FPT Industrial acelera os caminhões da Iveco na terceira etapa da Copa Truck

Neste fim de semana, Londrina, no Paraná, recebe pela primeira vez a Copa Truck, maior competição de caminhões do Brasil. A FPT Industrial participa da terceira etapa da temporada 2019 acelerando os caminhões IVECO dos pilotos Djalma Pivetta (#21) e Felipe Giaffone (#4), da equipe Usual Racing, Luiz Lopes (#99) e Fabio Carvalho (#100), da Lucar Motorsport, e Jaidson Zini (#25), da Dakar Motorsport.

Sob o capô, os pesados trazem o desempenho do FPT Cursor 13, disponível nos IVECO Hi-Road (com potências de 400 cv e 440 cv) e Hi-Way (440 cv, 480 cv e 560 cv). Para a Copa Truck, a potência chega a 1.200 cv por meio de uma preparação especial, permitindo que os caminhões alcancem velocidades de até 250 km/h na pista.

A etapa de Londrina marca o início da Segunda Copa. A temporada da categoria é dividida em copas, que classificam os três melhores colocados para a etapa final da temporada, que ocorre no Autódromo de Interlagos (SP), em dezembro. A Primeira Copa incluiu as corridas em Goiânia (GO) e Campo Grande (MS), enquanto a Segunda engloba as corridas de Londrina e Curvelo (MG).

Entre os pilotos que aceleram os propulsores da FPT Industrial, o destaque é Felipe Giaffone. Campeão em 2017, o piloto fez a pole position na etapa inaugural, em Goiânia, e registrou bons resultados nas quatro corridas das duas etapas. Assim, Giaffone garantiu o segundo lugar geral na Primeira Copa, com classificação assegurada para a Grande Final, em dezembro.

Cursor 13: Desempenho extraordinário

Com 12,9 litros, o FPT Cursor 13 se distingue pelo extraordinário desempenho combinado com uma redução do consumo de combustível e torque máximo disponível em baixas rotações. O turbocompressor de geometria variável controlado eletronicamente (E-VGT) permite torque de até 2.500 Nm disponível em baixa rotação de apenas 1.000 rpm, o que garante um nível superior de flexibilidade e eficiência de combustível.

O especialista de Marketing Produto da FPT Industrial, André Faria, destaca que competições como a Copa Truck servem para avaliar o desempenho dos motores presentes nos caminhões comerciais. “A Copa Truck coloca à prova a performance dos nossos motores sob altas exigências. Esse mesmo espírito está presente nos caminhões de rua. Resistência, eficiência e alta tecnologia são atributos reconhecidos da FPT Industrial”, afirma.

Final Dakar 2019: Saiba tudo sobre a performance da Equipe IVECO

Após 11 dias, dez etapas e milhares de quilômetros de competição intensa em um percurso desafiador, aconteceu a final do #Dakar2019 na última quinta-feira, dia 17 de janeiro.

As areias do Peru foram palco para o espetáculo de adrenalina do evento que é considerado o rali mais difícil do mundo.

Os veículos PowerStar, equipados com o Cursor 13, motorizaram o time Petronas De Roy IVECO. Mais uma vez, os motores mostraram toda sua confiabilidade, robustez e  segurança para cumprir sua missão em qualquer tipo de terreno e operação.

O Cursor foi adaptado especialmente para o rali. A customização ficou a cargo do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento da FPT Industrial em Arbon, na Suíça. O resultado foi um motor de 13 litros com cerca de 1.000 cavalos de potência e desempenho inigualável. Toda essa dedicação e força bruta não poderiam dar em outra: a equipe IVECO, que obteve uma excelente performance em todo o percurso, conquistou o pódio e ficou entre os dez primeiros colocados da edição 2019.

Confira as colocações dos pilotos IVECO no pódio geral da edição:

3º lugar: Gerard De Rooy

Estrela do time, o piloto experiente, vencedor das edições de 2012 e 2016, retornou à competição no comando do veículo #503 e destacou-se em diversos estágios da disputa, alcançando a primeira colocação na sétima etapa. Gerard, que não deixou a peteca cair durante todo o percurso, ficou em terceiro lugar no pódio final do Dakar 2019.  

4º lugar: Federico Villagra

O argentino Federico Villagra foi um dos destaques do time IVECO desta edição a bordo do veículo #505. O piloto se manteve bem colocado em diversas etapas do rali, chegando na quarta posição, na terceira etapa, e na segunda posição, na oitava etapa. Após enfrentar com estilo toda a complexidade dos terrenos de difícil navegação, ele se classificou no quarto lugar do pódio final.

7º lugar: Anton Van Genugten

Com uma excelente performance durante toda a disputa, Anton van Genugten, que já havia se destacado na competição em 2018, levou momentos de emoção e adrenalina para a torcida do time IVECO. Na direção do veículo #509, o piloto rendeu momentos emocionantes para a edição. Ele abriu o placar como segundo colocado na primeira etapa e ficou em primeiro lugar na quinta etapa. O bom desempenho de Van Genugten nos cinco mil quilômetros de percurso fez com que ele garantisse o sétimo lugar no pódio geral.  

10º lugar: Maurik van den Heuvel

O holandês Maurik van den Heuvel estreou no time IVECO como um competidor implacável. O piloto, que se juntou ao time a convite de De Rooy, se mostrou um excelente companheiro de time, ajudando Gerard a continuar na prova durante a quarta etapa, quando os competidores não podiam contar com sua equipe de assistência.

Foram dias de muita dificuldade, persistência e força em todas as etapas da corrida. Novamente o Cursor deu um show de potência! O motor, que oferece alto desempenho e eficiência para aplicações de transporte como o IVECO Hi-Way, se revelou ainda mais bruto, mantendo uma performance extraordinária durante todo o trajeto.

Quem aí já está ansioso para a próxima edição do Dakar?

 

Cursor 13 acelera o Rally Dakar 2019

Mais uma vez, a FPT Industrial é uma das protagonistas do Rally Dakar. Os quatro caminhões PowerStar, do time Petronas De Roy IVECO, estão equipados por um motor Cursor 13.

Nesta edição da competição, que é considerada uma das mais extremas do mundo, os caminhões irão cruzar o Peru em uma aventura épica: serão 5.000 km e dez etapas — que acontecem entre os dias 6 e 17 de janeiro — atravessando dunas, terrenos rochosos e arenosos. Toda a paisagem de natureza extrema tem papel decisivo na performance dos pilotos e das máquinas.

O Cursor 13 foi preparado para todos os desafios da competição, recebendo configuração diferenciada para oferecer excelente desempenho e absoluta robustez durante o percurso, entregando confiabilidade e até 1.000 cv de potência. 

O motor assegura alta densidade de potência e torque mesmo em grandes altitudes, mantendo a velocidade e oferecendo total controle e segurança para o piloto.

História

A história do Dakar é tão inusitada quanto a competição, que começou em 1977, quando o piloto francês Thierry Sabine se perdeu no deserto do Saara e viu ali uma oportunidade perfeita para promover um rali.

Ele foi batizado com este nome pelo trajeto, que iniciava em Paris, França, e terminava em Dacar, capital do Senegal, levando os pilotos a percorrerem 10 mil quilômetros. Desde 2009, o evento passou a acontecer na América do Sul, mas o nome foi mantido.

Estamos na 41ª edição da disputa, que é considerada uma das mais perigosas do mundo e expõe os pilotos a trajetos repletos de obstáculos no meio do deserto. É muita adrenalina, não é mesmo?!

Acompanhe nossas redes sociais para não perder nenhum momento do #Dakar2019!