Motores FPT impulsionam caminhões Hi-Road, lançamento da IVECO

No primeiro semestre de 2018, o mercado brasileiro de caminhões apresentou um alto patamar de crescimento, destacando-se o segmento de Pesados.

Para continuar atendendo aos caminhoneiros com a máxima performance, a IVECO lança no Brasil a linha Hi-Road, ideal para operações de médias e longas distâncias, que foi projetada para estar disponível o maior tempo possível, entregando robustez, baixo custo de manutenção e conforto ao estradeiro.

Pensando nisso, os motores Cursor 9 e 13, com seis cilindros em linha, foram escolhidos para o projeto. A série Cursor da FPT é conhecida pela eficiência e pelo baixo consumo de combustível. Tudo isso alinhado a um design compacto e leve e ao sistema SCR, que demanda menor refrigeração e representa custos operacionais reduzidos.   

O Cursor 9 tem potência de 360 cv (4 X 2), e o Cursor 13 tem duas faixas de potência, 410 cv (4 X 2 e 6 X 2) e 440 cv (4 X 2, 6 X 2 e 6 X 4), com torque máximo de 2.400 Nm. A transmissão é automatizada de 16 velocidades à frente + duas marchas a ré, e o tanque de combustível tem capacidade, de série, para 900 litros.

Como escolher o motor ideal para o seu projeto?

Definir o modelo ideal de motor para o seu projeto pode parecer algo simples, mas acredite: não é bem assim. Engenheiros e estudantes precisam avaliar uma série de fatores importantes no momento da escolha do coração do seu projeto. E, principalmente, encontrar o equilíbrio entre o que é necessário e o que é desejado.

Por exemplo, se o seu projeto é um caminhão, saiba que a modalidade de carga e o tipo de trajeto afetarão diretamente o desempenho do seu motor. E isso precisará ser considerado na mesa de projetos. Se for um carro de passeio, para mobilidade urbana, o baixo consumo de combustível e a manutenção barata serão os pontos-chave para o usuário do seu veículo e para você também.

Por isso, repassamos alguns conceitos que ajudarão você a encontrar a solução mais adequada para o seu projeto:

Torque e potência

A potência diz respeito ao tempo e à capacidade do motor de responder a uma tarefa em um determinado tempo. Quanto mais potência, menor o tempo de resposta. A potência é o resultado da relação entre o torque e a quantidade de rotações dos cilindros. Quanto maior o torque, maior a força do motor.

Cilindrada

Os cilindros estão diretamente relacionados à potência automotiva. As cilindradas são medidas em cm³. Elas dizem respeito à capacidade dos cilindros do motor de receber um determinado volume da mistura ar-combustível. Quanto mais cilindradas, maiores serão a potência e o torque do veículo.

Ronco do motor

O barulho do motor diz muito sobre o seu funcionamento. Ele pode indicar a saúde do equipamento. Redobre a atenção no “choro” e na quantidade de fumaça emitida para avaliar o bom funcionamento do motor.

Tecnologia

Combustíveis fósseis, como o diesel, o gás natural e a gasolina, são altamente poluentes. Em função disso, surgiram diversas regulamentações que verificam os níveis de emissões dos motores. Atualmente, existem inúmeras tecnologias que reduzem drasticamente o nível de poluentes lançados na atmosfera. Portanto é preciso estar atento para optar por fabricantes que ofereçam tecnologias que garantam a redução dos níveis de emissão.

Facilidade de manutenção

Um fator também muito importante a ser considerado é a facilidade de manutenção do seu motor. Não vale a pena investir em um motor de procedência duvidosa. Fabricantes confiáveis agregam valor ao produto, oferecem assistência técnica qualificada e peças genuínas que garantem a segurança e o bom funcionamento do veículo.

Considere esses pontos antes de escolher o seu motor. Tem alguma dica para compartilhar? Deixe o seu comentário.

FPT marca presença no Congresso Autodata Perspectivas 2019

Nos dias 15 e 16 de outubro, São Paulo receberá o Congresso Autodata Perspectivas 2019, o maior e mais tradicional evento do mercado automotivo do Brasil. Com 24 anos de tradição, o congresso conta com a participação de montadoras, sistemistas, fabricantes de motores a diesel e entidades de classe que, em dois dias, apresentam e discutem as principais soluções e tendências tecnológicas para o setor.

Nesta edição, nosso presidente, Marco Rangel, participará do painel “Motores Diesel”, no dia 15 de outubro, das 11h30 às 12h30, onde também estarão presentes outros executivos do setor.

Na ocasião,  serão apresentadas as principais inovações da FPT para o futuro automotivo, além de um panorama geral sobre a situação atual do mercado e algumas ações positivas que ajudarão no impulsionamento do segmento.

Para participar, basta acessar o site http://bit.ly/CongressoAutodata2018 e fazer seu cadastro. Estão disponíveis opções de ingresso para os dois dias de evento ou apenas para um. Não deixe de conferir!

Congresso Autodata Perspectivas 2019

  • 15 e 16 de outubro, no Hotel Transamérica (Av. das Nações Unidas, 18.591, Vila Almeida, SP)
  • Para mais informações: 11 5189 8900 / seminarios@autodata.com.br

Por que é necessário lubrificar o motor?

Com certeza, você já ouviu falar que os óleos lubrificantes são parte essencial do motor. Mas você sabe por quê? Conhece todas as suas funções ou que ele é usado até na vedação? Que se usado de forma errada pode ocasionar até a perda do motor?

Preparamos este post para lhe explicar tudo sobre ele, tirando as dúvidas e mostrando sua importância no funcionamento dos motores FPT.

A importância do lubrificante e como ele atua

O óleo lubrificante é considerado um componente do sistema do equipamento e sua utilização correta é fundamental para o funcionamento do motor. Na FPT, nossos modelos passam por uma variedade de testes para avaliar e verificar qual o lubrificante correto e os períodos de troca.

Suas funções são:

  • Lubrificação: ele é responsável por separar as partes móveis e, assim, reduzir atrito e, consequentemente, o desgaste das peças.
  • Resfriamento: alguns componentes do motor possuem o óleo lubrificante como a primeira linha para dispersão de calor, e o lubrificante tem grande importância no processo de controle da temperatura.
  • Vedação: na viscosidade correta, ele trabalha impedindo vazamentos no sistema, além de ter um papel primordial na vedação da câmara de combustão, o que auxilia na redução de consumo e aumento da eficiência do motor.
  • Dispersão: o lubrificante possui aditivos que atuam como agentes dispersantes no sistema que impedem a aglomeração dos contaminantes e os mantêm em suspensão no óleo para que eles sejam descartados com a parte antiga, no momento da troca.
  • Detergências: os aditivos também funcionam como detergentes, removendo depósitos e impedindo a formação de novos depósitos nas galerias do motor.

Como usar corretamente

Para saber se você o está utilizando corretamente, a indicação de nossos embaixadores é acompanhar de perto a quilometragem ou o intervalo de troca de óleo, recomendado no manual de instruções. O período de troca de óleos e filtros é escolhido através de um grande estudo da FPT e garante a durabilidade de seu motor.

Uma boa dica é que a CNH Industrial disponibiliza um serviço de análise de óleo através de seus concessionários. Esse diagnóstico pode antever quaisquer problemas de degradação do óleo ou desgastes anormais no sistema causados por agentes externos.

É hora de trocar?

Há duas formas de checar se seu óleo já está envelhecido e a hora para trocar: o cumprimento dos períodos de troca e através de análises periódicas pelos profissionais indicados, pois não há nenhuma análise visual ou subjetiva que possa gerar essas informações e garantir a integridade do lubrificante.

Como escolher o melhor?

Você deve sempre seguir as orientações da FPT para o modelo do seu motor. Veja as classificações API e SAE recomendadas pelo fabricante (exemplo: SAE 15W40 API CI4) e tenha cautela ao ouvir opiniões de terceiros. Muitos mecânicos recomendam uma linha diferente da orientada, falando que há aditivos que são superiores, mas a diferença na composição do lubrificante pode comprometer seu equipamento, já que as peças não foram desenvolvidas para aquele tipo de elemento.

Agora você está por dentro de todas as informações sobre lubrificantes, como mantê-los sempre ok e garantir a durabilidade de seu motor. Gostou do post? Comente aqui abaixo.

Mitos envolvendo o óleo do motor

Quando se trata de óleo lubrificante para motores, existe uma grande variedade de dicas, informações e mitos para indicar o seu melhor uso. Mas como saber o que é verdade ou mentira quando se trata desse componente essencial para o funcionamento do motor?

Não é muito fácil, e seguir esse tipo de orientação pode acabar prejudicando seu motor e até fazer você gastar uma boa quantia em manutenção. Para ajudar você, a FPT desmitificou os principais na lista a seguir. Vamos lá?

Veículos com muitas quilometragens devem utilizar óleo grosso

Não há nada que comprove isso, o óleo deve se manter de acordo com as especificações recomendadas no manual do veículo. O óleo grosso pode ser um indício de problema na composição e comprometer a durabilidade e as peças do veículo.

Lubrificantes mais densos também podem demandar mais do motor, necessitando gerar mais energia para se movimentar, o que sobrecarrega os componentes internos e aumenta o gasto de combustível.

Postos de gasolina e oficinas são os melhores lugares para trocar óleo

Todo mundo tem um mecânico ou um posto de confiança, mas devemos ter muito cuidado quando se trata do óleo do motor. Você sempre deverá ficar atento às classificações API e SAE recomendadas pelo fabricante (exemplo: SAE 15W40 API CI4) e que o produto que você irá utilizar esteja de acordo com as recomendações da FPT.

Muitos profissionais tendem a indicar óleos diferenciados, com aditivos, alegando que são superiores aos outros, mas isso não é uma verdade absoluta. Por isso, a recomendação é seguir a orientação do fabricante.

Além disso, temos que ficar atentos ao momento em que o verificamos. Normalmente, olhamos na hora de abastecer, mas o mais indicado é quando o motor estiver frio e o óleo todo depositado no cárter, ou seja, verifique antes de sair para andar com o carro.

Isso garante que todo o lubrificante escorreu para o compartimento e o nível é o real. Quando o motor está quente, o óleo está em movimento e dará a impressão de que há um volume menor do que o real.

Escurecimento do óleo é indicação de necessidade de troca

A alteração na cor do lubrificante é normal, ocasionada pelo fato de que o óleo contém detergentes e dispersantes que têm função de promover a limpeza interna do motor. Com isso, ocorre o escurecimento do líquido. Mas não significa que o óleo esteja comprometido ou vencido, ele está simplesmente cumprindo suas funções, que podem ser separadas da seguinte forma:

  • Lubrificação: separação das partes móveis, reduzindo o atrito e evitando o desgaste.
  • Resfriamento: alguns componentes do motor têm o óleo lubrificante como sua primeira linha para dispersão de calor, e o lubrificante tem grande importância no processo de controle da temperatura.
  • Vedação: o lubrificante na viscosidade correta trabalha impedindo vazamentos no sistema, além de ter papel primordial na vedação da câmara de combustão, o que auxilia na redução de consumo e aumento da eficiência do motor.
  • Dispersão: o lubrificante tem aditivos que trabalham como agentes dispersantes no sistema e que impedem a aglomeração dos contaminantes e os mantêm em suspensão no óleo para que eles sejam descartados com o óleo antigo no momento da troca.
  • Detergência: aditivos presentes no lubrificante agem como detergentes, removendo depósitos e impedindo a formação de novos depósitos nas galerias do motor.

Olhar o óleo é a maneira correta de verificar alterações

Nada disso! Não há uma análise visual que possa comprovar o estado do óleo, por isso, é necessária a realização periódica do óleo e respeitar os prazos de troca estabelecidos pelo fabricante. Não fique rodando com óleo “envelhecido”. Com o tempo, ele vai perdendo suas propriedades e pode prejudicar o motor.

Agora você já sabe quais orientações seguir, quando se trata de óleo lubrificante. Lembre-se de buscar informações só com especialistas e em fontes confiáveis para não comprometer o funcionamento do seu veículo.

Gostou do nosso post? Compartilhe com os amigos!

Fonte: FPT/Carros UOL

Como aumentar a durabilidade do motor?

aumentar a durabilidade do motor

Você sabia que dicas simples de cuidado e manutenção de seu motor podem prolongar sua vida útil para bem mais dos seis dígitos de quilometragem? Como todo equipamento, ele também precisa de cuidados para garantir um bom desempenho.

Por isso, separamos algumas dicas para você ter sempre em mente que irão garantir a durabilidade e longevidade do coração de seu veículo.

Fique de olho na manutenção preventiva

Todo manual da FPT vem com a informação sobre o momento certo para fazer a manutenção preventiva dos equipamentos e veículos em que seus motores estão presentes. Ela é imprescindível, pois é uma avaliação de como todos os componentes do motor estão se comportando, se há uma falha ou algo funcionando de forma irregular.

Isso garante sua segurança e previne problemas mais severos.

Respeite os intervalos de troca de fluidos

Os fluidos de lubrificação, arrefecimento, óleos, filtros, etc. possuem data de validade e se desgastam. Por isso, respeite a data indicada para evitar atritos e desgaste das peças internas de seu equipamento. Além disso, é bom sempre verificar os níveis desses fluidos para garantir o funcionamento correto do motor.

Outra dica é não usar óleos de origem duvidosa. Tenha sempre conhecimento da procedência e qualidade do que está comprando e siga as recomendações do fabricante para evitar dores de cabeça e até que seu motor se funda.

Utilize o óleo diesel específico para seu motor

Confira sempre a indicação de óleo diesel para seu equipamento/veículo. Por exemplo, motores que utilizam um pós-tratamento para redução de emissões, como o SCR, DPF e ureia, devem sempre utilizar o diesel S10.

Cuidado na hora de ligar e desligar

Pode parecer besteira, mas há uma dica para garantir a durabilidade do motor. Sempre ao ligar ou desligá-lo, aguarde um minuto em marcha lenta para garantir a estabilização da pressão de óleos e temperaturas.

Opere apenas dentro das especificações

Por fim, evite transitar fora das especificações do equipamento. Por exemplo, não ultrapasse o limite da carga transportada, evite longos períodos de marcha lenta, etc. Ler o manual do equipamento é fundamental para que ele tenha uma longa durabilidade.

Seguindo essas instruções, você vai garantir mais uns bons anos para o seu motor. Achou essas dicas válidas? Compartilhe com seus amigos!

Motores FPT em máquinas agrícolas

Para que os alimentos cheguem a nossa casa, um processo muito importante acontece no campo diariamente. Diversas máquinas agrícolas plantam, pulverizam e colhem tudo aquilo que vai abastecer o país e alimentar milhares de famílias.

Por mais que muitas pessoas nunca tenham parado para pensar, os motores são os grandes aliados para que essas máquinas funcionem perfeitamente e tenham alta produtividade no campo.

Uma oportunidade muito interessante para ver toda essa potência de perto são as feiras e os eventos, como a Expodireto Cotrijal, que aconteceu entre os dias 5 e 9 de março. Foram mais de 500 expositores reunidos para tirar dúvidas sobre o universo de tecnologias agrícolas.

Série Cursor

Essa série é a família de motores FPT para uso off-road, ou seja, para atividades que são praticadas fora da estrada – como a agricultura. Eles oferecem alto desempenho mesmo para os equipamentos que enfrentam condições mais severas (tratores de grandes dimensões, colheitadeiras, etc.).

Os motores da série Cursor estão disponíveis em três modelos com arquitetura de 6 cilindros, sistema de injeção Common Rail e turbocompressor que permite a otimização do fluxo de ar e garante alto desempenho com baixo consumo de combustível.

Série NEF

Os motores NEF são capazes de cobrir diferentes aplicações, e uma delas é a agricultura. Equipando tratores de pequeno e médio porte, eles são disponibilizados em configurações de 4 e 6 cilindros, combustão é associada a tecnologia I-EGR para tratamento dos gases de escape.

Quer conhecer nossos outros motores voltados para o setor agrícola? Em nosso site você encontra todos os detalhes e especificações.

A importância de se ter distribuidores autorizados

Nada como ter uma assistência dedicada e especializada na hora de cuidar do seu veículo, não é mesmo? E isso também é muito importante para aumentar a vida útil do motor e de seus componentes internos. Por isso é sempre recomendado ir até um distribuidor autorizado para fazer suas revisões.

O distribuidor FPT é responsável pelos serviços especializados em motores, eixos e transmissão. Também são oferecidas consultorias e suporte técnico para os usuários de máquinas agrícolas e de construção, veículos comerciais, embarcações, geradores e quaisquer outros equipamentos do segmento atendido pela FPT.

Uma grande vantagem é que muitos cursos e treinamentos técnicos são oferecidos pelos distribuidores aos usuários ou fabricantes. É uma oportunidade muito interessante para aumentar os conhecimentos com quem é especializado no assunto.

Além disso, é possível contar com toda a segurança e praticidade de ter peças genuínas sempre à disposição e uma equipe técnica com engenheiros preparados para auxiliar os pequenos e médios fabricantes de equipamentos no desenvolvimento de motores a diesel ou a gás.

Os distribuidores FPT já estão presentes em diversos estados do Brasil, como Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul com a JMalucelli e em São Paulo e Minas Gerais com a Brasif Máquinas, que em breve atuará também no Espírito Santo, Rio de Janeiro, Goiás, Distrito Federal e Tocantins.

São muitas vantagens, não é? Continue nos acompanhando aqui no blog para receber mais dicas. ?

Dicionário FPT: Termos e conceitos do mundo dos motores

É bem comum encontrarmos pessoas que têm dúvidas sobre alguns termos e conceitos do universo dos motores. Se você é uma delas, vamos ajudá-lo! Selecionamos algumas expressões que usamos aqui na FPT para explicar tudo sobre elas.

Off-Road

Esse é um termo variado do inglês que significa, em tradução literal, fora de estrada. Ele é utilizado para descrever atividades realizadas em locais não pavimentados e de difícil acesso. Um exemplo são os motores Cursor 13 que equipam os veículos dos competidores da IVECO no Rally Dakar e Africa Eco Race. Também equipamentos agrícolas e de construção onde realizam trabalho em locais de dificial acesso e sem pavimentação, por exemplo: colhendo soja no campo ou fazendo uma vala em uma pedreira.

On-Road

Os motores on-road são voltados para aqueles veículos que circulam em vias pavimentadas, como veículos comerciais leves, médios, pesados e ônibus. Alguns exemplos são as séries de motor F1 e NEF da FPT, que contam com a presença de sistemas sofisticados de injeção eletrônica e o uso de diferentes dispositivos de manuseio de ar.

Common Rail

O Common Rail (ou CRDI) é um sistema de injeção direta de combustível diesel em motores de combustão interna que é gerenciado por um computador. Nele, o combustível é enviado em altíssima pressão para tubo (Rail) e desse é enviado para cada cilindro do motor através de um Bico Injetor Eletrônico que libera o combustível em alta pressão durante a combustão. Esse é um processo que aumenta a performance, eficiência no consumo de combustível e reduz a emissão de gases poluentes.

PROCONVE/MAR-I

O PROCONVE: PROGRAMA DE CONTROLE DE POLUIÇÃO DO AR POR VEÍCULOS. AUTOMOTORES / MAQUINAS AGRICOLAS E RODOVIARIAS FASE I, estabelece uma série de diretrizes voltadas para que segmentos agrícola e de construção atendam às normas de redução da emissão de poluentes e ruídos no ambiente. Foi criado pelo Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente) e vem modificando de forma muito positiva as empresas dos setores em questão.

EGR

EGR ou Recirculação do Gás de Escapamento é uma tecnologia que permite que o gás do escapamento retorne à câmara de combustão do motor, fazendo com que a temperatura de combustão reduza e formem menos óxidos de nitrogênio (NOx) no ambiente.

SCR

Já o SCR ou Redução Catalítica Seletiva utiliza o Arla 32 (um reagente líquido que ajuda a diminuir a poluição do ar) para provocar uma reação química no catalisador que neutraliza a geração de óxidos de nitrogênio (NOx).

Conhece algum outro termo que não explicamos? Conte pra gente nos comentários!

Qual o papel do eixo de transmissão no motor?

O sistema de transmissão ou eixo de transmissão é o grande responsável por transmitir a força, do motor para as rodas do veículo. Esse é um processo minucioso que ocorre devido a diversos componentes que você conhecerá no artigo de hoje!

Embreagem

A embreagem é o primeiro conjunto de componentes do sistema de transmissão. É acoplado diretamente no motor, sendo acionada pelo motorista no momento de troca de marchas do veículo. O movimento é transmitido do pedal para a embreagem por um cabo ou circuito hidráulico.

Eixo primário

O eixo primário, faz parte da transmissão e possui diversas engrenagens relacionadas ao eixo secundário, que define a relação de saída para o diferencial. Quando a embreagem for acionada, será transmitida a rotação e força do motor para o eixo primário.

Diferencial

O diferencial é o dispositivo responsável por transferir e distribuir o torque aos semieixos, que geralmente estão girando em direções opostas. Essa distribuição e transferência é feita de forma uniforme, possibilitando que cada eixo funcione em diferentes rotações e velocidades.

Semieixos

Por fim, as saídas do diferencial são transmitidas para as rodas do veículo com o uso dos semieixos. Quando esse processo termina, a rotação e torque chegam até as rodas e fazem com que o veículo se movimente.

Gostou do artigo? Lembre-se de deixar seu comentário! ?