Linha NEF: quando a versatilidade se une ao bom desempenho

Quando você pensa em um motor, qual a primeira coisa que passa pela sua cabeça? Com certeza é sobre a potência dele. Mas nossos engenheiros vão muito além desse quesito na hora de desenvolver um novo modelo. Eles levam em consideração suas aplicações, emissões de poluentes, a segurança, entre outros.

Por isso, quando criaram a linha NEF, levaram a mais alta tecnologia para os modelos para garantir que eles fossem um grande diferencial no mercado. Ainda não está convencido sobre os diferenciais dessa linha? Siga em frente e conheça cada um deles.

  • Potência e eficiência: a linha possui motores que vão de 140 até 570 cv e sua densidade de potência é alinhada com a da concorrência.
  • Desempenho: possui um pacote de arrefecimento de alto desempenho que foi desenhado para aplicações severas e para manter a performance mesmo em ambientes agressivos.
  • Injeção eletrônica: Common Rail com Turbocompressor de alta eficiência.
  • Versões: disponível em versões de 4 e 6 cilindros, os motores NEF oferecem torques altos e constantes para os veículos.
  • Versatilidade: por ter uma grande flexibilidade de design, os motores dessa linha são adaptáveis às necessidades do mercado, podendo ser usados em geradores de energias, máquinas agrícolas e de construção, embarcações e veículos.

 Como você pode ver, a linha NEF possui características únicas que fazem seus motores serem compactos, confiáveis e versáteis, atendendo às necessidades do mercado e do cliente em várias aplicações.

E você? O que achou depois de ler? Comente aqui abaixo!

 

Natureza e motor MAR-I: o que eles têm em comum?

Devido a uma nova regulamentação em vigor neste ano, os motores das máquinas agrícolas e rodoviárias precisam possuir uma tecnologia para controle de ruído e poluição. Os motores MAR-1 vão ao encontro dessa necessidade. Essa novidade da FPT garante a queda de até 60% de poluentes em relação aos motores anteriores.

Para explicar com detalhes os benefícios dos motores MAR-1, a FPT convidou o Renato Cícero, Gerente de Suporte ao Produto da nossa marca, para bater um papo com potência.

Gostou do vídeo? Então, não esqueça de compartilhar com seus amigos pelas suas redes.

Tendências em tecnologia de motores

Vai chegando o final do ano encontramos diversas listas sobre desejos, votos e novidades esperadas para o próximo ano. Mas nunca achamos uma que fale sobre as tecnologias e sistemas que envolvam os motores. Será que não existem?

Fique tranquilo! A FPT adianta sua lista, consulta seus especialistas e elenca quais serão as principais tendências da área em 2018 e o que você pode esperar de inovação para a área. Vamos lá?

Combustíveis alternativos

Há pouco tempo, a FPT europeia lançou seu motor Cursor 13 movido a gás, o que representou um grande avanço na área, já que é um motor potente que consegue um bom desempenho operando com um combustível alternativo.

Acredita-se que nos próximos meses ou anos, os motores, dos pequenos aos grandes, contarão com uma tecnologia avançada capaz de utilizar biometano, GLP, GNV, entre outros, sem perder potência e garantindo uma baixa emissão de gases nocivos ao meio ambiente.

Sistemas híbridos

Em questão de sistemas, espera-se conversão e conectividade entre sistemas que utilizem diversas fontes. Por exemplo, o veículo terá um painel solar para captar energia solar e uma bateria acoplada ao motor para gerar energia para o ar-condicionado, para o painel, etc.

O motor será versátil com tanques especiais, como a diesel, biometano, entre outros, sendo capaz de operar com os diversos tipos de combustíveis existentes. Além disso, a transmissão também será inteligente, podendo atuar tanto de forma elétrica quanto mecânica, tendo uma tecnologia que a faça oscilar para achar a melhor condição de operação.

Motores e funcionalidades versáteis

Como citado acima, os motores serão bem adaptáveis a diversos tipos de combustível. Mas não é só isso! Já há pesquisas em desenvolvimento para garantir que um motor seja capaz de operar em várias frentes de trabalho.

Por exemplo, um trator que possa variar de 100 a 300 cavalos, sendo sua potência selecionada pelo operador, garantindo melhor desempenho e controle do veículo, transformando-o em uma máquina multitarefas. A ideia é que essa transição ocorra com um clique de botão. Muito bacana, não é?

Motorização

A ideia é continuar seguindo o conceito “down size”, ou seja, reduzir cada vez mais o tamanho dos motores, mas garantindo sua potência, que eles sejam mais eficientes e que possuam baixa fricção.

Já no caso dos motores maiores, eles ficarão ainda maiores! Mas calma! Isso acontecerá porque eles terão mais tecnologias inseridas para garantir durabilidade e um bom desempenho em várias áreas, como agricultura, construção, etc.

Sem eixo de comando

No futuro, os motores darão “bye, bye” para o eixo de comando. As válvulas serão acionadas através do solenoide eletrônico, o que acarretará uma diminuição no peso do motor. Além disso, elas possuirão o mesmo sistema de abertura do sistema para a ingestão de combustível.

Bom, essas são algumas das novidades em que os engenheiros e especialistas estão trabalhando nos últimos anos e pretendem ser um diferencial em 2018. Quem sabe no próximo ano faremos um texto analisando o impacto dessas tecnologias no setor?

Gostou do texto? Não esqueça de deixar seu comentário!

POWERTRAIN FPT: DO ACELERADOR À RODA, UMA SOLUÇÃO COMPLETA.

A qualidade e a potência da FPT vão muito além dos motores. A mesma tecnologia de ponta que é utilizada nos carros-chefe da marca também é utilizada para gerar soluções inteligentes em eixos e transmissões. A inovação da vez fica por conta do Powertrain: um conjunto de aplicações para veículos rodoviários leves, que trazem inúmeros benefícios para frotistas e motoristas.

Durabilidade e eficiência nos eixos.

Os eixos dianteiros e traseiros da FPT não são apenas peças metálicas parafusadas entre si. Eles são projetados para serem mais leves, receberem o mínimo de vibração possível e absorverem o máximo do impacto diário, nas missões em estradas e nas ruas. O resultado é uma maior durabilidade, resistência e eficiência de frenagem.

Conforto na troca de marchas.

As transmissões mecânicas da FPT não ficam para trás. Elas são desenvolvidas com a tecnologia Easy Shifting, que suaviza a troca de marchas. Em outras palavras, você dirige um veículo de carga com a mesma sensação de estar pilotando um automóvel de passeio. Em termos de ergonomia e conforto, o ganho é imediato, aliviando a rotina de quem troca a marcha milhares de vezes ao dia.

Todo mundo sai ganhando. Até o planeta.

O reflexo da utilização somada de todas as soluções FPT vai muito além da performance dentro das estradas. A expertise na fabricação de tecnologia de propulsão (motores, eixos e transmissões) permite um resultado ainda mais impressionante quando é colocada à prova de maneira conjunta. O maior exemplo é a redução na emissão de gases nocivos ao meio ambiente: um IVECO Hi-Way de 570cv, utilizando toda a motorização FPT de alta potência (Euro 6), emite menos poluentes do que um carro popular de passeio, produzido no Brasil.

Quando a FPT está à frente de toda a cadeia de funcionamento, seja para economizar ou para durar mais, os benefícios são visíveis em todas as partes.

Em nossa página do Facebook, você pode conferir um vídeo mostrando nossas soluções em Powetrain, na prática, direto da Fenatran:

 

Pintura de motores marítimos

Engana-se quem acredita que motores são todos iguais e servem apenas para gerar energia e força. Dependendo da sua função, eles possuem uma estrutura, peças e até um design diferenciado para garantir a segurança e o desempenho do equipamento que estão instalados.

Os motores marítimos são um exemplo! Sua pintura possui detalhes especiais e interessantes que fazem um item a ser explorado. Ficou curioso? Siga as perguntas abaixo e esclareça as dúvidas relacionadas a esse tema!

As tintas dos motores marítimos possuem componentes diferenciados?

Sim, como os motores ficam em ambientes salubres, principalmente por causa da maresia, eles recebem uma tinta epoxi cuja a composição é diferente de outro tipo de motores. Elas possuem propriedades anticorrosivas para garantir a durabilidade dos equipamentos, já que sabemos que a combinação de umidade + sal + metal = ferrugem.
Além disso, elas suportam altas temperaturas, sendo um mecanismo de segurança, já que serve de barreira (até determinada temperatura), evitando vazamentos de líquidos inflamáveis.

Por que os motores marítimos da FPT são claros?

O ambiente onde os motores estão situados, porões, proas, casa de máquinas tendem a ser pouco iluminados. Assim, quando o tom do motor é claro, fica mais fácil identificar algum problema como corrosão ou líquidos. É considerada como mais uma medida de proteção.
Também facilita na hora de limpar o equipamento.

E o design?

Claro que o fator de design também é considerado na hora de escolher a cor! A tintura é algo que vai além da proteção, sendo a estética uma preocupação dos engenheiros da FPT na hora de desenvolver um novo produto. A opção pela tinta branca é uma delas!
Confira aqui abaixo como as cores impactam na beleza do motor:

O que achou? Não deixe de postar seu comentário aqui abaixo e compartilhe nas redes sociais.

Tecnologia Euro VI

A FPT busca constantemente desenvolver soluções inovadoras e que causem um menor impacto no meio ambiente. Por isso, em 2017 lançou uma linha de novos motores que possuem catalisadores, sensores e sistemas de injeção, entre outros componentes, com tecnologia de ponta para garantir a menor emissão de poluentes. Além disso, os novos equipamentos atendem ao Euro 6, um conjunto de normas regulamentadoras sobre emissão de poluentes para motores a diesel.

Para tanto, utiliza a tecnologia SCR, que converte os gases que saem do escapamento em nitrogênio e vapor de água, sendo substâncias inofensivas ao meio ambiente. Essa transformação ocorre através do uso do reagente Arla 32.

Vamos aprofundar um pouco mais sobre esse assunto? Clique e confira o vídeo de Gustavo Teixeira, nosso especialista nessa tecnologia!

Gostou? Não esqueça de deixar seu comentário!

Conheça o motor N67 MAR-I/Tier 3 presente no pulverizador Defensor 2500 da New Holland

A New Holland Agriculture lançou o pulverizador Defensor 2500 equipado com o motor N67 MAR-I/Tier 3 da FPT Industrial que possui 175hp e 6 cilindros, além da tecnologia Eco Cruise, que aprimora o aproveitamento do diesel, gerando mais energia. Esse motor roda mais leve e com uma resposta do sistema de tração muito mais rápida do que a concorrência.

As melhorias não param por aí. Com o N67 MAR-I/Tier 3, o operador do Defensor 2500 terá uma tração com respostas mais rápidas, gerando mais precisão aos movimentos mesmo em vazões mais baixas, graças às nove seções de comando, bomba PWM e válvula de restrição de fluxo para baixo volume. E o melhor de tudo isso: sem barulho devido a um silenciador que elimina os ruídos do motor.

A gestão da velocidade é fundamental para qualquer máquina, pois influencia diretamente no resultado do tempo em que  máquina vai trabalhar e na eficiência do serviço realizado. Nos testes realizados pela FPT, o N67 MAR-I/Tier 3 apresentou aumento de 15% na velocidade do pulverizador. Isso significa que o operador terá mais controle do equipamento na realização do trabalho em terrenos e relevos diversos.

Com o novo motor N67 MAR-I/Tier 3, a FPT Industrial prova que a inovação tecnológica está em seu sangue, e ela tem reflexo imediato na produtividade do equipamento no campo. Tanto pela inserção do EcoCruise, como pelas inovações de precisão, o novo conjunto desenvolvido para o Defensor 2500 é o mais eficiente da categoria.

FPT estreia espaço próprio e leva novidades à Fenatran

Pela primeira vez, a FPT apresenta um estande próprio e uma gama de novidades para o ramo de transporte durante a Fenatran, o Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Carga. Considerado um dos maiores e mais completos eventos voltados para toda a cadeia do transporte rodoviário de carga da América Latina, a Fenatran é uma grande oportunidade de mostrar as inovações para o público.

Motores e tecnologias expostas

O grande destaque está sendo o Powertrain, um conjunto de soluções que engloba os eixos, transmissões, motores e outras tecnologias para garantir eficiência, potência e durabilidade para os motores da FPT, que antes era utilizado apenas na Europa.

Além desse modelo, estão presentes no local um motor N67 e um Cursor 13, motores que equipam caminhões Tector, Stralis e Hi-Way da Iveco. No estande também é possível ver de perto um exemplar do motor F1C – que hoje equipa o caminhão HD80, da CAOA –, a transmissão FPT modelo 2840.6 e eixo traseiro FPT modelo NDA-SW aplicado em veículos leves.

 

Grandes diferenciais

A presença de sistemas de injeção eletrônica sofisticados (Common Rail e Unidades Injetoras Eletrônicas de terceira geração), a escolha de muitos dispositivos de admissão de ar (turbocompressores com Wastegate, Geometria Variável ou Duplo Estágio) e a disponibilidade de versões com gás natural veicular (GNV) transformam os motores da FPT na melhor solução para aplicações rodoviárias, e esse é o objetivo da marca ao levar suas soluções à Fenatran.

Câmbio automatizado: mais conforto para o motorista

A evolução da tecnologia, cada vez mais presente nos veículos, faz surgir diversas dúvidas. Uma questão muito comum na hora de comprar um veículo é se o câmbio automatizado (ou robotizado) consome mais combustível do que o câmbio manual. Os veículos de câmbio automatizado proporcionam mais conforto ao dirigir, pois evitam que o motorista troque de marcha constantemente. Mas aqueles que preferem câmbio manual sempre defendem que o consumo de combustível é maior.

Mentira. O destaque desse tipo de câmbio é o baixo consumo de combustível e ainda emite menos CO2. O câmbio automatizado possui a caixa idêntica à do manual, mas utiliza um sistema de dois servos-robôs, que automatiza o acionamento da embreagem e, após analisar diversas variáveis como velocidade, temperatura, rotação etc., faz a troca das marchas.

Com o câmbio automatizado dá para sentir os trancos da mudança de marcha. Acontece que, no processo de troca de marchas, o sistema automatizado aciona a embreagem e interrompe a aceleração e, ao soltar a embreagem com a nova marcha já engatada, o veículo está acelerado, causando um leve solavanco. Para evitar esse tranco, basta tirar o pé do acelerador na hora da mudança de marchas, como em um carro manual.

A desvantagem do câmbio automatizado é o custo da manutenção, que costuma ser mais cara e específica que o câmbio manual. Entretanto, esse modelo de câmbio é o que oferece o maior conforto ao motorista.