Como escolher o motor ideal para o seu projeto?

Definir o modelo ideal de motor para o seu projeto pode parecer algo simples, mas acredite: não é bem assim. Engenheiros e estudantes precisam avaliar uma série de fatores importantes no momento da escolha do coração do seu projeto. E, principalmente, encontrar o equilíbrio entre o que é necessário e o que é desejado.

Por exemplo, se o seu projeto é um caminhão, saiba que a modalidade de carga e o tipo de trajeto afetarão diretamente o desempenho do seu motor. E isso precisará ser considerado na mesa de projetos. Se for um carro de passeio, para mobilidade urbana, o baixo consumo de combustível e a manutenção barata serão os pontos-chave para o usuário do seu veículo e para você também.

Por isso, repassamos alguns conceitos que ajudarão você a encontrar a solução mais adequada para o seu projeto:

Torque e potência

A potência diz respeito ao tempo e à capacidade do motor de responder a uma tarefa em um determinado tempo. Quanto mais potência, menor o tempo de resposta. A potência é o resultado da relação entre o torque e a quantidade de rotações dos cilindros. Quanto maior o torque, maior a força do motor.

Cilindrada

Os cilindros estão diretamente relacionados à potência automotiva. As cilindradas são medidas em cm³. Elas dizem respeito à capacidade dos cilindros do motor de receber um determinado volume da mistura ar-combustível. Quanto mais cilindradas, maiores serão a potência e o torque do veículo.

Ronco do motor

O barulho do motor diz muito sobre o seu funcionamento. Ele pode indicar a saúde do equipamento. Redobre a atenção no “choro” e na quantidade de fumaça emitida para avaliar o bom funcionamento do motor.

Tecnologia

Combustíveis fósseis, como o diesel, o gás natural e a gasolina, são altamente poluentes. Em função disso, surgiram diversas regulamentações que verificam os níveis de emissões dos motores. Atualmente, existem inúmeras tecnologias que reduzem drasticamente o nível de poluentes lançados na atmosfera. Portanto é preciso estar atento para optar por fabricantes que ofereçam tecnologias que garantam a redução dos níveis de emissão.

Facilidade de manutenção

Um fator também muito importante a ser considerado é a facilidade de manutenção do seu motor. Não vale a pena investir em um motor de procedência duvidosa. Fabricantes confiáveis agregam valor ao produto, oferecem assistência técnica qualificada e peças genuínas que garantem a segurança e o bom funcionamento do veículo.

Considere esses pontos antes de escolher o seu motor. Tem alguma dica para compartilhar? Deixe o seu comentário.

Conheça propriedades e ciclos dos motores de 6 tempos

Você sabia que, além dos cilindros, o tempo também é determinante na classificação dos motores? Hoje, particularmente, vamos falar dos motores de seis tempos, que são bem parecidos com os de quatro, mas são mais eficientes e menos poluentes. Isso porque eles possuem um segundo ciclo de força e dependem diretamente do aproveitamento da energia de retorno do pistão.

Simplificando, os quatro primeiros tempos de ambos os motores, são idênticos. A mudança acontece a partir do quinto tempo em que, após o ciclo de exaustão, ao invés de injetar mais mistura ar/combustível, ele injeta água, dentro da câmara ainda quente. Logo, essa água se torna vapor, expandindo seu volume em 1600 vezes e forçando o pistão para baixo, tendo início um segundo ciclo de torque.

Em seguida, outro ciclo de expansão empurra o vapor para fora da câmara e um novo ciclo de 6 tempos começa novamente. Nessa ordem:

1º tempo: admissão de ar e combustível;
2º tempo: compressão da mistura da admissão;
3º tempo: explosão e expansão dos gases;
4º tempo: expulsão dos gases resultantes da queima;
5º tempo: admissão de água na câmara de combustão ainda quente;
6º tempo: após expansão, o vapor é expulso.

A vantagem é que, além de prover energia mecânica extra, este ciclo de injeção de água esfria o motor por dentro, deixando-o morno enquanto está funcionando. Dessa forma, a queima de combustível é menor, tornado o motor mais sustentável.

Torque e Potência – Conceito e Aplicação em Motores On Road

O torque e a potência desempenham um papel de extrema importância no motor de um veículo. Mas você sabe o que significa cada uma dessas terminologias e suas devidas aplicações em um automóvel? O Blog da FPT explica.

A potência é a energia produzida pelo motor por determinado tempo, ou seja, a rapidez com que ele pode trabalhar. Medimos ela em “cavalos”, através de um dinamômetro. Este instrumento impõe uma determinada carga ao motor, resultando na medição da quantidade de potência que ele pode produzir em cima desta carga. O resultado é a quantidade de trabalho mecânico fornecido pelo motor em um determinado tempo. É desse resultado que calculamos a potência gerada.

Já o torque é a capacidade do motor de produzir movimentos rotativos. Normalmente é medido em kgfm (quilograma x força x metro). Quanto maior o torque, melhor o motor responderá às acelerações. Em um veículo, quanto maior o torque, mais rápido ele sairá do lugar, ou seja, maior a capacidade de aceleração.

Mas qual seria a diferença entre estes dois conceitos? É importante saber que o torque e potência são processos complementares. O torque está ligado a um curso grande do pistão, a baixa velocidade dos gases na explosão e na exaustão. Já a potência está relacionada a maior velocidade de explosão e eliminação dos gases e ao pequeno curso do pistão. Em outras palavras: torque é a força que um motor disponibiliza, e potência, a capacidade com que transforma o combustível em energia mecânica.

Motores FPT para veículos On Road: Melhor custo-benefício e respeito à natureza

Força, desempenho e sustentabilidade dentro e fora da cidade. Para projetar e fabricar os motores FPT para aplicações On Road adotamos as tecnologias mais avançadas disponíveis no mercado.

A oferta no setor On Road engloba três séries de motor (F1, NEF e CURSOR), com uma faixa de potência de 71 a 412 kW e cilindradas de 2,3 a 12,9 litros para veículos comerciais leves, médios, pesados e ônibus. A presença de sofisticados sistemas de injeção eletrônica (Common Rail de última geração e Unidades Injetoras Eletrônicas), o uso de diversos dispositivos de manuseio de ar (Válvula de Descarga, Turbo de Geometria Variável e de Dois Estágios) e a disponibilidade de versões do GNV (Gás Natural Veicular) garantem aos motores da FPT Industrial aplicações On Road que apresentam a melhor relação custo-benefício e reforça o nosso compromisso com o meio ambiente.

E então? Conta para a gente se você já pilotou algum veículo On Road com motor FPT Industrial? Divida suas experiências conosco aqui, nos comentários!