RAPTOR possui capacidades únicas, como navegar em locais com apenas 50 centímetros de água, mesmo em presença de objetos na superfície ou semi-submersos, como troncos de árvores, além de transportar 15 homens a distâncias superiores a 500 km, a uma velocidade média de 60 km/h.

Uma das maiores vantagens da DGS 888 RAPTOR é ser 100% fabricada com um copolímero de alto peso molecular, conferindo características exclusivas como, por exemplo, retardo de chama, ser insubmergível (por ter uma densidade menor que a água) e ter elevada capacidade de absorver choques, o que a diferencia das embarcações feitas em fibra de vidro e alumínio.

Assista no vídeo abaixo o DGS 888 RAPTOR em ação!

Sustentabilidade e Tecnologia caminham lado a lado para a FPT Industrial

Na semana em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, a FPT Industrial tem mais um motivo para comemorar. A marca acaba de ser premiada pela AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva – com o primeiro lugar no Prêmio AEA de Meio Ambiente 2017, na categoria Tecnologia.

A cerimônia de entrega da premiação foi realizada ontem, dia 07, em São Paulo, e contou com a presença de representantes de importantes empresas, associações e órgãos brasileiros, como a ANFAVEA e o IBAMA.

Com o trabalho “Os desafios da introdução do óleo API CJ4 no mercado da América Latina”, os engenheiros/autores Luiz Noronha e Gustavo Teixeira confirmaram o compromisso da FPT Industrial com a evolução tecnológica e respeito ao meio ambiente.

“O Prêmio AEA é um importante reconhecimento de que a FPT tem  ações sólidas e agora premiadas em nossa região, a respeito da sustentabilidade”, afirma Noronha.

Em sua 11ª edição do Prêmio, a AEA tradicionalmente reconhece as empresas, universidades e institutos de pesquisas que se destacam através de projetos de tecnologias e responsabilidade social, que beneficiam o meio ambiente e a qualidade de vida.  Em 2014, a FPT recebeu Menção Honrosa pelo trabalho “Desempenho e Emissões de um motor diesel operando com baixas vazões de hidrogênio”, de autoria do engenheiro Luiz Noronha.

Clique aqui e baixe o artigo vencedor do prêmio.

5 dicas simples para elevar a vida útil do seu motor

Elevar a vida útil do motor é tão fácil quanto dirigir. Com apenas alguns cuidados simples, você evita dores de cabeça e ainda aumenta a durabilidade do seu veículo.

Pensando nisso, separamos algumas dicas simples e eficientes para ajudar você nessa tarefa.

Troque o óleo periodicamente

O óleo lubrificante é responsável por lubrificar peças móveis do motor e remover partículas e impurezas, realizando sua limpeza. Por isso, ele precisa ser trocado dentro do prazo estabelecido.

Como a periodicidade de troca pode variar conforme o modelo do seu veículo e até a finalidade (caminhões, embarcações, máquinas agrícolas ou de construção também entram na lista), o ideal é respeitar as indicações contidas no manual do usuário e estar sempre em contato com a concessionária.

Substitua os filtros

Os filtros de óleo, ar e de combustível são responsáveis pelo armazenamento de várias impurezas que poderiam entrar em contato com o motor. Para evitar que isso aconteça, eles devem ser substituídos.

O filtro de óleo precisa ser trocado no momento da troca do lubrificante. Já o de combustível e o de ar, a cada 10 mil quilômetros rodados – o que também varia de modelo para modelo.

Reforçar a importância do uso de filtros e fluidos originais.

Confira o fluido do radiador

O nível do reservatório nunca pode ultrapassar o nível máximo permitido, muito menos ficar abaixo do nível mínimo. Caso isso ocorra, o motor pode sofrer com superaquecimento.

Outros cuidados para evitar esse superaquecimento é trocar o aditivo do radiador e fazer a limpeza do sistema de arrefecimento, conforme indicações do manual do usuário e da concessionária.

Fique atento na troca de marchas

Sabe aquela mania de esticar a troca de marchas? Ela pode desgastar seu motor e diminuir sua vida útil. Por isso, é importante fazer as trocas corretamente e com suavidade.

A redução na troca da marcha também deve ser realizada corretamente, a fim de se evitar o sobregiro do motor.

Não exagere na aceleração

Quando aceleramos exageradamente, podemos acelerar o desgaste do motor e aumentar o gasto de combustível. É importante acelerar de forma suave, evitando deixar o motor em elevadas rotações (sinalizadas em vermelho no conta-giros do veículo).

Tem alguma outra dica? Compartilhe conosco nos comentários.